Roda da Fortuna

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Bom dia! :-)

 Creio que este é um recorde (pra menos)! Esta é a segunda vez que a Roda da Fortuna aparece aqui no Via Tarot este ano. Isso me trouxe a ideia de, no dia 31 de dezembro, fazer uma postagem mostrando quais os três Arcanos que mais apareceram aqui e quais os três que menos apareceram e se houve algum que, simplesmente não apareceu. Com isso, teremos uma visão geral do ano, uma retrospectiva diferente.

Mas vamos analisar esta Roda e sua passagem por aqui apenas duas vezes...

Meu primeiro pensamento foi: mas neste ano aconteceram tantas coisas loucas, tantas viradas! (pelo menos pra mim...rs) Então, veio a dedução mais lógica: sim, mas todas as mudanças foram resultantes de decisões e movimentos pessoais, não foram resultantes de um agente externo.

O maior exemplo do que estou falando é minha vida neste momento. Resultante de uma decisão do sócio, que teve meu total e irrestrito apoio. Está gerando uma sensação de desconforto inicial, que está sendo bem administrado, porque existe em nós a confiança, a certeza, de que algo novo e proveitoso vem por aí. Então, a virada foi resultado de uma atitude tomada, de forma consciente. Ou seja, isso espelha muito mais a carta da Morte do que da Roda da Fortuna.

Estão entendendo a ausência da Roda na maior parte do tempo?

Aqui levanto um debate: podemos pensar que quando temos mais consciência de nossos atos e quando temos mais poder pessoal não estamos tão sujeitos ao acaso ou ao "destino" (que seriam representados pela Roda da Fortuna). Isso é muito bom... Mas aí vem o complemento: será que então não estaríamos, de certa forma, restringindo possibilidades outras, possibilidades que não incluímos na nossa Vontade porque, simplesmente, não tivemos o alcance de imaginá-las? Até que ponto devemos conviver com o inusitado? Até que ponto o exercício da permissão para que venha o novo é a entrega que nos permite ser surpreendidos por algo incrivelmente bom?

Gente, depois dessa, eu deveria parar de escrever e me recolher, para que ficasse no ar essa reflexão bombástica...rs Mas vou falar mais um pouquinho só...rs

Saber lidar com a surpresa é um aprendizado. Um aprendizado que rompe o condicionamento negativo de pensar que sempre que algo que não está sob o nosso controle acontece, será ruim. Isso é reflexo de memórias extremamente negativas! Que precisamos superar e reverter! Se emanarmos positividade (e não estou falando de "rezar" o Ho'oponopono sem sentir o que se está falando e nem de usar neurolinguística da boca pra fora), certamente qualquer coisa surpreendente e inesperada que aconteça será positiva. Isso não quer dizer que tudo sempre acontecerá de acordo com a nossa vontade, mas que tudo sempre acontecerá da melhor maneira possível para nós.

Ter a compreensão disso faz com que a gente olhe para a Roda da Fortuna de uma forma totalmente diferente. Foi assim que eu fiz as pazes com ela (outro dia me perguntaram como foi, olha aí a resposta! rs)

Que a Roda nos traga novidades e surpresas nesta sexta-feira de amorzinho, e que tenhamos feito a nossa lição de casa direitinho para que o inusitado venha em forma de beijinhos e carinhos (amém!) :-)

A imagem veio daqui


2 comentários:

Clara disse...

Bom Dia
"BRILHANTE" Claudinha, Como Sempre.
Amei esta "Fadinha" da carta. Que Tarot Lindo.
Excelente Final de Semana para você e Tio.
Namastê!!!

Fernando Augusto disse...

A Roda gira e marca um novo ciclo. Estamos a um dia do dia mais longo do ano, o solstício de verão e o mundo de ilusão da matrix dominante celebra uma festa de inverno embalada pela propaganda do sistema. O Deus-Sol alcança seu poder máximo e este é um momento extremamente mágico!

O mundo está prestes a celebrar o nascimento falso de Jesus e no céu o movimento real do Sol no hemisfério sul é de plenitude. Estamos prestes a adentrar ao verão. Cristo é um deus solar. Assim como é Apolo, Mitra e Rá.

Obviamente que o sistema não nos quer alinhados com o verdadeiro movimento de nossa Mãe, com a Terra. Muitos de nossos males psíquicos e espirituais podem ser curados através de nosso alinhamento com o movimento natural, vital do Planeta.

Estamos no ponto alto da Roda e o ponto máximo é o mais poderoso e também o ponto de declínio indicando que algo que alcança o seu máximo poder depois tende a fenecer.

Assim o mistério da Roda nos revela a condição efêmera de todas as coisas e de como precisamos ser humildes em meio ao poder, como precisamos ser sóbrio face as delícias do mundo e do viver.

O nosso poder faz a Roda da Fortuna girar e ela ganha força própria. A própria Natureza faz a Roda girar e nos alinha com outras energias, outros estilos, outras formas de ser.

O Tarot nos permite uma nova conexão com nós mesmos, para além das influências de um sistema de vida artificial, o Tarot nos permite perceber os movimentos da energia para além das manipulações de um sistema marcado pela negatividade, pelo desalinhamento e pela confusão. Por isto não podemos reduzí-lo a uma leitura meramente divinatória.

Há nele uma inteligência perfeitamente alinhada com o movimento do Universo e da Natureza.

Nosso agradecimento e reconhecimento a este Poder que aqui se manifesta.

Fica aqui a nossa pequena celebração com a música de Vivaldi, o seu Verão das 4 Estações:

https://www.youtube.com/watch?v=g65oWFMSoK0

Vos amo, sou grato.