Príncipe de Ouros

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Bom dia! :-)

Eu duvido que alguém ainda não tenha percebido o quanto este Príncipe anda aparecendo por aqui nos últimos tempos! Sinal de que estamos sendo chamados a apresentar resultados! O pragmatismo do Príncipe de Ouros diz assim: "ok, o discurso está bonito, mas eu quero ver resultado concreto, material!" Então, não tem choro nem vela, tem que mostrar serviço!

Novamente, me dei ao desfrute e deleite de colocar um Arcano que, tradicionalmente, envolve uma imagem masculina, com uma mulher roubando a cena. Aqui, o Cavaleiro de Ouros é, na verdade, uma amazona, devidamente paramentada, passeando pelo campo, cercada de flores.

Estou me sentindo muito esta moça! Conseguindo colocar meus talentos para funcionar, produzindo, e dando os primeiros passos para colocar os projetos em andamentos. Preciso administrar melhor o meu tempo, mas hoje já dei bons passos nessa direção.

Esta é a segunda vez que o Príncipe/Cavaleiro de Ouros aparece na sexta-feira de Vênus nos últimos tempos. Ele vem mostrar a importância de vivenciar o amor na prática, no concreto. Ele mostra que amor não é algo subjetivo, que se sente, somente, mas é algo concreto, físico, que necessita de expressão, seja através de palavras ou de atitudes (preferencialmente, das duas maneiras).

Gosto muito da frase do Cazuza que diz "o amor, na prática, é sempre ao contrário". Porque somente vivenciando o amor, na prática, percebemos do que se trata realmente. Amores platônicos, amores à distância, amores idealizados ou proibidos não chegam perto de representar um amor da vida prática, um amor que envolve convívio, realidade, com seus momentos lindos, mas também com seus desafios. Como diz minha mãe, "quer conhecer alguém, de verdade, vai morar com essa pessoa!"

O Príncipe de Ouros é assim... esse cara bem prático, que só entende a realidade que pega, sente o toque. Não é muito chegado às filosofias e sutilezas, e ainda assim é alguém com quem temos muito a aprender. Que nossa sexta-feira de amorzinho seja capaz de mostrar que a realidade amorosa é tão ou mais bela que qualquer sonho romântico. Compreender isso é fundamental para não criar expectativas impossíveis e muita frustração.

Ótima sexta-feira amorosa para todos nós! :-)

A imagem veio daqui


2 comentários:

Fernando Augusto disse...

Ele esteve por aqui na última sexta-feira e no sábado também, parece que gostou de passear por estas paragens. E se gostou é porque encontrou afinidades entre nós. A bem da verdade ele passa e não fica por muito tempo pois ele aprecia o movimento, o desafio e o obstáculo. É dele o seguinte o espírito:

"Os guerreiros não conquistam suas vitórias batendo suas cabeças contra os muros, mas ultrapassando os muros. Os guerreiros saltam sobre os muros; eles não os derrubam".

Isto é muito sutil e extremamente elegante. É a diferença entre o enfrentamento e a superação, pois há energia o suficiente para não nos colocarmos no nível do problema, na verdade podemos ir além dele.

Isto é extremamente prático, além de elegante e sutil, pois muita das vezes tentamos resolver um problema, seja em que campo for, e este problema deve ser apenas eliminado. Retomar ao problema, dar-lhe atenção e foco só aumenta o mesmo dentro de nós.

Há uma história que sempre coloco aqui para ilustrar este ponto, ei-la:

Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto.

O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos para determinar quem seria o novo sentinela. O Mestre, com muita tranqüilidade, falou: - "Assumirá o posto o primeiro monge que resolver o problema que vou apresentar." Então, ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo, e disse apenas: - "Aqui está o problema!"

Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro. O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e... ZAPT... destruiu tudo, com um só golpe. Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse: - "Você será o novo Guardião do Castelo."

Moral da História: Não importa qual o problema. Nem que seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é um problema. Mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, tem que ser suprimido. Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam um espaço inútil em seus corações e mentes.

Espaço esse indispensável para recriar a vida.
Existe um provérbio oriental que diz: "Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar o chá fora, para, então, beber o vinho." Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários, até chegar às pessoas do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em seu coração. O passado serve como lição, como experiência, como referência. Serve para ser relembrado e não revivido. Use as experiências do passado no presente, para construir o seu futuro. Necessariamente nessa ordem!

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Larissa disse...

Em dia de pintar a casa? E com o meu amorzinho! No lo creo... Não fica mais perfeito que isso!

Beijos beijos