7 de Ouros

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Bom dia! :-)

Em tantos anos estudando e praticando tarot, creio, a coisa que mais me encanta e não para de me surpreender é a tal da sincronicidade, a incrível capacidade destes símbolos expressarem a energia presente e vivente.

Aqui, na cidade em que eu moro, estamos passando por uma situação delicada. Desde terça-feira passada comecei a sentir algo no ar, algo como uma necessidade de ficar em estado de alerta. Cheguei a comentar com pessoas mais próximas que estava sentindo uma energia estranha pairando no ar. Não era algo diretamente ligado a mim e nem sentia que poderia me prejudicar, mas era como perceber algo maior, impessoal, que poderia atingir muitas pessoas.

De sábado para domingo aconteceu. As chuvas fortes na nascente do Rio Verde, em Passa Quatro, fizeram com que acontecessem inundações em áreas de várzea por aqui. Isso nem é algo estranho, a cidade possui vários locais que, costumeiramente, enchem em períodos de chuva forte. Desta vez encheu mais do que o normal, mas também não chegou a ser como a enchente de 2000, que colocou o centro da cidade debaixo d'água, com lanchas de resgate passeando pela rua principal, fato que traumatizou a população. Meu hábito de sempre alugar casas na parte alta da cidade me salva, há 23 anos, de passar por situações de sufoco, mas é angustiante ver tantas pessoas perdendo tudo e tendo que deixar casa e pertences para trás esperando a água baixar.

O 7 de Ouros de hoje, provavelmente, está falando de um processo de trabalho duro, não só para vários setores da cidade, mas também lá na escola, que costuma receber os desabrigados do bairro, um dos setores mais atingidos. Meu estado de espírito está bem associado ao 7 de Ouros: trabalhar com foco e dedicação por um bem geral e sem esperar retorno. Nós, funcionários da escola, não vamos atuar diretamente com os desabrigados, mas é fato que acabamos dando um certo suporte à defesa civil e aos colegas do setor de desenvolvimento social.

Ontem mesmo eu comentava com o namorado: nestas horas é que percebemos o que realmente tem valor na nossa vida... E não é a vida profissional, nem a grana... Meu pensamento foi, o tempo todo, saber como estavam a minha familia, meus amigos, avisar meu filho para não voltar de viagem e aguardar o tempo necessário para que as estradas voltem a ficar transitáveis (muitas barreiras caídas). Ficar alíviada ao saber que todos estavam bem foi a maior alegria e meu prazer pessoal foi ficar quietinha em casa com o namorado vendo filmes, enquanto conversava com o céu, pedindo trégua de chuva.

Vida é trabalho, sabem? Eu penso sempre nisso... Passei tanto tempo buscando descanso, mas enquanto estamos vivos não temos muito descanso...rs O que não chega a ser ruim, contanto que sejamos capazes de fazer do ofício uma alegria, um prazer. Ter a percepção de que estamos constantemente aprendendo é muito bom. E o sentimento de gratidão deve ser constante, até quando o trabalho aperta.

Quando olho para o 7 de Ouros, gosto de pensar em algo que meu sábio pai pisciano sempre diz: todo trabalho merece um salário, mesmo que ele não venha quando esperamos ou não venha do mesmo lugar onde o trabalho foi entregue. Assim é... Devemos fazer o que tem que ser feito sem a expectativa do que vamos receber, apesar de termos a consciência de que isso é uma lei, a lei do merecimento.

Que a segunda-feira seja de trabalho tranquilo e sentimento de dever cumprido.

A imagem veio daqui

4 comentários:

Isis Lima disse...

Meu coração está com vocês, que tudo se estabilize, que o coração das pessoas afetadas encontrem paz, mesmo em meio ao caos.

Eu sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grata.

Juliana disse...

Oi querida, que bom que você e sua família estão bem! Espero que tudo possa se resolver logo por aí, para todos os atingidos. :(
Muita força e receba minhas melhores energias!
Beijos,
Ju

Marilia Campina disse...

E a loja da sua mãe no mercado Municipal? Deu tempo de tirar tudo? Poxa, perder artesanato é chato, tantas horas pra fazer, e de repente perder! Não é fácil... E lembrando, que do outro lado da vida tmb tem trabalho... não sei se árduo, mais dizem que é uma vida semelhante a essa aqui! Eu acho que a vida é eterna e o trabalho tmb!!! kkk

Cacau Gonçalves disse...

Queridas, por aqui tudo em paz... Como verão na postagem de hoje, foi muito mais um pânico generalizado na cidade do que algo diferente do que costuma acontecer. Pessoas precisaram sair de casa e perderam coisas? Sim... Mas como acontece sempre que a água sobe, porque moram em área de várzea, em terrenos onde não deveria haver construção, aliás, onde deveria estar o rio.
Marília, nem entrou água na loja... Nem pra molhar o chão...rs Como já disse aqui no Via dia desses: quem está esperando trabalhar tudo que precisa pra descansar, acho bom desistir...rs O lance é trabalhar se divertindo ou trabalhar com algumas pausas para diversão...rs ;-)

beijos