Cura emocional através do Ho'oponopono

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Pessoal,

quem quiser incluir nomes (familiares, parentes, ancestrais, amigos, inimigos, conhecidos, etc) para a realização do Ho'oponopono, prática de cura emocional de origem havaiana, que significa acertar o passo, alinhar o rumo, sinta-se plenamente à vontade. Temos verificado ao longo desses meses o poder dessa prática para sanar corações, pacificar mentes, gerar amizades, criar prosperidade, fazer até objetos, antes danificados, funcionarem. Temos vistos relações rompidas serem reestabelecidas, caminhos se abrirem e a vida das pessoas melhorar em seu aspecto interior e exterior. Curas e mesmo alívio da dor também tem se feito presente. Isso demonstra a força da mente e do coração humano voltado para a positividade e para a responsabilidade em todas as suas relações.

Basta incluir o nome da pessoa nos comentários que nós fazemos a inclusão aqui no post. Como estamos comprometidos com a prática diária do Ho'oponopono ficamos muito felizes por poder ajudar. Deixaremos aqui um pequeno áudio explicativo que pode ser usado na prática diária quando for da sua maior conveniência. Há dois momentos do dia onde realizamos a prática, as 10 horas, do dia e da noite. Se quiser juntar-se a nós será um prazer. Se quiser praticar em outro horário sinta-se à vontade, afinal a energia gerada independe de tempo ou distância.

Quem quiser fazer o download do áudio pode fazê-lo AQUI!

Quem quiser fazer o download do livro - ebook: AQUI!

ENTREVISTA SOBRE HO OPONOPONO
Dec 16, '06 7:44 AMfor everyone

Não importa que tipo de problema, trabalhe com você mesmo.”
Ihaleakala Hew Len

“Se você quer resolver um problema, 100% de Responsabilidade"

Entrevista com Ihaleakala Hew Len
Por Cat Saunders

Como demonstrar gratidão a alguém que lhe ajudou a ser livre? Como demonstrar gratidão a um homem cuja gentileza de espírito, e agudeza nas declarações, alterou completamente o curso de sua vida? Ihaleakala Hew Len é a pessoa que significa tudo isso para mim. Como um irmão de alma que aparece inesperadamente num momento de necessidade, Ihaleakala entrou em minha vida em março de 1985, um ano de grandes mudanças para mim. Eu o conheci durante um curso chamado Self I-Dentity Through Ho'oponopono, no qual ele era facilitador, juntamente com a nativa havaiana e kahuna (“guardiã do segredo”) Morrnah Nalamaku Simeona, já falecida. Para mim, Ihaleakala e Morrnah fazem parte do ritmo da vida. Embora eu sinta um grande amor por eles, não consigo vê-los como simples pessoas, porque a forma com que eles influenciam minha vida vem através de um vigoroso pulsar, como o som de tambores africanos na noite. Recentemente, tive a honra de ser convidada a entrevistar Ihaleakala pela Foundation of I, Inc. (Freedom of the Cosmos), organização fundada por Morrnah. Mas minha maior honra foi saber que ele estaria vindo do Havaí especialmente para encontrar-se comigo.

Dr. Ihaleakala S. Hew Len é presidente e administrador da Fundação. Juntamente com Morrnah, ele vem trabalhando com milhares de pessoas há muitos anos, inclusive com grupos das Nações Unidas, UNESCO, Conferência Internacional pela Paz Mundial, Conferência da Medicina Tradicional Indígena, Curadores pela Paz na Europa, e da Associação dos Professores do Estado do Havaí. Tem também uma larga experiência no tratamento de pessoas mentalmente enfermas, com criminosos doentes mentais e suas famílias. Todo o seu trabalho como educador é permeado e tem como suporte o processo Ho'oponopono.

Ho’oponopono significa simplesmente “acertar o passo” ou “corrigir o erro”. De acordo com os antigos havaianos, o erro provém de pensamentos contaminados por memórias dolorosas advindas do passado. Ho'oponopono oferece uma forma de liberar a energia desses pensamentos dolorosos, ou erros, os quais causam desequilíbrio e enfermidades. No desenrolar do processo Ho'oponopono, Morrnah foi orientada a incluir as três partes do eu, que são a chave para a Auto-identidade. Essas três partes, presentes em cada molécula da realidade, são chamadas de Unihipili (criança/subconsciente), Uhane (mãe/ consciente) e Aumakua (pai/superconsciente). Quando esta “família interna” encontra-se alinhada, a pessoa está em sintonia com a Divindade, acontece o equilíbrio e a vida começa a fluir. Assim, Ho'oponopono auxilia na restauração do equilíbrio, primeiramente no indivíduo e depois em toda a criação.

Ao me apresentar este sistema tríplice, juntamente com o mais poderoso processo de perdão que eu conheço (Ho'oponopono), Ihaleakala e Morrnah ensinaram-me o seguinte: a melhor maneira de trazer cura para cada aspecto de minha vida, e para o universo inteiro, é assumir 100% de responsabilidade e trabalhar comigo mesma. E ainda aprendi com eles a simples sabedoria do total auto-cuidado. Como disse Ihaleakala, em sua nota de agradecimento após nossa entrevista:


“Cuide bem de você. Se fizer isso, todos serão beneficiados.”

Certa vez, Ihaleakala ausentou-se uma tarde inteira, bem no meio de um curso do qual eu participava, simplesmente porque sua Unihipili (criança/subconsiente) pediu para ir ao hotel e tirar uma longa soneca. É claro que ele assumiu sua responsabilidade antes de se retirar, e Morrnah estava lá para dar prosseguimento ao trabalho. Fiquei impressionada com sua atitude. Para alguém como eu, criada numa família que ensinava a sempre colocar os outros em primeiro lugar, a ação de Ihaleakala foi no mínimo surpreendente e divertida. Ele tirou sua soneca e deu uma lição inesquecível de auto-cuidado.
.
Cat: Ihaleakala, quando conheci você, em 1985, eu havia recém começado a trabalhar com consultas individuais, depois de ter sido conselheira em agências durante quatro anos. Lembro-me de você dizer: “Toda terapia é uma forma de manipulação.” E eu pensei: “Cruzes! O que é que vou fazer agora?” Eu sabia que você tinha razão, e quase desisti da idéia! É claro que continuei, mas aquela sua colocação mudou completamente minha forma de trabalhar com as pessoas.

Ihaleakala: A manipulação acontece quando eu (o terapeuta) chego com a idéia de que você está doente e eu vou trabalhar em você. Coisa muito diferente é quando acredito que você veio até mim para me trazer uma oportunidade de olhar o que está acontecendo comigo. Nesse caso não acontece a manipulação.

Se a terapia for baseada em sua crença de que você está ali para salvar o outro, curar o outro ou orientar o outro, a informação que você traz emerge do intelecto, da mente consciente. Mas o intelecto não é habilitado para entender e abordar problemas. O intelecto não tem a menor condição de solucionar problemas! Ele é incapaz de compreender que, quando uma situação problemática é solucionada por transmutação (como no caso de Ho'oponopono e outros processos semelhantes), não só a situação fica resolvida, mas tudo o que estiver relacionado com ela, atingindo níveis microscópicos e estendendo-se até o início dos tempos.

Sendo assim, penso que a pergunta mais importante a ser feita é: “O que é um problema?” Se você faz uma pergunta como esta, não há clareza. E como não há clareza, eles inventam uma forma de resolver o problema...

Cat: ... como se o problema estivesse “lá fora”.

Ihaleakala: Sim. Por exemplo, outro dia recebi um telefonema de uma mulher, cuja mãe estava com 92 anos. Ela disse: “Minha mãe está com uma horrível dor nos quadris já faz muitas semanas.” Enquanto a mulher falava comigo, eu fazia a seguinte pergunta à Divindade: “O que está acontecendo comigo para ter causado a dor nesta senhora? Como posso resolver este problema dentro de mim?” As respostas vieram e eu fiz o que me foi solicitado.

Pode ser que uma semana depois a mulher me ligue para dizer que sua mãe está melhor. Isto não significa que não haverá reincidência do problema, porque pode haver causas variadas para aquilo que parece ser o mesmo problema.

Cat: Tenho acompanhado muitos casos de doenças crônicas e dores recorrentes. Trabalho com elas o tempo todo, usando Ho'oponopono e outros processos de clarificação, a fim de reparar toda dor que causei, desde o início dos tempos.
.
Ihaleakala: Sim. A idéia é que pessoas como nós estão justamente trabalhando em profissões de cura porque já causaram muita dor por aí.

Cat: Que coisa!

Ihaleakala: Não é maravilhoso a gente saber disso? E ainda atendermos pessoas que nos pagam por lhes ter causado problemas!

Eu disse isso a uma mulher em Nova York, e ela exclamou: “Meu Deus, se pelo menos eles soubessem!” Mas, como você vê, ninguém sabe. Psicólogos, psiquiatras continuam acreditando que a função deles é ajudar a curar o outro.

Vamos supor que você veio me consultar. Eu peço à Divindade: “Por favor, o que quer que esteja acontecendo dentro de mim que causou esta dor na Cat, diga-me como posso corrigir.” E então vou ficar continuamente aplicando a orientação recebida, até que a sua dor vá embora, ou até você me pedir que eu pare. O importante não é propriamente o efeito, mas chegar ao problema. Essa é a chave.

Cat: Você não focaliza no resultado porque isto não é de nossa competência.
.
Ihaleakala: Certo. Nós só podemos fazer o pedido.

Cat: E nós também não sabemos quando uma determinada dor ou doença vai se alterar.
.
Ihaleakala: Pois é. Digamos que se recomendou a uma mulher o tratamento com certa erva, a qual não está surtindo efeito. Novamente a questão: “O que acontece dentro de mim que faz com que esta mulher não receba os benefícios da erva?” E eu vou trabalhar com isso. Vou limpar e ficar de boca fechada, permitindo que o processo de transmutação se opere. Quando acontece de você se apegar a seu intelecto, o processo é interrompido. A coisa mais importante a ser lembrada, no caso de um trabalho de cura não surtir efeito, é aceitar a possibilidade de a causa do problema estar em erros múltiplos, em múltiplas questões e memórias dolorosas. Nós não sabemos nada! Só a Divindade sabe o que está acontecendo.

No mês passado, fiz uma apresentação em Dallas. Na conversa com uma mestra em Reiki, perguntei-lhe: “Quando alguém lhe vem com um problema, onde você vai encontrá-lo?” Ela me olhou intrigada. E eu disse: “Em você. Porque foi você quem causou o problema, e o seu cliente vai lhe pagar pela cura de um problema que é seu!”
.
Cat: 100% de responsabilidade.

Ihaleakala: 100% de consciência de que foi você quem causou o problema. 100% de consciência de que é sua a responsabilidade corrigir o erro. Imagine o dia em que todos nós formos 100% responsáveis!

Como vou convencer as pessoas de que nós somos 100% responsáveis pelos problemas? Se você quer resolver uma situação problemática, trabalhe-a em si próprio. Se a questão está ligada a outra pessoa, pergunte a si mesmo: “O que há de errado comigo que está levando esta pessoa a me incomodar?” Aliás, pessoas só aparecem na sua vida para lhe incomodar! Quando você sabe disso, pode superar qualquer situação e se libertar. É simples: “Sinto muito por tudo que está acontecendo. Por favor, perdoe-me.”

Cat: Na verdade, você não precisa lhes dizer isto em voz alta, e nem mesmo precisa entender o problema.

Ihaleakala: Aí está a beleza de tudo. Você não tem que entender. É como a Internet. Você não entende nada de como funciona! Você apenas chega até a Divindade e diz: “Vamos dar um download?” A Divindade então proporciona o download e você recebe toda a informação. Mas, como nós não sabemos quem somos, nunca damos o download direto da Luz. Vamos buscar fora. .Sempre me lembro do que Morrnah dizia: “É um trabalho interno.” Se você quer ter sucesso, trabalhe internamente. Trabalhe em você mesmo!

Cat: Reconheço que a única coisa que funciona é ser 100% responsável. Mas houve um tempo em que questionei isto, porque eu era uma pessoa do tipo super responsável, que cuidava de muita gente. Quando lhe ouvi falar sobre os 100% de responsabilidade, não apenas por mim mesma, mas por todas as situações e problemas, pensei: “Parado lá! Isso é pura loucura! Não preciso que ninguém venha me dizer para ser ainda mais responsável!” O que aconteceu foi que, quanto mais eu refletia sobre isso, mais fui descobrindo que há uma grande diferença entre um super responsável cuidado com o outro e um total cuidado comigo mesma. O primeiro tem a ver com ser uma boa menina, e o segundo, com ser livre.

Lembro-me de quando você contou sobre a época em que trabalhou como psicólogo na ala para loucos criminais no Hospital Estatal do Havaí. Disse que quando começou a trabalhar lá, havia muita violência entre os internos e que, depois de quatro anos, tudo ficou em paz.

Ihaleakala: Basicamente, assumi 100% de responsabilidade. Só trabalhei comigo mesmo.
.
Cat: É verdade que, durante todo aquele tempo, você não teve contato com nenhum dos internos?

Ihaleakala: É verdade. Eu só entrava no pavilhão para verificar os resultados. Se eles ainda apresentavam problemas, eu ia trabalhar mais um pouco comigo mesmo.
.
Cat: Você poderia contar uma história sobre a utilização do Ho'oponopono nos, assim chamados, objetos inanimados?

Ihaleakala: Certa vez, eu estava num auditório, preparando-me para dar uma palestra, e eu conversava com as cadeiras. Então, perguntei: “Há alguém aí que eu tenha esquecido? Alguém entre vocês gostaria de expor algum problema que exija cuidado de minha parte?” Uma das cadeiras respondeu: “Sabe, hoje num seminário anterior, havia um rapaz sentado em mim, o qual sofria com problemas financeiros, e agora estou me sentindo péssima!” Tratei de limpar aquele problema e logo pude ver a cadeira se endireitando e dizendo: “Ok! Estou prontinha para acomodar o próximo!”Na verdade, o que eu tento fazer é ensinar a sala. Costumo dizer para a sala, e tudo o que há nela: “Vocês querem aprender o Ho'oponopono? Afinal, breve irei embora, e não seria ótimo se todos vocês pudessem dar continuidade a este trabalho?” Alguns respondem sim, outros respondem não, e há aqueles que dizem: “Estou muito cansado!” Então, pergunto`a Divindade: “Para aqueles que dizem que querem aprender, como posso ensiná-los?” Na maioria das vezes, a resposta é: “Deixe o livro azul (Self I-Dentity Through Ho'oponopono) com eles.” E é o que faço. Enquanto estou falando, deixo o livro azul em cima de alguma cadeira ou mesa. Não costumamos acreditar que as mesas ficam ali, quietas e atentas a tudo o que esta ocorrendo ao seu redor!

Ho'oponopono é muito simples. Para os antigos havaianos, todos os problemas começam com o pensamento. Mas o problema não está no simples pensar. O problema ocorre quando nossos pensamentos estão impregnados de memórias dolorosas a respeito de pessoas, lugares ou coisas.
.
O trabalho intelectual por si só não é capaz de resolver estes problemas, porque a função do intelecto é de apenas administrar. E não é administrando as coisas que se resolvem problemas. Você quer é se livrar deles! Quando você faz Ho'oponopono, o que acontece é que a Divindade pega os pensamentos dolorosos e os neutraliza ou os purifica. Não se trata de neutralizar ou purificar a pessoa, o lugar ou a coisa. O que fica neutralizada é a energia que está associada a pessoa, lugar ou coisa. Portanto, o primeiro estágio de Ho'oponopono é a purificação da energia.
.
Então, eis que algo maravilhoso acontece. A energia não é apenas neutralizada; ela é também liberada, e tudo fica limpo. Os budistas chamam de Vazio. O último passo é permitir que a Divindade entre e preencha o vazio com luz.

Para fazer Ho'oponopono, você não precisa saber qual é propriamente o problema ou o erro. Você só tem que se dar conta de que está tendo um problema, seja ele físico, mental, emocional ou qualquer outro. Tão logo você o perceba, é sua responsabilidade começar imediatamente a limpeza, dizendo: “Sinto muito. Perdoe-me, por favor.”

Cat: Quer dizer que a verdadeira função do intelecto não é resolver problemas, mas pedir perdão.

Ihaleakala: Sim. Eu tenho duas tarefas neste mundo. A primeira é, antes qualquer outra coisa, cuidar da limpeza. E a segunda é despertar as pessoas que estão adormecidas. Quase todo mundo está adormecido! Mas a única maneira de fazê-las despertar é trabalhando comigo mesmo! Esta nossa entrevista serve de exemplo. Durante as semanas que precederam nosso encontro, estive fazendo o trabalho de clarificação, de modo que, quando nos encontrássemos, fôssemos como dois lagos juntando suas águas. Eles se unem e vão em frente. Só isso.

Cat: Nesses dez anos que faço entrevistas, esta foi a primeira vez que não me preparei. Toda vez que tentava fazê-lo, minha Unihipili dizia que eu devia apenas vir e estar com você. Meu intelecto fez de tudo para me convencer de que eu tinha que me preparar, mas eu não dei ouvidos.

Ihaleakala: Melhor pra você! A Unihipili, às vezes, é muito engraçada. Certo dia, eu ia descendo por uma estrada no Havaí. Quando me preparava para pegar um declive à direita, por onde eu sempre passava, ouvi a voz melodiosa de minha Unihipili: “Se eu fosse você, eu não descia por aí.” E eu pensei: “Mas a gente sempre vai por aí.” E continuei o meu caminho. Uns cinqüenta metros adiante, ouvi de novo: “Ei! Se eu fosse você, eu não descia por aí!” Segunda chance. “Mas a gente sempre vai por aí!”

Nessa hora, a nossa conversa já era em voz alta e as pessoas nos carros próximos me olhavam achando que eu era um louco. Andei mais 25 metros, e ouvi um estrondoso: “Se eu fosse você, eu não descia por aí!” E eu fui por lá. E lá acabei ficando parado por duas horas e meia. Por causa de um enorme acidente, estava tudo congestionado. Não se podia ir nem para frente nem para trás. Ai, ouvi minha Unihipili dizer: “Não falei?!” E ela ficou sem conversar comigo um tempão. E com razão. Por que falar comigo se eu não a ouvia?

Lembro-me uma vez, quando me preparava para ir à televisão falar sobre Ho'oponopono. Meus filhos olharam para mim e disseram: “Pai, ficamos sabendo que você vai aparecer na TV. Vê lá se põe umas meias que combinam!” Eles não se preocuparam com o que eu ia falar. Eles só estavam preocupados com as minhas meias. Você vê como as crianças sabem o que é realmente importante na vida?

* * *Esta entrevista foi originalmente publicada por The New Times, em setembro de 1997.
Para mais informações sobre Ho'oponopono e contato com Ihaleakala Hew Len, Ph.D, visite o site http://www.hooponopono.org/.

Cat Saunders, Ph.D é autora do livro Dr. Cat’s Helping Book. Para mais informações, visite http://www.drcat.org/.

Oração à Divindade

Divindade, Mãe, Pai, Filha e Filho, todos em Um, todos em mim. Se eu, minha família, meus parentes e antepassados ofendemos tua família, parentes e antepassados em pensamentos, palavras, fatos ou ações, desde o início de nossa manifestação até o presente, nós pedimos teu perdão, pois somos Um nesta União.

Deixe que isto se limpe, purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas, oh Pai, transmuta estas energias indesejáveis em pura luz e assim é. Para limpar meu subconsciente de toda carga emocional armazenada nele digo uma e outra vez durante meu dia as palavras-chaves do Ho’oponopono:  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Me declaro em paz com todas as pessoas da Terra e com quem tenho dívidas pendentes por este instante e pelo tempo que já não é mais. Por tudo que não me agrada de minha vida presente:  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Eu libero todos aqueles de quem acredito estar recebendo danos e maus tratos, porque simplesmente não sabem o que fazem a si mesmos, pois todos somos Um na Divindade.  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Ainda que me seja difícil perdoar alguém, eu sou quem pede perdão a este alguém agora, por este instante em todo o tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente:  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Por este espaço sagrado que habito dia a dia e no qual vivo e me rejubilo neste viver:

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Pelas difíceis relações das quais somente guardo lembranças ruins:  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Por tudo que não me agrada na minha vida presente, de minha vida passada, de meu trabalho ou que está ao meu redor, Divindade, limpa em mim o que está contribuindo com minha escassez.  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Se meu corpo físico experimenta a ilusão da ansiedade, preocupação, culpa, medo, tristeza, dor, pronuncio e penso: Minhas memórias, eu te amo. Estou agradecido pela oportunidade de libertar a vocês e a mim.  

Eu sinto muito, me perdoa, sou grato, eu te amo.

Neste momento afirmo que: eu te amo.

Penso em minha saúde emocional e na de todos os meus seres amados: te amo.

Para minhas necessidades e para aprender a esperar sem ansiedade, sem medo.

Reconheço as memórias aqui. Sinto muito, te amo.

Minha contribuição para a cura da Terra. Amada Mãe Terra, que És quem Eu Sou, se eu, minha família, meus parentes e antepassados te maltratamos com pensamentos, palavras, fatos ou ações, desde o início de nossa criação até o presente, eu peço teu perdão, oh Mãe! Deixa que isto se limpe, purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas, transmuta estas energias indesejáveis em pura luz e assim é.

Sugestão pessoal: colocar a atenção no chacra cardíaco e irradiar as frases do Ho'oponopono a partir deste centro de luz no corpo.

8 de Espadas

Bom dia! :-)

Eu acredito que quem acompanha o Via Tarot já tenha olhado para o Arcano de hoje e se lembrado de vários comentários que eu já fiz por aqui.

Em primeiro lugar, a primeira coincidência: o 2 de Espadas e o 8 de Espadas apareceram neste ano, até agora, o mesmo número de vezes por aqui. Foram cinco vezes! Em segundo lugar, novamente temos uma mulher vendada e a pergunta que não quer calar: o que é que não estamos enxergando?

Mas temos uma diferença bem significativa entre as imagens mais tradicionais do 2 e do 8 de Espadas (a que eu postei ontem não era tradicional): enquanto no 2 de Espadas a moça está vendada porém ativa, lutando ou dançando com duas espadas nas mãos, no 8 de Espadas a moça está amarrada ou, pelo menos, imobilizada, limitada em seus movimentos.

Isso nos mostra que o 2 de Espadas ainda não sabemos o que escolher, como decidir, mas temos liberdade. Já no 8 de Espadas não sabemos o que escolher porque as dúvidas internas são tão grandes que nos paralisam.

Eu, com a graça de todos os deuses, afirmo que hoje não vou levantar minha mãozinha! rs Estou inocente desta vez! rs Por aqui, apesar do cansaço e da síndrome de formiguinha (o sócio já me apelidou...rs), não existem conflitos internos profundos, dúvidas e angústias, amém. :-) Se alguém quiser fazer alguma confissão, sinta-se à vontade! ;-)

Pois bem...

A quarta-feira é regida por Mercúrio e com isso temos uma boa pista de que a grande dúvida envolve a auto expressão, a fala, a forma como nos comunicamos. Uma situação que ilustra bem isso é aquela em que a pessoa afirma: "eu não sei o que dizer!" Muitas vezes, é fato, ficamos sem fala... Mas outras vezes, nós sabemos muito bem o que dizer, só não sabemos como fazer isso! Ou, ainda, sabemos o que dizer, até sabemos como, mas e o medo? rs

Se nós associarmos uma emoção negativa a cada naipe, certamente o medo seria a emoção negativa de Espadas (a raiva a de Paus, a mágoa de Copas e o apego de Ouros... Pensei nisso agora, mas olha que essa linha de raciocínio "dá rock"...rs) E a presença dessas duas cartas de Espadas, com tantas semelhanças, por aqui nos mostra que tem um medinho pairando no ar. Por que?

Tema para meditação! E enquanto isso, vamos administrar as dúvidas, desviando o olhar para outra coisa mais bonita e interessante. Às vezes encontramos a solução nos lugares mais inesperados!

Uma ótima quarta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui


2 de Espadas

terça-feira, 22 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Estou aqui olhando para esta moça meditando e me sentindo totalmente integrada a essa postura! Pelo visto, não sou só eu... Digo isso, levando-se em conta que em três meses e meio, esta é a quinta vez que o 2 de Espadas passa por aqui. Não parece uma overdose da energia desse Arcano?

O que será que nós ainda não sabemos? Como administrar esta orientação de não tomar uma decisão agora? A gente faz o que com a ansiedade? rs

Pois bem... Reparem que sempre queremos respostas! Sempre queremos uma decisão, mesmo quando não queremos tomar a decisão. Sempre queremos definir as coisas, ignorando o fato de que o excesso de definição é um sonho que o desejo de controle nos traz.

O controle é uma ilusão!

E, de certa forma, o poder de decisão também...

Não vou repetir a história do Neo e da Oráculo pela terceira vez seguida, né? Por favor! rs Mas lembrem... Não se esqueçam disso... É um aprendizado e tanto!

A angústia vem do desejo de controle. E em seguida vem a frustração, que quando prolongada acaba gerando a depressão. Isso explica o fato de vivermos em um mundo de pessoas deprimidas. São as que vivem no passado, presas as suas memórias negativas. Há também as que ficam presas no futuro, ansiosas, esperando por um tempo diferente, em que todos os seus desejos acontecerão, exatamente, do jeito que elas imaginaram.

Não me lembro de encarar esta verdade de forma tão tranquila: não há controle. O único controle que podemos buscar e, com muito trabalho e disciplina, alcançar é o controle do nosso descontrole...rs

A vida, tenho pensado muito nisso nos últimos dias, não é um pacote de viagem, daqueles com guia, hotéis já reservados, festas e passeios programados. A vida é uma viagem de mochileiro. A única certeza que podemos ter é que estamos saindo de um determinado lugar. O que vai acontecer no caminho? Por onde vamos passar? Quanto tempo vai demorar? Quem vamos encontrar pelo caminho? Onde vamos chegar? São mistérios... Ao invés de nos ocuparmos em exigir que tudo isso se encaixe no que desejamos, talvez seja mais inteligente aproveitar a viagem, apreciar a paisagem e desfrutar do inusitado.

Foi até aqui que os florais alquímicos me trouxeram... E agora faltam somente mais seis dias para encerrar a primeira parte do tratamento. Acho que estou muito bem! Fui muito além do que poderia imaginar no começo da jornada.

Saibamos aquietar a mente e saibamos dar a ela a possibilidade do descanso, do não pensar. Para que no vazio se faça uma nova forma de encarar as encruzilhadas e bifurcações. Porque a escolha costuma se fazer sozinha e cabe a nós a sabedoria de lidar com ela.

Ótima terça para todos nós.

A imagem veio daqui

4 de Copas

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Entre o 3 de Copas e o 4 de Copas tivemos uma pausa. Uma pausa falante, comunicativa chamada Princesa de Espadas...rs Mas fico olhando para este 4 de Copas e pensando na sua coerência em aparecer por aqui no final de um feriadão (sim, final, pois estamos em território mineiro, se eu estivesse em minha cidade natal ainda teria mais dois dias de vida mansa...rs)

O 4 de Copas tem muito de sobriedade. É um aprendizado interessante no sentido de saber dizer não, de saber a hora de parar, de saber limites, sem se sentir preso ou frustrado por não ir adiante.

Não sei se todos perceberam este outro lado do 4 de Copas. Um lado que não é só reflexão, não é somente a emoção segura, os sentimentos em equilíbrio. Também não é aquela referência às irmãs de Psiquê, que dão pitacos com as piores intenções e por isso recebemos a dica brilhante: siga o seu próprio caminho, sem ouvir palpites alheios.

Alguns críticos deste Arcano dizem que ele mostra uma acomodação, uma chatice rotineira. Mas tudo é mesmo a forma como olhamos as coisas... Pois podemos dizer que o 4 de Copas é uma carta que nos deixa seguros, nos faz caminhar com mais tranquilidade, oferecendo a possibilidade de escolhermos o que realmente nos faz feliz.

Assim, chegamos ao fim deste feriadão, com a sensação de que fizemos tudo que deveríamos fazer, nos divertimos, nos envolvemos em encontros gratificantes, descansamos e estamos com o coração tranquilo (amém). Sigamos em frente e vamos ver o que o restante da semana nos oferecerá. ;-)

Uma ótima segunda-feira para todos nós! :-)

A imagem veio daqui

Princesa de Espadas

domingo, 20 de abril de 2014

Bom dia! :-)

A carta tem muito a dizer, já eu, nem tanto!

- Mas como pode ser, Cláudia? Você sempre tem algo a dizer, tem opinião sobre tudo!

- Pois então... Tempos misteriosos esses... Tenho passado os dias a vislumbrar o mundo e simplesmente viver. E isso me encanta de tal forma que fico sem palavras.

Tenho exercitado o viver puro e simples. Isso quer dizer que tenho reduzido ao mínimo os julgamentos, os planejamentos, os sonhos, os projetos, qualquer coisa que possa me tirar do aqui e agora. E com isso percebi duas coisas: 1) o tempo está passando mais devagar 2) tudo fica mais leve.

Ontem, tive uma experiência muito impressionante! Fomos em uma cachoeira e aproveitei para fazer meus pedidos e agradecimentos a mamãe Oxum. Me aproximei lentamente da queda d'água e abri meus braços, e abri meu coração e comecei a falar coisas que nem sei de onde vieram! Mas eram coisas lindas! Amorosas, poéticas, profundas e de pura devoção a Senhora das Águas Doces.

Quando estamos abertos e conectados ao momento presente, tudo flui com tanta facilidade que somos capazes de falar as palavras mais corretas, agir da maneira mais precisa. Isso porque estamos em sintonia com o Universo e com o nosso Deus Interior.

E por falar em palavras, voltemos à Princesa de Espadas...

Ela é a própria mensagem, a dona das palavras... O fato de ela aparecer por aqui em pleno domingo, de regência solar, nos leva a pensar pelo menos duas coisas: primeiro, temos como missão esclarecer dúvidas através das palavras ou tornar nossas palavras mais claras... segundo, o trabalho interior que devemos realizar hoje envolve captar mensagens que nossa essência, nossa Divindade Interior está enviando para nós. Ah, vocês não sabiam disso? Sim, sim, nosso Eu mais sábio envia constantemente informações e notícias valiosíssimas para nós, mas, infelizmente, nós, quase sempre, não temos capacidade para perceber ou entender isso.

Vamos, então, ligar nossas antenas, para que sejamos capazes de realizar melhor esta comunicação entre consciente e inconsciente, entre o eu que conhecemos e o eu mais profundo.

Sigam-me os bons! ;-)

Ótimo domingo para todos nós!

A imagem veio daqui

3 de Copas

sábado, 19 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Hoje, vamos celebrar!  A sincronicidade do tarot sempre presente em nossos dias... Estamos recebendo aqui em casa uma amiga muito querida com quem não nos encontrávamos há alguns anos.

Não bastando isso, relembramos bons momentos que vivemos com um amigo querido que já partiu para o lado de lá e que muitos de vocês conhecem os seus textos, pois são postados no blog do sócio, o Pistas do Caminho. Também já falei dele por aqui algumas vezes, o Júlio César Guerrero, que além de amigo e Dr Bombay de plantão (o médico das feiticeiras...rs), também foi um dos maiores divulgadores do xamanismo na internet.

O 3 de Copas é um Arcano alegre, possui uma energia que mistura emoção, cumplicidade e harmonia. E é interessante vê-lo por aqui em um sábado, cuja regência de Saturno fala de responsabilidade e seriedade. Nós costumamos colocar nosso foco no trabalho e nos projetos, e fico pensando se o recado do tarot não é: este é o momento de trazer os projetos para a realidade através da união de talentos, habilidades e entusiasmo.

Continuo refletindo muito, por todos esses dias, sobre a real razão de eu ter retornado para São Lourenço. E isso não é somente uma análise pessoal, de um fato que está acontecendo comigo. Isso pode ser ampliado, servindo para todos nós, a partir do momento em que elaboramos o seguinte questionamento: por que as coisas nos acontecem? Como é que o nosso Eu Divino se comunica conosco, mostrando o que devemos realizar?

Aprofundando ainda mais esta questão vem a pergunta: como vamos saber o que é para nós fazermos? Sim, porque uma coisa é a situação surgir e precisar ser encarada e outra é a nossa tomada de consciência sobre o fato. Não adianta nada seguir ao sabor das ondas sem uma conscientização mais profunda sobre o que nos leva a realizar determinada experiência em nossa vida.

Isso me lembra aquela cena de Matrix (de novo! rs) em que a Oráculo fala para o Neo que ele não está ali para fazer uma escolha e sim para entender a escolha. Estamos batendo nesta mesma tecla há algum tempo, mas agora com uma nova energia, a energia da alegria, da gratidão e da celebração.

O resumo da ópera é que não adianta nada fazer algo, realizar uma escolha, como se estivéssemos cumprindo ordens, batendo continência. É preciso realizar isso com amor, com gratidão, com entendimento. Sei que às vezes isso pode ser muito difícil (ô, se eu sei! rs), mas, acreditem, é necessário e os resultados são muito significativos.

Celebremos, pois... porque a vida não é sacrifício e dor, mas aprendizado profundo e feliz. :-)

Ótimo sábado para todos nós!

A imagem veio daqui


Príncipe de Ouros

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Depois de dois dias na vibração do 10, ora no aspecto bem concreto, ora no aspecto mais emocional, temos hoje a presença do moço que não brinca em serviço! Ele é aquele do "missão dada, missão cumprida". Não perde tempo pensando, planejando, filosofando... Ele parte para a prática.

Pois bem, preciso fazer uma defesa antecipada sobre o que eu acabei de escrever: não tenho nada contra pensar, planejar e filosofas. Aliás, eu adoro tudo isso! No entanto, o Príncipe de Ouros é sempre um alerta para a perda de tempo excessiva com essas coisas sem colocar a mão na massa.

Como nada acontece por acaso, eu já havia me esquecido qual era o Arcano de hoje, mas, perto de meia noite, conversava com o sócio na cozinha (nossas conversas de cozinha são famosas...rs) sobre um amigo nosso que costuma cair nessa armadilha, de ficar muito nos planos e discursos, mas não "pega no pesado" para resolver as situações que surgem pela vida.

Nos dias de hoje, isso é muito mais recorrente do que se pode imaginar! A razão é simples: vivemos em um mundo cada vez mais mental, intelectual e/ou virtual. As atividades manuais, concretas, estão ficando cada vez mais de lado. Costumo dizer que se a energia, a tecnologia e as indústrias desaparecerem poucos serão os humanos que vão sobreviver. Provavelmente, só os mais pobres, habituados com poucos recursos, e que moram em regiões inóspitas. 

Se vocês estão duvidando, basta que respondam a algumas perguntas: quem sabe cozinhar? Quem sabe plantar e colher? Quem sabe costurar sua própria roupa? Construir sua própria casa? Estamos muito dependentes de tecnologia, indústrias e profissionais especializados. Precisamos ser mais independentes!

Pois bem... Tudo isso que falei tem a cara do Príncipe de Ouros!

Ele é prático, direto e objetivo. Traça uma meta e vai cumpri-la! Então que tal fazermos isso? ;-)

Mas não vamos nos esquecer que hoje é uma sexta-feira de amorzinho (apesar de que tudo em volta diz que é a sexta-feira da paixão... não a paixão de amorzinho, mas a paixão de sofrimento...) Eu prefiro sempre celebrar o amor! E, afinal de contas, não foi sobre o amor que aquele cara tão bacana chamado Jesus Cristo sempre falou? Menos sacrifício e culpa e mais amor, por favor! O Mestre vai gostar, tenho certeza! :-) E assim poderemos celebrar no domingo o verdadeiro renascimento (e pra quem não sabe eu amo a Páscoa!)

Vamos fazer da nossa sexta-feira de Vênus um dia para colocar em prática o amor. Tanto o amor universal quanto o amor romântico (ah, sempre ele... ai,ai...) Amar é bom demais, gente!

Ótima sexta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui


10 de Copas

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Outro 10... Outro 10 lindo! De fato, o 10 de Ouros e o 10 de Copas são maravilhosos e, estranhamente, o 10 de Espadas e o 10 de Paus não são cartas legais, né?

Mas, como eu já disse, esta é uma semana excelente! Portanto, esperem somente cartas boas. Amém! :-)

O 10 de Copas não é apenas a carta do casamento e do amor maduro, é também a carta da família espiritual, ou seja, ela representa a conexão e a ligação com espíritos/pessoas afins. Sempre que esta carta aparece é sinal de que vamos ter a oportunidade de vivenciar alguma situação muito especial com pessoas com as quais temos pontos em comum.

Claro que as imagens do 10 de Copas que mais aparecem mostram famílias felizes e casais apaixonados. Mas podemos trazer essa interpretação para outros setores da vida também. Como hoje estamos sob regência de Júpiter, o foco da interpretação é em relação ao poder, o uso do poder e a relação com autoridades.

De forma bem resumida, podemos dizer que o poder de hoje é o amor. Também podemos dizer que podemos acessar autoridades e pessoas poderosas através do amor, do sentimento de conexão e pertencimento. Afinal de contas, todos estamos ligados e os conflitos começam quando nós cortamos esses laços ou quando nós esquecemos que eles existem.

A grande dica do dia é para trabalhar a própria energia amorosa, das mais diversas formas e nos mais diversos setores. O amor é o caminho, a solução e é o que vai fazer com que a sorte chegue mais perto de nós. Vamos exercitar esse sentimento e vamos torcer para que a sorte nos abençoe.

Que a quinta-feira seja bela e harmoniosa para todos nós.

A imagem veio daqui