O Sol

domingo, 27 de abril de 2014

Bom dia! :-)

A proposta de hoje é bem diferente! Assim que vi que o Arcano de hoje é o Sol, comecei a cantarolar uma música do Legião Urbana que eu gosto muito e percebi que nela temos vários ensinamentos que unem o regente do ciclo anterior, Julgamento, e o regente do novo ciclo que começa hoje.

Temos revelação, temos clareza, temos transcendência, temos mundo material e mundo espiritual e temos a união desses dois aspectos.

Vamos lá? (vai lá embaixo e dá um clique logo no vídeo, para ler com trilha sonora! ;-)

A primeira quebra de paradigmas detonada pelo Sol, na música, diz que o caminho é um só. Isso já é surpreendente, levando-se em conta que estamos em um muito de diversidade, um mundo em que existem mil conceitos, ideias, crenças... Mas o caminho é um só. Unidade na diversidade.

A humanidade é desumana, ok... Sem novidades até aqui...rs Mas ainda temos chance: sim, temos chance! Existe esperança e esta é a primeira revelação. O Sol nasce pra todos... Então vamos aproveitá-lo neste domingo de regência solar (duplo sol?) e vamos iluminar o nosso interior, vamos colocar luz em aspectos que preferimos ignorar ou esconder até de nós mesmos.

E então tem a estrofe mais "violenta" (no bom sentido) de todas, que é pura filosofia budista para nossos ouvidos e nossa alma:

"Até bem pouco tempo atrás,
Poderíamos mudar o mundo,
Quem roubou nossa coragem?
Tudo é dor,
E toda dor vem do desejo,
De não sentirmos dor"

Este é um processo natural e basta olhar em volta para percebermos. Quando somos jovens, queremos mudar o mundo, queremos dar nossa contribuição, queremos deixar registrada a nossa passagem pelo planetinha azul. Conforme vamos ficando mais velhos, vai batendo um desânimo e a sensação de que não adianta nada mesmo, tudo vai continuar do mesmo jeito. É aí que começamos a envelhecer de verdade, é aí que começamos a morrer em vida. 

Além dessa apatia, começamos a sofrer de uma forma diferente. Não é aquele sofrimento da paixão, da ânsia de liberdade, dos exageros do idealismo e do coração. Não. Começamos a sofrer por antecipação. Começamos a sofrer porque temos medo de sofrer. É o medo do medo. Não queremos sentir dos (de novo), porque já carregamos cicatrizes do passado. E é o apego ao estado utópico de suspensão, onde não há dor, não há mudança - que, na verdade, é inerte, morto, porque vida é transformação constante - que traz, aí sim, a dor, verdadeiramente.

Pois bem, finalizamos lembramos que o Sol está aí, iluminando, trazendo vida, força, vitalidade. E o caminho é um só. Eu diria: é o caminho do amor, é também o caminho único que cada um deve seguir (o mesmo caminho não serve para todo mundo).

Sigamos pois, o caminho do Sol! Para que ele possa nos aquecer e iluminar neste período que já coloca o pezinho no Inverno (começa semana que vem, chega ao ápice dia 21 de junho). Que assim seja! Ótimo domingo para todos nós! :-)

A imagem veio daqui

2 comentários:

Fernando Augusto disse...

Deixa o Sol entrar...

A verdade é que ninguém sabe o que é a verdade, então reina absoluta a ignorância, a manipulação, a religião e o jogo de interesses.

A verdade não pode ser uma crença, pois ninguém acredita na existência do sol, ele existe, é verdade e pronto. Dispensa a crença.

Mas a crença pode se tornar uma verdade como prova o efeito placebo e seu inverso, o efeito nocebo. Por isto está escrito no Novo Testamento o seguinte:

A tua fé te curou.

Assim não é Jesus ou Deus que cura, é a fé, é a crença no efeito curador. Assim o poder está dentro da pessoa e não fora dela, apesar dela acreditar tanto que algo ou alguém pode curá-la que ela então se cura. O poder verdadeiro está dentro de cada um e não fora como querem as religiões manipuladoras de crenças, que alienam o ser humano de seu verdadeiro poder interior. Assim, a fé e crença são palavras que mascaram o poder real dentro de cada um de nós.

A crença pode gerar um efeito real, a mentira produz um efeito concreto, como prova o efeito placebo, a hipnose. A percepção humana pode ser manipulada de diversas maneiras para não perceber a verdade, para não ver o que é, portanto, para perceber a verdade uma pessoa tem que estar imune às manipulações de sua percepção.

Importa é trabalhar e compreender este poder verdadeiro e real, libertando-se das crenças exteriores. Importa em não adorar nada ou ninguém, mas em cultivar em si o poder real, o poder interior, o poder pessoal.

O primeiro passo para cultivar o poder em si mesmo é ser profundamente honesto consigo mesmo.

Como fazer isto?

Eliminando todo o tipo de crença, desapegando-se de toda a religião implantada em sua mente, derrubando todos os ídolos forjados em si e reconhecendo que o poder está dentro de si, por isto foi dito:

O reino de deus está dentro de vós.

Por isto o próprio Jeshua disse:

Eu Sou o caminho, a verdade e a vida.

O engano aqui está em acreditar que ele estava se referindo a sua personalidade, quando na verdade estava se referindo ao poder interior existente dentro de cada um caracterizado pela expressão Eu Sou.

Desapegar-se da crenças não é tarefa fácil, viver sem apoios ou amortecedores, lidando com a Vida sem ideologias de conforto, de consolo é tarefa para seres autênticos, que estão dispostos a viver dentro da Luz, dentro de uma espiritualidade real, que se baseia na experiência e não na crença, que se baseia numa honestidade implacável e não em teorias fantásticas, assim deixe o Sol entrar:

hhttps://www.youtube.com/watch?v=eqrucFXfP_o&feature=kp

Larissa disse...

Depois de quatro meses, hoje foi o primeiro dia em que saí sozinha à rua, sem alguém para me ajudar com a bolsa ou a cadeira de rodas ou as muletas. Fui apenas até um taxi na porta do prédio, mas voltei a poder ir e vir. Lembrei do Via quando me dei conta...

Beijos a todos os queridos! Obrigada como sempre à Cacau pelos posts e ao FA pelos comentários, e a toda a egrégora do Via que mantém a energia desse lugar tão boa, e tão precisa.