4 de Copas

domingo, 28 de junho de 2015

Bom dia! :-)

Creio que esta seja uma das imagens mais lindas do 4 de Copas que eu já vi. Algumas pessoas costumam torcer o nariz para este Arcano, afinal de contas, a festa e a farra acabaram. O 3 de Copas é uma carta alegre, comemorativa, com uma energia bem mais leve. Mas é preciso compreender que a vida é feita de ciclos, de diversidade. Há um tempo para tudo, não é mesmo? E todos os momentos devem estar repletos de gratidão, porque eles são necessários.

Aprendi, com o tempo, a assimilar bem esta energia do 4 de Copas. Se por um lado eu sei que nascemos para sermos plenamente felizes através da expressão da nossa essência divina, por outro lado tenho consciência que isso não quer dizer, exatamente, viver em uma rave eterna.

A energia que temos hoje aqui é de pausa, de parada para refletir sobre as emoções, o que sentimos, o que esperamos dos nossos sentimentos e, diria até, a forma como devemos administrá-los quando eles envolvem outras pessoas.

Se juntarmos o significado do 4 de Copas com a energia do dia, a regência planetária de domingo (o Sol), fica ainda mais evidente que hoje é um dia de mergulho interior, é o momento de olharmos para dentro, de nos permitirmos sentir sem bloqueios. É impossível tentar compreender o mundo em volta sem entendermos nossos próprios processos, isso inclui nossos medos, nossas fugas, as resistências que fazemos a determinadas experiências e todas as situações hipotéticas que criamos para nos defender daquilo que nos assusta, normalmente porque nos sentimos sem o controle da situação.

Aqui está algo sobre o qual devemos refletir: não podemos passar a vida inteira nos colocando como vítimas do destino ou das outras pessoas. Todas as atitudes que temos nesta vida, ou a falta de atitudes, são de nossa inteira responsabilidade. Arriscar ou não arriscar, continuar ou retroceder, assumir um compromisso ou fugir dele eternamente com mil desculpas diferentes... tudo isso é nossa responsabilidade. O erro sempre vai acontecer, não na atitude ou na ausência dela, mas quando não assumimos que somos responsáveis pelo que virá como consequência. Assumir cada ato ou omissão, integralmente, é sinal de maturidade.

Portanto, podemos pensar que o 4 de Copas é uma carta de maturidade, de crescimento pessoal e espiritual. É o tempo que precisamos para perceber o que realmente queremos fazer para que nossa vida emocional esteja realizada. E isso ninguém pode fazer por nós.

Aproveitemos pois este dia de sabedoria.

A imagem veio daqui




3 comentários:

Aldo Luiz Fonseca disse...

Cara Maga e amigos

Disse-o muito bem:
"É impossível tentar compreender o mundo em volta sem entendermos nossos próprios processos, isso inclui nossos medos, nossas fugas, as resistências que fazemos a determinadas experiências e todas as situações hipotéticas que criamos para nos defender daquilo que nos assusta, normalmente porque nos sentimos sem o controle da situação.
Aqui está algo sobre o qual devemos refletir: não podemos passar a vida inteira nos colocando como vítimas do destino ou das outras pessoas. Todas as atitudes que temos nesta vida, ou a falta de atitudes, são de nossa inteira responsabilidade."

Sempre que dependemos do outro, e o outro pode falhar conosco, e falhará eventualmente. Daí qualquer felicidade (ilusórias expectativas) buscada fora de nós é absolutamente temporária. Ou seja; o ego escravista odeia assumir 100% de responsabilidades sobre suas escolhas. Haja faxina.

Sinto muito, me perdoem, os amo, sou grato.
E isso ninguém pode fazer por nós.
Aproveitemos pois mais este dia de sabedoria.

Cacau Gonçalves disse...

Meu querido amigo Aldo

Estes têm sido dias de muito aprendizado interior. E uma coisa que está me trazendo paz é o fato de eu me perceber tão diferente do que já fui. Tão mais madura, tranquila, confiante no fato de que não temos controle de nada e ainda assim confiamos e agradecemos a luz, a proteção e a orientação que a Divindade nos envia. Sempre que se tenta mudar as coisas na marra, estamos dando provas da nossa falta de fé na perfeição de Deus. Eu já não faço mais isso. Esta parte da lição já havia aprendido. Mas até há algum tempo eu aceitava, porém sofria. Agora, o nível de sofrimento é imperceptível. Sinto uma tristeza, uma saudade doce, vibro muito amor, perdão e gratidão e a coisa parece se resolver por conta própria. É como se eu não precisasse fazer nada! O Universo, as pessoas, as situações decidem por mim e eu confio que decidem pelo melhor.

Não tenho dúvidas de que a melhor forma de perceber se estamos no caminho certo é olhar, primeiro pra dentro, e ver se temos paz, tranquilidade, se transbordamos amor por tudo e todos, depois, olhar pra fora e perceber como nossa vida caminha. Quanto maiores os obstáculos e maiores os sofrimentos, mais faxina precisamos fazer. Quanto mais as coisas fluem de forma harmoniosa, mais estamos em contato com a Divindade e com o nosso próprio caminho.

Só tenho que agradecer por todas as pessoas que fazem parte da minha vida, agradecer a oportunidade de compartilhar com elas sentimentos bons, leveza, afeto, ideias... Vc já sabe que é uma dessas pessoas especiais, né? Sigamos, meu irmão, porque a vida é tão boa que devemos aproveitar cada minutinho!

Sinto muito, me perdoa, eu te amo, sou grata

Aldo Luiz Fonseca disse...

Maguíssima, diante dessa sua mensagem/admirável que eu nem sei o que dizer... Acho que o silêncio/reverencial ao seu Ser, neste fantástico momento, são mais que vazias impossíveis mil palavras.

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.
Beijo.