5 de Ouros

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Bom dia! :-)

Damos início a esta nova semana e já adianto que não será, exatamente, uma coisa leve, fofa e gostosa... O que também não quer dizer que é algo tão desafiador quanto essa semana que passou. Digamos que seja um meio termo entre o "tudo fluindo, positivo e operante" e "ferrou!" :-)

A abertura da semana é com o 5 de Ouros, uma carta tipicamente problemática, mas que, como todas as cartas chatinhas, é ótima para refletirmos sobre um monte de coisas. Outra informação interessante é que é a primeira vez que esta carta dá as caras por aqui este ano, ou seja, tivemos mais de nove meses sem que esta energia vibrasse por aqui.

Não sei se vocês já perceberam mas são as cartas mais complexas que rendem as melhores reflexões. Por uma simples razão: quando nos vemos diante de uma situação desafiadora, somos mais ativos, colocamos nossos maiores talentos para funcionar. Portanto, vamos aproveitar o 5 de Ouros de hoje para aprofundar certos assuntos delicados que costumamos evitar.

Um dos temas do 5 de Ouros é a perda, o desgaste, seja energético, emocional ou material. Então, a primeira reflexão que devemos fazer é: o que nos faz perder energia? Que tipo de situação cria um desgaste emocional exagerado? De quais maneiras estamos expostos a perdas materiais? Creio que este já seja um bom começo... Descobrindo as causas, estamos mais próximos de descobrir soluções.

Um outro tema que temos no 5 de Ouros é a questão do orgulho, ou seja, é a situação em que, nitidamente, precisamos de ajuda e não pedimos ou ao menos fazemos uma resistência inicial em pedir. A carta fala, claramente, peça ajuda! Caminhe em direção ao 6 de Ouros, buscando uma alma generosa para te ajudar e, ao mesmo tempo, trabalhe também a própria generosidade para ser digno de receber esse apoio tão importante.

Da mesma forma que no 5 de Ouros vemos um momento em que é preciso pedir ajuda, é aqui também que vemos a autoestima ficar mexida... Quem é que gosta de admitir que não deu conta de uma situação? Quem que administra de forma tranquila o fato de não conseguir resolver um problema sozinho? Então, quando esta carta surge somos obrigados a lidar com a autoestima e precisamos nos alimentar, nos nutrir de bons conceitos em relação a nós mesmos. E quem poderá nos ajudar?

Pergunto isso porque, de um modo geral, é difícil que encontremos pessoas capazes de observar nossas qualidades e declarar seu reconhecimento por tais talentos. Em um mundo tão competitivo, o mais comum é que as pessoas coloquem os outros para baixo para se colocarem pra cima. Aí sou obrigada a lembrar da frase que me dizia sempre minha bruxa mestra Dóris: se alguém não reconhece o poder que há em você, é porque não possui dentro de si este poder, porque somente os poderosos se reconhecem. Ela me falava sempre isso quando eu me queixava de muitas vezes não ser ouvida ou respeitada, o que me chateava bastante.

Então, hoje é um bom dia para trabalhar, por um lado, nossos próprios limites, e, por outro, nossa autoestima. Encontrar o equilíbrio entre um ponto e outro é fundamental para o nosso crescimento e empoderamento.

Que nossa segunda-feira seja de aprendizado! :-)

A imagem veio daqui

4 comentários:

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Via!

O 5 de ouros é resultado da maneira como temos lidado com os nossos valores, sejam eles externos (dinheiro) ou internos (valorização de nós mesmos).

No Tarô Mitológico ele é resultado do medo, da inveja e da incapacidade de trabalharmos em parceria.

Temos talentos, temos capacidades, temos valores e nos sentimos ameaçados pelos talentos, capacidades e valores do outro, assim em vez de formarmos uma sociedade, uma parceria criamos uma demanda onde todos perdem.

Compartilhar o poder aumenta o poder, mas a visão do sistema que vivemos, "capetalista" diz o contrário pois em vez de basear-se na cooperação e na parceria baseia-se na competição e na avareza.

Por isto o sistema "capetalista" vive em crise, em guerras, gerando desperdício em larga escala, ele consegue ser pródigo e ao mesmo tempo avaro, pois beneficia sempre uma elite detentora do capital, que por sua vez sofre os impactos da violência econômica sob outros aspectos.

O 5 de ouros é uma carta de crise. Na crise temos que nos superar. Pedir ajuda e aprender o valor da cooperação.

Temos que aprender a reconhecer o valor do outro.

Reconhecer o valor do outro envolve elogio até um pagamento justo pelo seu trabalho e talento.

Temos elogiado sinceramente as pessoas que são as nossas amigas e parceiras?

Temos reconhecido o valor do outro em nossas vidas?

Temos pessoas com as quais podemos contar verdadeiramente nas mais diversas situações.

Se as respostas forem positivas então está tudo certo, mas lembremos de honrar as nossas relações e de saber dar-lhes o devido valor para que possamos então diante das situações crises trabalharmos unidos para vencê-las mais facilmente.

Todos temos defeitos e entre estes defeitos devemos saber ver e reconhecer as qualidades das pessoas que fazem parte de nossas relações.

Aproveito para recontar uma história que vem bem a calhar:

"...durante uma era glacial bem remota, quando parte de nosso planeta se achava coberto por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram.

Morreram indefesos por não se adaptarem às condições do clima hostil.

Foi então que uma grande manada de porcos espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começaram a se unir, a juntar-se mais e mais.

Bem próximos um do outro, cada qual podia sentir o calor do corpo do outro.

E assim bem juntos, bem unidos, agasalhavam-se mutuamente.

Assim aquecidos, conseguiram enfrentar por mais tempo aquele inverno terrível.

Vida ingrata, porém... os espinhos de cada um começaram a incomodar, a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhes forneciam mais calor.

Feridos, magoados e sofridos, começaram a afastar-se.

Por não suportarem mais os espinhos de seus semelhantes, eles se dispersaram.

Novo problema: afastados, separados, começaram a morrer congelados.

Os que sobreviveram ao frio voltaram a se aproximar, pouco a pouco.

Com jeito e precaução. Unidos novamente, mas cada qual conservando uma certa distância um do outro.

Distância mínima, mas suficiente para conviver, sem ferir, para sobreviver sem magoar, sem causar danos recíprocos.

Assim agindo, eles resistiram à longa era glacial. Apesar do frio e dos problemas, conseguiram sobreviver.

Viver não consiste em respirar, mas em agir, e nada de grandioso se consegue sem uma forte vontade e uma grande parcela de amor, para podermos superar as nossas dificuldades e as nossas limitações.

As vezes os espinhos que outras pessoas possuem nos incomodam, mas temos que tentar conviver com os nossos espinhos e os de outras pessoas que nos são caras.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Fernando Augusto disse...

Errata:

Compartilhar o poder aumenta o poder, mas a visão do sistema que vivemos, "capetalista",...

Fernando Augusto disse...

Pessoal, esta postagem é exclusiva da Sociedade Via Tarô.

Nela falaremos um pouco mais sobre o 5 de ouros e seus diversos significados ligados as seguintes palavras-chaves: perda, desvalorização, auto-estima, transferência de culpa, orgulho, exílio, crise material, oportunidade, união na necessidade, necessidade de ajuda. Falaremos também do antídoto para superar o 5 de ouros.

Para conhecer mais sobre a Sociedade Via Tarô:

http://viatarot.blogspot.com.br/2013/09/sociedade-via-tarot.html

Naty Arty disse...

Nossa!Muito obrigada por essa postagem.
Eu tirei essa carta sobre terminar ou tentar um relacionamento com uma pessoa que já estamos afastados ha um mês.A pergunta foi;se devia desistir e partir pro meu futuro ou se devia tentar um negócio com ele,(ele tinha me chamado pra montarmos um negócio juntos).
Já tinha ouvido muitas opiniões a respeito desta carta,mas não estava conseguindo entender o recado do 5 de ouros.Agora acho que entendi...rsrsrsr
Obrigada!E parabéns pelo blog!
Paz e Luz!
Que Deus abençoe!