Ás de Ouros

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Bom dia! :-)

Espero que alguém me ajude a compreender este grande mistério! Algum voluntário? rs

Vínhamos de uma batida até interessante, envolvendo naipes de Paus e toda a sua energia... De repente, esbarramos em um Enforcado! Assim, sem mais nem menos!

Bem, é claro que não é "sem mais nem menos", claro que não é puro acaso. O acaso não existe! Estávamos em um processo, provavelmente subterrâneo, oculto, que veio desembocar nesta situação de Enforcado.

Aí depois disso, depois dessa pisada no freio, temos o que? Temos um outro Ás de Ouros (vamos nos lembrar que ele veio nos visitar no começo da semana), mostrando praticamente uma placa explicativa dizendo: "Agora podem continuar o movimento e podem colocar em prática aqui que estava em suspenso!" Vocês notaram isso ou eu estou viajando?

Hoje, vamos retornar à energia mais concreta, vamos retornar ao caminho de construção da matéria, depois do mergulho no Enforcado e toda a sua paralisação da matéria X evolução do espírito. Mas não podemos nos esquecer que ainda estamos em um ciclo de Enforcado, portanto a interpretação deste Ás de Ouros deve ser cuidadosa.

Vou exemplificar para você o que eu quero dizer com a expressão "cuidadosa"...

Se estamos em ciclo de Enforcado, o Ás de Ouros é o primeiro passo na concretização de algo sutil, é o movimento de trazer para a matéria uma inspiração, uma ideia ou, sendo mais fiel à energia do Enforcado, uma missão. Missão é algo que decidimos fazer antes de nascer no planetinha azul e que devemos cumprir enquanto estivermos aqui. O detalhe nada agradável é que esquecemos de tudo isso ao nascer, não trazemos um manual de instruções debaixo do braço e não tem uma só criatura de boa vontade que se proponha a nos contar o que foi que decidimos que seria a nossa missão antes de virmos pra cá. Ninguém facilita nada, meus queridos! rs

O processo necessário para descobrir a tal missão é o de tentativa e erro, com alguma ajuda da intuição, da percepção sutil e dos instrumentos de autoconhecimento, como é o caso do tarot, da astrologia, da numerologia, etc...

Como hoje é domingão, regido pelo sol, e dia em que tratamos, exatamente, das questões de autoconhecimento e trabalho interior, eu diria que o Ás de Ouros é uma descoberta bem concreta de algo associado a nossa missão, ao nosso lado mais espiritual e que deve a partir de agora ser trazido para o mundo material e ser concretizado de alguma forma.

Já viram que teremos trabalho árduo pela frente! Mas a gente dá conta, eu garanto! ;-)

Comecemos pois... Arregaçando as mangas e fazendo deste domingo um dia produtivo.

A imagem veio daqui

5 comentários:

Cátia disse...

Achei interessantíssima essa sequência!
Da minha parte, tou arregaçando as mangas sim.
Bom domingo vianautas!
K_line

Emanuel disse...

Nesse dia, que abençoada carta!
Evohe!

Fernando Augusto disse...

Não desista, insista, persevere, pois com paciência possuireis a vós mesmos, vossa própria alma.

Precipitar.

Precipitar é o verbo mágico do Pendurado.

Ele precipita.

Ele, o Pendurado, precipitou o Ás de Ouros.

Ele, o Pendurado, faz um movimento de cima para baixo produzindo uma substância concreta e valiosa. Em vários Tarôs vemos isto, vemos moedas depositadas no chão sobre o qual está suspendo o arcano 12.

O poder da precipitação é um poder natural, entendido como Magia por aqueles que desconhecem os mecanismos deste processo.

Assim fala um Mestre sobre este poder:

Fernando Augusto disse...

Quando fala de precipitação, não me refiro somente através de canais invisíveis, mas de qualquer canal, já que tudo é precipitação; o criado e o não criado ainda, não há diferença, a não ser na atividade.

As pessoas entram em contato com dúvidas e temores a respeito dos conhecimentos destas grandes faculdades que são livres para o uso de quem as quiser utilizar a qualquer momento.

O que acontece é que se encontram submersas como uma cortiça sob a água, a qual, sendo liberta, salta à superfície.

Asseguro-vos que é lamentável ver estudantes sinceros passarem tantos anos esforçando-se, exercitando-se e deixando de lado o uso destas faculdades, e não vendo resultado imediato, deixarem-se cair novamente em um estado inativo, até que alguma
coisa volte a reanimá-los, para novamente recaírem.

O reconhecimento persistente e determinado da Presença “Eu Sou” vos levará a alcançar resultados absolutamente certos, a menos que desistais.

Eu vejo, especialmente nesta época, um considerável número de indivíduos que, com um pouquinho de incentivo e a descrição simples destas práticas, rapidamente darão
um salto para a liberdade, especialmente aqueles que recebem instrução verbal junto com a radiação que acompanha tal fato.

Não é de admirar que os filhos e filhas de Deus se submetam às limitações, quando, com um esforço persistente e determinado, abririam a porta e entrariam nesta grande Câmara Interior, cheia de Luz, jóias, ouro e a substância de todos os elementos do Universo?

E logo, com esta verdade plena em sua frente, estes indivíduos ainda vacilam, pela impossibilidade de acreditarem que podem dar este passo definitivo, tomar este cetro e serem livres.

Amados, novamente vos digo: cantai a grande melodia da Grande Presença Conquistadora do “Eu Sou”. Cantai em vosso coração continuamente, senti-a com toda a vossa habilidade, agarrai-vos fortemente a esta determinação.
O conhecimento e o caminho da maestria se abrirão e vos manifestarão a liberdade
eterna. Simplesmente continuai recordando-vos que já transpassastes o véu.

O Livro de Ouro de Saint Germain

Fernando Augusto disse...

Prestem atenção, mantenham o seu foco, o seu intento, o seu objetivo para que possam precipitar em suas vidas as bençãos frutos de seu trabalho, especialmente do trabalho interior e espiritual, pois este é o ponto forte do Pendurado.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.