Rainha de Ouros

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Vou começar com duas notícias excelentes!

A primeira é que a semana toda acontecerá dentro do ciclo de Estrela, a nossa querida. A segunda é que não temos uma só carta, de hoje até domingo, que seja chatinha, enjoada, negativa.

Bem, dito isso, vem a expressão de espanto e alegria: olhem só quem voltou para nos visitar!!! Eu gosto muito desta Rainha... Apesar de que temos uma tendência a olhar para ela somente com o aspecto da praticidade, não podemos nos esquecer que , das quatro Rainhas, é nesta que encontramos o valor aos prazeres da vida.

A Rainha de Ouros é muito sensorial! Ela gosta de boa comida, boa bebida, conforto. deleites sensuais e sexuais. Afinal de contas o elemento terra traz as experiências para o corpo, ao invés de deixá-las presas na mente.

Em relação a isso, devemos sempre refletir sobre a nossa vida virtual, mental, intelectualizada, racionalizada e idealizada. Vira e mexe eu me pergunto: estamos mesmo vivendo? Ou estamos somente pensando na vida?

Vocês já se fizeram essa pergunta? Eu já... Várias vezes! Porque só existe uma forma de viver, de fato, a vida: quando estamos presentes no aqui e agora. Se ficamos com nossa mente presa no passado ou ansiosa pelo futuro, não conseguimos viver a vida, não conseguimos estar presentes aqui.

Ontem, aconteceu algo interessante... Eu trabalhei tanto, mas tanto, durante todo o dia... Um trabalho físico e não o trabalho intelectual ou intuitivo... Então eu fiz feira, arrumei as compras, rearrumei o escritório, desencaixotei mais coisas, organizei essas coisas, fiz comida, limpei casa... Que quando olhei o relógio levei um susto! Pensei que já eram umas nove horas da noite e eram somente sete. Como pode isso? Ainda mais nesses tempos em que tudo passa tão rápido? É que eu fiz muita coisa mas estava 100% presente no aqui e agora.

Talvez seja este o segredo da Rainha de Ouros, pensar menos e agir mais. O cansaço é físico, mas é só físico... Sem stress, ansiedade, sem tempo para frustração.

Nesta segunda-feira de Lua,  regência que nos faz pensar em magia e espiritualidade, vamos usar toda a praticidade da Rainha de Ouros para colocar nós mesmos e nossa vida em harmonia? Cuidar da saúde energética e espiritual é um excelente caminho! Banhos de ervas, meditação, yoga, limpeza energética na casa e no ambiente de trabalho. Vamos? ;-)

Ótima segunda-feira para todos nós!

A imagem veio daqui

Um comentário:

Fernando Augusto disse...

Tudo já foi dito.
Basta agora continuar repetindo.
Não para que me ouçam.
Mas para que eu me lembre - F.A.

Há um filósofo que dizia que o único pecado é esquecer.

Olhamos para o mundo e o que vemos? A incessante repetição. O mundo é uma incessante repetição e isto conduz a rotina. Se queremos nos sentir vivos devemos quebrar a rotina, romper paradigmas, superar limites, fazer o novo a cada dia para justificar o próprio ato de viver. Viver é praticar o novo a cada dia em meio a incessante repetição do mundo.

Nihil novi sub sole.

Não há nada de novo sob o sol, diz a Bíblia.

Mas nem toda a repetição é rotina chata, antes didática pois aprendemos pela repetição, assim o Tarot volta e meia repete, num curto espaço de tempo, alguns arcanos para que não cometamos o único pecado: o esquecimento, por isto esta Rainha de Ouros está novamente aqui tendo aparecido na última quinta-feira. Talvez seja bom reler o que foi escrito nesta data. Esta é uma boa idéia!

Quando falamos em esquecimento como o único pecado revolucionamos todo o conceito de pecado e de erro, pois deixa de haver o tal pecado original para que o esquecimento da nossa origem (divina) torne-se o único pecado, por exemplo. A Rainha de Ouros valoriza o que há de mais importante através da constância. Constantemente precisamos nos lembrar de nós mesmos e daquilo que mais importa, de nosso propósito: viver!

Por isto há um valor e uma benção disfarçada no erro.

Pois é a partir do erro que encontro o caminho. "Desviar-se também é caminho". Abençoado erro! Minha tarefa, portanto, requer uma atitude fundamental: lembrar de mim mesmo para não repetir-me, para não repetir o erro: o esquecimento.

Abençoado seja o erro que se sabe!

Em meio ao mundo, em meio as pessoas e as máquinas-humanas devo lembrar de mim mesmo, não me repetir, só assim terei alguma chance de escapar do sistema que transforma humanos em máquinas.

Esta é uma tarefa pessoal, única, intransferível, diária, perpassada pela solitude, pois trata-se de sair da massa e cultivar a lembrança que conduz à consciência. A solitude não implica numa atitude anti-social, antes é o cultivo de uma autêntica individualidade, aquela individualidade que culmina na criação de uma alma de verdade.

"Com constância possuireis vossas almas."

Quando apesar de todo o burburinho a mente brilhar em paz, suspenso de todo o julgamento e com o corpo perfeitamente relaxado, saberei que tornei-me eu mesmo, uma alma, chama alimentada pela calma mesmo diante do vento, o templo da presença Eu Sou.

Tudo já foi dito.
Basta agora continuar repetindo.
Não para que me ouçam.
Mas para que eu me lembre.

A Rainha de Ouros se repete para nos lembrar, para não nos deixar esquecer. O seu nome é Constância.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.