Ás de Ouros

domingo, 5 de julho de 2015

Bom dia! :-)

Ok, meu dia de ontem nem foi tão "eremítico" assim...rs A proposta era um dia inteiro sossegada, trancada em casa, embaixo das cobertas, vendo filme. Mas acabou que eu precisei sair de manhã para ir ao mercado, passei na praça, estava tendo um evento, tinha meus amigos Serginho, Thyagui e Leo (imagina! O menino é filho de um amigo e tá tocando uma batera lindamente!) em uma apresentação e eu fiquei lá curtindo. Onde tem música boa, lá estou eu! rs E depois, de tarde, dei outra saidinha e acabei encontrando uma outra pessoa e, vocês sabem, assunto nunca falta...rs É tanto assunto que ainda devo fazer visita depois de escrever a postagem (sim, hoje estou escrevendo a postagem antes das 20h).

Escrevi tudo isso para vocês entenderem algo fundamental, sobre o qual eu falo sempre, e que outro dia uma cliente me disse que não costuma ouvir as pessoas que trabalham com tarot falarem: o livre arbítrio é para ser usado, ele existe! Hoje, eu posso estar muito com a energia do Eremita - e de fato estou: reflexiva, mais quieta... -, mas não preciso me isolar do mundo. Posso colocar minhas perninhas pra andar por aí e encontrar a luz fora também, não somente dentro.

Uma das coisas mais incríveis do Via Tarot foi tão surpreendente para mim quanto para as pessoas que me leem. Quando eu comecei este blog, há quase oito anos, minha intenção era, basicamente, me treinar em disciplina (escrever uma postagem todo santo dia é um ato que exige disciplina) e compartilhar com as pessoas a minha visão do tarot e como eu interagia com ele em termos práticos. A ideia nunca foi ensinar tarot, apesar de que várias pessoas usam o Via Tarot para estudar e pesquisar. Com o tempo, aquilo que eu escrevia e que tinha a ver com a minha vida, de uma forma muito misteriosa, começou a descrever a vida de vários outros leitores. Fiquei pensando que processo estranho poderia ser aquele, até que me lembrei da sincronicidade de Jung e do conceito de egrégora (quando várias pessoas frequentam o mesmo lugar, convivem, estudam, etc juntas, elas começam a formar um tipo de círculo de energia que é resultante da mistura e interação da energia de cada uma das pessoas). Parece que é isso que temos por aqui e é isso que também explica o fato de uma pessoa passar um bom tempo sem ler o Via e quando ela sente uma súbita vontade de fazer isso, chega aqui e encontra o tema que ela está vivendo naquele momento. Mistérios! Eu já desisti de tentar entender tudo e a ter um pouco mais de humildade diante do Grande Mistério, a Divindade.

Uma outra coisa que aprendi pelo caminho é que a sincronicidade é um tipo de sinal que nos aponta a rota certa a ser tomada. Quando estamos alinhados com a Divindade, tudo flui, as coisas acontecem sem que tenhamos que batalhar exaustivamente por elas. Isso me lembra um discurso do agente Smith, em Matrix, quando ele fala que o primeiro mundo virtual criado era só felicidade e harmonia e acabou virando um caos. Parece que os humanos acreditam que só existe vida com sofrimento, só existe amor com dor, só existe sentido na vida se tivermos que ir para a guerra, lutar, sofrer, machucar e ser machucado. Eu acho que não sou humana. (preciso declarar), e creio que a sincronicidade não é sentida por todos, porque muitos não conseguem se alinhar com a Divindade. Isso não quer dizer fazer tudo certinho, nem ser perfeito, é apenas despertar a consciência para um fato: existem coisas além da matéria, além do que enxergamos e tocamos, existem forças espirituais agindo e existem tantos seres acima de nós que fica difícil, muito difícil, tentar perceber quem é Deus, Aquele... o tal... o Criador de todas as coisas. É como uma ameba tentar entender os humanos.

A sincronicidade explica o tarot... Explica a egrégora... Explica a maioria das coisas aparentemente inexplicáveis que existem no mundo. Quando ficamos perdidos em nossos pensamentos compulsivos, tentando entender o mundo ou ao menos o que acontece em nossas vidas, é a sincronicidade que nos salva da loucura, é ela que nos mostra nossa pequenez, é ela que ensina que não será o intelecto que vai trazer as respostas mais importantes, mas uma percepção indescritível de estar no lugar certo, na hora certa, com a pessoa certa, da maneira certa. Não porque não existem outras possibilidades, mas porque é a possibilidade que flui (e a percepção é tanto externa quando interna) sem que a gente tenha condição de mandar parar, porque a impressão é que é aquilo mesmo que tem que acontecer. E isso dá uma sensação de estarmos conversando com Deus (e nos entendendo...rs)

Pausa: por favor, coloquem a música no final da postagem pra rodar... tenho certeza de que isso vai ajudar bastante na compreensão do Arcano de hoje.

Por que falei isso tudo? Ah, porque é legal...rs Passo muito tempo refletindo sobre essas coisas... Mas também para que possamos entender o quanto que tem de sincronicidade no Ás de Ouros, que, como todos os Ases, fala de começos, é como uma semente do naipe, da energia do naipe. Assim, o Ás de Ouros é a semente da concretização-terra, ele ainda não é o fato, em si, concreto, materializado diante de nós... Mas ele mostra que existe um potencial de realização forte, ele é a promessa da estabilidade, da estrutura, do fato concreto que está se formando.

Mas que fato concreto será esse??? Simples... (nem tanto...rs) hoje é domingo, dia da semana cuja regência planetária é do Sol, dia de trabalhar o autoconhecimento, dia de tentar entender a pessoa com a qual deveríamos, de verdade, tentar um bom relacionamento: nós mesmos. Então, eu diria que o fato concreto é a construção do nosso ser, mais evoluído, mais maduro e mais feliz.

Vamos? Eu tô tentando! Eu juro que eu tô tentando! Beijo na Paula Toller! rsrsrs *piada de bastidores*

A imagem veio daqui


5 comentários:

Aldo Luiz Fonseca disse...

Ótimo dia Claudíssima, admirável é este seu fôlego para nos dar carinhos em caminhos.
EU TO TENTANDO é qualquer coisa igual ao PRINCÍPIO DA INCERTEZA DE HEISENBERG?

Segundo Werner Heisenberg, para encontrar a posição correta de um elétron, é necessário que ele interaja com algum instrumento de medida, como por exemplo, uma radiação. A radiação deve ter um comprimento de onda na ordem da incerteza com que se quer determinar esta posição.
Quanto menor for o comprimento de onda, maior é a precisão do local onde está o elétron.
Quando se consegue descobrir o local provável onde está o elétron, este elétron já não estará neste local.

E como disse vc, também muito bem: "Quando estamos alinhados com a Divindade, tudo flui, as coisas acontecem sem que tenhamos que batalhar exaustivamente por elas. Isso me lembra um discurso do agente Smith, em Matrix, quando ele fala que o primeiro mundo virtual criado era só felicidade e harmonia e acabou virando um caos.

Se estamos alinhados e não flui (principio da incerteza), também é certo admitir que: Se vc tá eu tô. Se vc não tá eu não tô... Continuo estando..., onda (seria o princípio da certeza?). O "grande problema" (se é que isso existe, problema) é mesmo o (des?)alinhamento (mudança de frequência)... Aí o cara pode passar uma encarnação inteeeeeira "tentando", sem "o sucesso". Tudo é, certa/mente, oportunidade de limpeza desse nosso escravista caótico subconsciente de divinos "amebas" bípedes (rs, elas não merecem).

Contribuindo felicidade e harmonia, sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato e um sonoro beijíssimo.

Maria Clara disse...

Realmente Claudinha, Santa Sincronicidade.
Eu também estou "Tentando", juro que estou. Mas com este As agora Vai, nem que seja no Tranco.
Abraço Fraterno.

Cacau Gonçalves disse...

Oi, Aldo!
Oi, Clara!

Aldo, a física moderna me fascina, especialmente porque, de várias maneiras, ela admite que não sabe porcaria nenhuma...rsrsrsrs Ou, melhor explicando, ela demonstra que consegue descobrir os processos ou "como a coisa acontece", mas ela não sabe porque acontece e o que acontece parece estar sempre driblando o olhar e o saber humanos... Me fiz entender? Ou fui que nem a Natureza para os olhos do observador? ;-)

Clara, continuemos a tentar! Vale a pena, eu tenho certeza!!! :-)

beijoss

Emile Andrade disse...

Bom, minha defesa de TCC é quinta agora Claudinha (09/07), meu tema como acredito já ter te dito é "A teoria da sincronicidade e o Tarot"... Me deparar com um Ás de ouros no domingo que abre a semana e com um texto desses, como não acreditar em Sincronicidade, como não acreditar que tudo dará certo? Gratidão <3

Aldo Luiz Fonseca disse...

Se fiz entender. E me fui que nem a Natureza para os (lindos) olhos da observadora!

;-) Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.