O Julgamento

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Bom dia! :-)

Eu não poderia colocar aqui, em plena sexta-feira de Vênus, uma imagem apocalíptica da carta do Julgamento, né? rs Então busquei uma imagem vem mais bucólica, romântica e delicada. E vou fazer a análise do Arcano de hoje bem adaptada a esta imagem.

Aliás, a primeira consideração do dia: em quase quatro meses deste ano de 2014, esta é a primeira vez que o Julgamento aparece por aqui. Diante desta observação, fui fuxicar com mais atenção a presença de Arcanos Maiores por aqui este ano e descobri que dos 22, somente 10 apareceram por aqui. Cartas como a Justiça, a Temperança, a Lua e o Mago nem deram as caras por enquanto. Enquanto isso, o Enforcado já nos visitou três vezes e a Imperatriz e a Sacerdotisa, duas vezes cada.

Mas vamos lá... Falar do Julgamento...

Na imagem, temos um ser elemental que observa a si mesmo no reflexo da água. A primeira pergunta que não quer calar é: qual é a revelação que se obtém quando olhamos para nós mesmos? E, já que estamos em dia de focar no relacionamento, qual é a revelação que alcançamos quando olhamos o nosso reflexo no outro, com o qual nos relacionamos?

Ninguém se relaciona com alguém à toa. Existe sempre um vínculo, uma razão para escolhermos o nosso par. Pode ser pela semelhança, pode ser porque ele tem algo que, absolutamente, não temos, não possuímos em nossa estrutura de ser. Pode ser também que ele tenha características próximas de alguém que já amamos, especialmente as pessoas que são nossa principal referência de amor: pai e mãe.

Através do nosso par, temos a possibilidade de descobrir coisas incríveis sobre nós e sobre a nossa vida. Basta que tenhamos a sensibilidade e a atenção para perceber isso. 

Uma outra coisa interessante para analisar na imagem é que temos, além do personagem central, a água fluida que reflete e a vegetação em flor. A revelação mais brilhante de uma planta é a sua flor e seu fruto. É aquilo que existe de forma oculta, até que na época certa, no momento certo, acontece a revelação.

Aí também podemos perceber que tudo que acontece no presente, por mais surpreendente que pareça ser, veio do passado, tem sua origem lá atrás... em algum lugar do passado, daí temos uma frase repetida quando falamos de Julgamento: está na hora de colher o que foi plantado...

Portanto, vamos aproveitar o dia de hoje para traçar algumas linhas, unindo o passado ao presente, para que possamos compreender melhor as coisas que nos acontecem. E vamos ver no companheiro ou na companheira, ou ainda nas pessoas mais próximas com as quais nos relacionamentos, coisas incríveis e reveladoras sobre nós mesmos.

Ótima sexta de amorzinho para todos nós! :-)

A imagem veio daqui

3 comentários:

Rodrigo Julkowski disse...

Boa tarde =)

Interessante também que o reflexo na água é um homem comum e não do ser elemental, né ?

Nubia Souza disse...

Boa Noite Cau!

Quanto tempo...

Ser ver no outro. Olhar pra dentro. Mudar, se transformar! Pessoas chegam e saem de nossas vidas e deixam impressões, marcas.
Vivencio o final de um relacionamento, estupidamente desgastante onde o que você descreveu no post de hoje, caiu como uma luva. Me ver refletida nele de uma forma ruim, revela que continuo a repetir as mesmas atitudes, com as quais me saboto sempre... conclusão dolorosa.
Por isso, Caríssima Claudia, veja ai na sua linda e concorrida e apertada agenda um horário pruma consulta urgente... preciso da sua orientação mágica e perfeita! No mais,afirmo: seu dom de tocar as pessoas e torná-las mais conscientes de si, é maravilhoso! Persista sempre, valerá a pena!

Gratidão sempre, todos os dias!

Uma ótima noite!

Rafael Granado disse...

Lindo texto