4 de Copas

segunda-feira, 18 de março de 2013

Bom dia! :-)

Assim iniciamos a semana! Com esta cara xoxa...rsrsrs Ops! Quer dizer, com a dúvida cruel nos questionando: "o que fazer? o que não fazer?" :-)

O 4 de Copas é uma carta, como todos os 4, de parada e também de reflexão. Sempre que esta carta aparece temos, por um lado, mais estabilidade emocional, mas, por outro, temos a necessidade de repensar o que realmente queremos, gostamos, desejamos.

Hoje, é um bom dia para pegar papel e caneta e escrever, fazer a listinha de tudo que queremos para nossa vida, aquilo que esperamos realizar. Podemos colocar esta listinha em algum lugar que possamos sempre ver, podemos colocá-la no altar (quem tem altar), podemos fazer um belo reiki sobre ela. Mas o mais importante é conseguir ter em mente, de maneira clara, o que se quer.

O tema para reflexão de hoje é: não se pode alcançar algo se não temos a menor ideia de que "algo" é esse! rs

Vejo pessoas desejando coisas, algumas reclamando por não ter tais coisas, mas nem elas mesmas sabem que coisas são essas... Querem um amor, mas não sabem que tipo de relacionamento é o melhor para elas... Querem prosperar mas não sabem com o que gostam de trabalhar... Querem mudar de vida, mas nem imaginam qual mudança desejam...

Ok, eu me incluo nesse grupo de pessoas...rs A questão é que durante muito tempo eu quis coisas que jamais cheguei perto de alcançar. Daí resolvi desistir de desejar... Achei melhor deixar a vida fluir, no estilo "deixa a vida me levar, vida leva eu..." Só que não andei gostando dos cantos pra onde a vida me levou...rs E resolvi voltar a intentar. Mas então já tinha me perdido do caminho, ou seja, já não sabia mais o que queria. Então agora estou em fase de descobrir...rs

Uma das histórias que envolvem o 4 de Copas que mais me sensibiliza é a de Psiquê e suas irmãs invejosas. Por dar ouvidos às besteiras que suas irmãs lhe falaram Psiquê acaba se metendo em confusão! Então, quando esta carta aparece, a recomendação é seguir o próprio coração e não dar ouvido aos palpiteiros de plantão. ;-)

Como hoje é segunda de Lua e analisamos as questões mágicas e espirituais, levem em conta a possibilidade de ritualizar a dica ali de cima (escrever o que se quer num papel), porque pode dar rock! :-)

Deixo vocês com a história de Eros e Psiquê! Aproveitem!

A imagem veio daqui


2 comentários:

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Via!

Para as irmãs de Psiquê dentro e fora de nós:

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

E mesmo elas tem um função: revelar que nossas projeções são ilusões e que devemos considerar em tudo os dois lados da moeda, pois a face do amor também é plural e dual. A água contida num lago que não flui acaba por matar os peixes e toda a vida do lago. Perceber em nós a emoção estagnada é renová-la só é possivel quando renovamos os nossos sentimentos, a nossa água simbólica e nada melhor para tal do que agradecer, agradecer e agradecer. E neste agradecimento percebermos que as irmãs de Psiquê são aspectos de nossa sombra que vaga por vezes insatisfeita por querer da vida sempre mais e não perceber que nós somos a própria vida e devemos exigir mais de nós próprios no sentido de ampliarmos a nossa capacidade de amar, esta capacidade é a chave para abraçarmos a nossa própria sombra, silenciarmos e descobrirmos em nós a fonte do amor.

F.A.

Clara disse...

Eu vejo esta Carta como estar Desencantado com o Amor.
Desencanto este tão grande que ficamos alheios as Oportunidades que nos aparecem.