10 de Copas

domingo, 8 de dezembro de 2013

Bom dia! :-)

Todos podem, oficialmente, abrir seus sorrisos :-) Em um ciclo de Sol demos nosso primeiro passo com um 10 de Copas, fica difícil pensar em algo mais belo, amoroso, gratificante.

Antes de falar sobre a carta, gostaria de falar sobre o dia, o meu dia no caso...rs Hoje eu vou participar de uma vivência (mais uma) do Sagrado Feminino. Como costumo dizer, dei os meus primeiros passos no Sagrado Feminino quando esse nome ainda nem existia! Chamávamos de bruxaria, caminho feminino, sabedoria ancestral feminina. Não por acaso foi no ano em que meu filho nasceu, 1993. Lá se vão 20 anos!

De lá pra cá, venho acumulando conhecimento, experiência, práticas, vivências... Fazendo cursos, observando muito e dando já algum suporte para minhas clientes durante as consultas de tarot no sentido de redescobrir e resgatar o feminino que elas (todas nós) perderam pelo caminho, vivendo neste mundo de princípios e valores tão masculinos. No entanto, o projeto de resgatar o trabalho presencial (que já aconteceu em 2007, em São Lourenço) e o trabalho virtual, que aconteceu em 2012, voltados para as mulheres está em plena efervecência! E neste momento estou aproveitando para buscar uma troca com outras profissionais e grupos que fazem o trabalho com o Sagrado Feminino nos mais variados aspectos: saúde, beleza, psicologia, sexualidade, arte... E hoje terei mais uma oportunidade de novos contatos.

Portanto, enquanto vocês sorriem para o 10 de Copas estarei sorrindo junto com outras mulheres em um trabalho de celebração da Deusa que há em nós. :-)

Bem, falar do 10 de Copas é falar de realização, alegria e êxtase. É falar da sensação (incrível!) de "pertencimento". Porque sempre que esta carta aparece temos a oportunidade de entrar em contato com pessoas, situações, lugares que nos fazem sentir mais integrados, porque nos são familiares, porque são afins com a nossa energia. A palavra plenitude transmite um conceito que se encaixa perfeitamente com a energia do 10 de Copas e é essa plenitude que temos por aqui hoje.

O domingo, consagrado ao Sol, é o dia em que costumamos falar sobre o autoconhecimento e trabalho interior. Vamos aproveitar para descobrir o que nos traz a plenitude e perceber que algumas pessoas nos possibilitam vivenciar esta plenitude com mais facilidade (enquanto outras parecem travar nossas sensações de plenitude).

Que o dia seja um 10 de Copas manifestado! :-)

A imagem veio daqui

2 comentários:

Clara disse...

Bom Dia

Depois do SOL, um 10 de Copas, Eu Mereço e Agradeço.

Gratidão!!!

Fernando Augusto disse...

O portal do êxtase e da liberação da consciência está aberto.

Domingo, dia do Sol, dia do 10 de copas, a espirtualidade de cada um pode atingir picos elevados, deixando para a semana que entra as melhores vibrações energéticas para superarmos os nossos desafios internos e externos.

O 10 de copas seguido do Sol pode exprimir uma importante realização no campo do espírito, campo este que é a fonte da sabedoria do Tarot, assim deixo esta passagem de um belo texto budista para expressar minha gratidão ao Dharma, ao Conhecimento, aos Jinas, aos Budas e a Inteligência que se manifesta aqui Via Tarot.

[26-27] "Hoje o meu nascimento chegou à maturidade e recebo pleno proveito da minha qualidade de ser humano. Hoje, nasci na família dos Buddhas, hoje sou um filho de Buddha. Agora, resta-me agir em conformidade com um homem que respeita o costume da sua família; não receba ela de mim uma mancha que altere a sua pureza."

[28] Como um cego que encontra uma jóia num monte de esterco, em mim surgiu, não sei como, esta Bodhichitta.

[29-32] É um elixir que nasce para abolir a morte do mundo, um tesouro inesgotável que acaba com a miséria do mundo, um remédio incomparável que tira a doença do mundo, uma árvore sob a qual o mundo repousa, cansado de errar pelos caminhos da vida, uma ponte aberta a todos os que chegam, para os conduzir para além das vias dolorosas, uma lua espiritual em luar que refresca do escaldão das emoções negativas do mundo, um imenso sol que dissipa as trevas da ignorância, uma nova e untuosa manteiga, filha da nata bem batida do leite do bom Dharma.

[33] Eis preparado o banquete da alegria para a longa caravana humana que segue pelos caminhos da vida, faminta de felicidade. Venham todos saciar-se!

[34] Hoje, na presença de todos os Protetores, convido toda a gente ao estado de Buddha e, até lá, à felicidade! Que os Devas, Asuras e os demais se regozijem!

[Os Asuras, também chamados de semideuses, antideuses ou titãs, batalham constantemente contra os Devas (deuses de longa vida), de quem invejam as riquezas.]

[Adaptado de O Caminho para a Iluminação — Bodhicaryavatara. Coleção Espiritualidades, série Budismo, sob a direção do Ogyen Kunzang Chöling. Escrito por Shantideva, tradução para o português por Filipe Valente Rocha. Lisboa: Livros e Leituras, 1998. Pág. 45-49. O texto foi gentilmente transcrito por Sherab Chötso. Para adquirir o livro, por favor entre em contato com a União Budista Portuguesa.]