8 de Paus

sábado, 14 de novembro de 2015

Bom dia! :-)

Vivemos em um mundo muito louco. Às vezes, fico me perguntando se a loucura é minha ou se é a lucidez que me pertence. Crimes ambientais, sociais, falta de consciência, falta de coração, falta de humanidade, falta de empatia. Tem certas horas que dá mesmo uma tristeza, tão grande, tão doída, são os momentos em que me autodenomino alienígena. Não posso me sentir como uma igual de pessoas que fazem tais atrocidades! Como eu digo sempre: não é questão de discordar, é questão de não entender!

Como lidar com um mundo que fala uma língua tão diferente da sua? E, mais ainda, como lidar com seres que, aparentemente, são feitos da mesma matéria que você, só que não? Como transitar em uma realidade tão bruta, tão tosca, tão sem sentido? E, ao mesmo tempo, como enxergar todas as belezas naturais deste planeta e todas as sutis e belas energias que existem por aí? Olho para o mundo e para o ser humano e parece que tudo e todos são Rio 40 graus: purgatório da beleza e do caos!

De um modo geral, e vocês percebem isso por aqui, costumo manter meu olhar positivo, minha energia amorosa e meu discurso muito na base do Ho'oponopono. Mas existem momentos... Momentos em que estamos especialmente sensíveis e que o mundo parece aumentar o volume da insensatez. Fica difícil, né gente?

Então respira... Então fecha os olhos... Então abre a alma...

Somente a presença mágica do 8 de Paus pode nos trazer sinais. Que sinais? Sinais extraterrestres, sinais metafísicos, sinais daqueles que vêm de dentro e se encontram com aqueles que existem fora, uma verdadeira pororoca onírica (ou algo assim).

Eu confesso a vocês que passarei o dia olhando para o céu... e para mim... E tentando encontrar as placas, a orientação, os mapas. Porque em certos momentos tudo parece se perder. Mas eu sei que não... Sei de verdade, gente! Sei porque sinto... E é este o rumo do 8 de Paus: ele sente! Percebe! Por isso envia sinais, por isso a conexão acontece! Vamos acreditar que a conexão permanece vibrando, mesmo nos momentos mais difíceis. Porque se conseguirmos manter a nossa conexão (com nosso Eu Divino, com o Deus/Deusa...) sempre enxergaremos os sinais. Sempre! Apesar da lama, apesar do terrorismo, apesar da insanidade, do desamor... Somos mais que isso quando estamos conectados ao Amor. Que assim seja!

Ótimo sábado para todos nós!

A imagem veio daqui

Um comentário:

Aparecida Soares Silva disse...

Bom dia Viamigos e Cacau,
Tais semelhanças não são meras coincidências. Estes sentimentos me invadem todos os dias, principalmente, quando não percebo esta proatividade das pessoas que me são próximas. Esta semana mesmo sofri um decepção, uma pessoa que achava ser amiga e compartilhava meus anseios íntimos. Até que uma outra amiga alertou-me tardiamente sobre a inveja, o complexo de inferioridade e negatividade que ela tem sobre as conquistas, relacionamentos amorosos e felicidade alheia. Aquilo partiu o coração, doeu porque muitas vezes eu a escutava e desabafava meus problemas. Porém, antes tarde do que nunca e pensarei muitas vezes antes de me abrir com alguém. Que o 8 de paus nos traga os sinais que precisamos para que consigamos nos conectar com a felicidade, como nós mesmos, nossa essência e a perseverança de jamais desistir da vida e do ser humano.