A Força

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Bom dia! :-)

O ciclo virou! Estávamos transitando na energia da Imperatriz e agora captamos as emanações da Força. Pontos a serem analisados: 1) continuamos vibrando uma energia feminina poderosa 2) a criatividade pode ter se transformado em poder 3) a capacidade de comunicação pode dar uns passinhos para o lado da diplomacia 4) a fertilidade é revertida em foco, equilíbrio interior e capacidade de driblar adversidades.

A carta da Força é sempre olhada como uma carta de combate, um combate mais sutil e inteligente, mas um combate. Eu, particularmente, olho para esta carta de uma forma bem mais poética. Vejo aí a capacidade de evitar as guerras e isso me lembra a lenda da espada quebrada, que aparece em várias histórias, livros, filmes. Entre as diversas origens dessa lenda, está a que diz que um anjo quebrou a lâmina desta espada para evitar matanças injustas. No filme que eu amo - "Hero" - Espada Quebrada é o nome do personagem que compreende a razão da existência humana como sendo "unificar tudo abaixo do céu". Através desta percepção, a guerra perde totalmente o sentido.

A verdadeira vitória é evitar a guerra e não lutar bravamente. E alcançar este ponto de evolução é algo que exige muito esforço, disciplina, foco... Porque os sentimentos existem, as emoções existem, as caraminholas na cabeça existem, a reatividade existe... E as pessoas costumam confundir muito o ser pacífico com ser submisso, o ser generoso com ser bobo, o ser paciente com o ser indiferente. Particularmente, já vivi situações bem bizarras nesse sentido. Pessoas que agiram das formas mais insuportáveis enquanto eu fui trabalhando meu ego, fui me harmonizando, fui compreendendo as suas motivações (por mais que eu as considerasse equivocadas) e enquanto eu fiz isso as pessoas não mudaram em nada. Elas só saíram do comportamento repetitivo agressivo quando eu dava um basta... Um tom mais alto de voz, uma cortada de relação, uma forma clara de expressar que não dava para continuar suportando aquilo e como eu sou partidária do "os incomodados que se mudem", era eu que me mudava pra longe dela. O triste dessa história é que, exatamente por ir administrando crises de forma tão elástica, flexível, quando eu chegava no meu ponto "cabô", eu não conseguia mais administrar coisa alguma.

Se analisarmos a imagem, assim como fizemos com a de ontem, vamos ver uma atitude de prece misturada com a fera em estado de quietude. É como conseguir pacificar o aspecto mais físico e selvagem com o aspecto mais elevado e espiritualizado do ser. Este é o objetivo da Força. Um desafio e tanto!

Como estamos em uma quarta-feira, dia da semana regido por Mercúrio, vamos focar toda esta energia nas nossas comunicações, conversas, contatos. Que nossas palavras tragam equilíbrio para que sejam fortes. Que assim seja!

Ótima quarta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui

2 comentários:

Aldo Luiz Fonseca disse...

Boa tarde Claudia

Com licença do uso do seu texto, sem abandonar o contexto, o "alegre" dessa história é que, exatamente por ir administrando crises de forma tão elástica, flexível, quando eu chegava no meu ponto "cabô", eu não conseguia mais administrar coisa alguma. Então, finalmente, a ficha do eu não estou no controle caiu de uma vez por todas... Controle/controlado, descontrole/descontrolado. Começou final/mente a bendita faxina infinita.

Bjs, PAZ, a força, sempre grato.

AlexMaciel disse...

Excelente análise!