6 de Ouros

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Bom dia! :-)

Desde o final de semana, estes têm sido dias, no mínimo, curiosos! Altos e baixos em tudo! Emocional, mental, espiritual e físico. Estou tentando compreender o enigma da Sacerdotisa...rs Tenho percebido em mim (auto observação é tudo no caminho do autoconhecimento) sentimentos e sensações que não via há anos... Décadas até! E, ao mesmo tempo, tenho percebido também coisas totalmente novas e desconhecidas e por isso, de certa forma, assustadoras.

Há pelo menos 15 anos eu deixei de ser uma mulher de fases, complicada e sem a perfeição poética da música, e passei a ser uma mulher mais ponderada e estável. Na verdade, neste período, na relação com diversas pessoas, eu era a criatura cabeça fria, que respirava fundo, contava até 50 e colocava tudo em ordem, ou pelo menos balançava a bandeira da paz, preferindo ser feliz do que ter razão. Minhas emoções pareciam a mudança das estações antes do tal aquecimento global, totalmente previsíveis e dentro do esquema. Pareciam! Porque desde domingo a noite que estou parecendo um iô-iô emocional! Tudo me afeta, tudo me abala e da mesma forma que estou com o coração aos pulos em um determinado momento, ansiosa, nervosa, irritada, no momento seguinte estou mais deboas que o Bob Marley! Vai entender?!

Ontem, o 8 de Copas apareceu só no começo da noite de maneira mais intensa. Mas já me deixou refletindo desde cedo. O que está acontecendo comigo? Estou levando muito a sério este negócio de retornar às raízes? Ou só estou sofrendo um choque de gestão interno, porque a vida está me colocando diante de situações inesperadas? Não sei mesmo... Mas estou dançando entre dois velhos, opostos e péssimos hábitos: me adequar às necessidades alheias sem expressar as minhas necessidades e querer ter o controle de tudo 24h por dia. O resultado? Deu ruim, sem dúvida! Uma bipolaridade de primeira grandeza!

Há tempos que eu digo: o problema não é saber o que fazer, o problema é saber a hora de começar e a hora de parar. Ou seja, a medida das coisas. No meio de toda esta reflexão, fiz confissões, aliás, troquei confissões com meu filho, altas horas da noite, na varanda de casa... Nosso lugar de poder...rs Passei muito tempo acreditando, em função do que ouvi na infância e adolescência, que eu era uma pessoa difícil e geniosa. Depois da transformação de mulher de fases em mulher madura, passei outros tantos anos acreditando que eu sou uma criatura pra lá de fácil, tranquila, deboas. Mas ontem de noite olhei pra dentro de mim, olhei pro 8 de Copas, olhei pra dentro de mim, olhei pro 8 de Copas e falei, com todo o espanto de quem se descobre: "mas não é que eu sou esquisita mesmo, gente!" Quando eu falo que sou alienígena, estou falando sério...rs Parece que eu vejo e sinto as coisas de uma forma totalmente inexplicável para as outras pessoas, o lance é que eu disfarço muito bem.

Se eu cheguei a alguma conclusão? Não... Ou melhor, algumas poucas. A primeira delas é que eu preciso, urgentemente, relaxar. A segunda é que, sim, eu estou fazendo resistência a uma série de coisas que estão acontecendo na minha vida. A terceira é que em relação a algumas coisas - definitivamente - tenho que fazer resistência mesmo, porque me atingem de forma bem concreta e prática, mas em relação a outras devo abrir uma garrafa de um bom vinho. A quarta (alguém ainda está contando?) é que se eu não falar o que quero e preciso, fica difícil de os outros adivinharem. A quinta é: sou capaz de mudar algumas coisas em mim, sim... Mas existem outras que se eu mudar, a estrutura toda vem abaixo e além de "não sou obrigada", não acho que seja conveniente. Vou parar de contar este negócio porque já está me irritando ;-) mas tem mais uma conclusão: conseguir olhar pra dentro de si com tanta sinceridade exige um tanto de coragem e isso é sinal de crescimento, que bom!

Bem, a esta altura do campeonato vocês devem estar se perguntando: mas e o 6 de Ouros? E eu respondo: o 6 de Ouros é a carta da generosidade, é a carta que fala do equilíbrio em saber dar e receber, e hoje eu estou contando com a generosidade de vocês que estão aqui lendo tantas reflexões! Gratidão, gente! :-) 

Depois de escrever tudo que escrevi, a única coisa que me vem à mente como dica para esta quinta-feira é: não tenham medo do mergulho interior, não tenham medo deste olhar de frente para as suas dúvidas, conflitos, ansiedades, medos... Só encarando tudo isso é possível crescer, amadurecer, evoluir. Esse processo sempre me faz sair melhor do que entrei, mais segura, mais feliz, mais lúcida diante de mim e diante da vida... eu recomendo!

Que a quinta e o Grande Benéfico Júpiter sejam generosos também!

A imagem veio daqui

4 comentários:

Jeruza Rosário disse...

Oi, Cacau, oi, gente...
Tempão que não escrevo nada aqui. É um montão de coisas acontecendo, coisas boas, mas é coisa prá caramba... Um turbilhão de muito trabalho, jornada duplicada..., ai começam aparecer as ansiedades, o cansaço...
E o melhor de tudo é que por aqui, o mergulho interior vai de vento em popa... Aqueles quesitos chatinhos vão clareando tão naturalmente que quando eu vejo, já foi... Tenho muito que trabalhar o desejo de controlar, o que é fonte de graaaaaaande parte de minha ansiedade, mas já ter esta consciência me possibilita ir domando esta parte de mim....
No mais, sinto que evolui bastante na entrega, na confiança e no agradecimento diário por tudo, ainda que rola minhas escorregadas...
Tô feliz, muito feliz, acredito que estou me empenhando bem no dever de casa...
Agradeço muito ao Via!
Xero no coração de todas e todos...
Jeruza

Aparecida Soares Silva disse...

Viamigos e Querida Cacau,

Obrigada pela força e pelas palavras de conforto. Sempre acreditei que Deus fala ao homem através do próprio homem e, portanto, devemos ser luz no caminho dos nossos semelhantes.
Sim, de fato algumas pessoas são, definitivamente, um fardo desnecessário em nossas vidas. Até mesmo porque algumas delas não são efetivamente felizes, sustentam imagens ilusórias que não condizem com suas realidades. O poder é transitório e nada é eterno. Apesar do sufoco, como você mesma enfatizou, estou encarando tudo isto com muita resignação e a esperança de que tudo vai dar certo. Um dia entenderei melhor esta experiência... De repente só passei por lá por um único propósito: conhecer uma pessoinha especial que está balançando meus sentimentos e inspirando meus dias...:)
Que sejamos sempre dignos de receber a generosidade da vida que está sempre presente nos amigos verdadeiros, nos momentos felizes, no amor correspondido, na proteção espiritual, nas superações e vitórias. Que venha neste dia muita generosidade e se for em moedinhas douradas do 6 de ouros também agradecemos!!
Beijos

Diogo França disse...

Boa noite pessoal do Via Tarot

Alguns anos acompanho a blog diariamente, apesar de nunca ter postado um comentário. E compartilho da egrégora do via tarot. Também estudo o Tarot, mas não só tento estudá-lo mas também vivê-lo, e suas palavras dessa última semana me deixou bem contente em saber que não sou o único louco que anda percebendo essas mudanças energéticas em nosso planeta. Fico feliz de compreender a sensação de conexão com essa egrégora e muito do que tu descreves vivencio aqui também. Por um lado essa energia que incomoda, move! E está nos conectando cada vez mais. Acredito que em um planeta com as pessoas conectadas com o Todo haverá mais respeito pela vida.
Parabéns pelo lindo esforço de publicar diariamente aqui!
Que venha nossa querida sexta venusiana que todos adoramos :D

Axé!

Cacau Gonçalves disse...

Boa noite, queridas e querido

Cada vez que leio comentários assim, tenho mais e mais certeza de que estou no caminho certo. Às vezes me canso, às vezes me perco, mas sou brasileira e não desisto! rs E sempre bom caminhar em boa companhia.

Gratidão!