2 de Ouros

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Bom dia! :-)

Ainda em ciclo de Diabo, depois de um dia de comemorações especiais (por aqui não foi não, tivemos até que comprar no sorvete no final do dia, para ver se dávamos um aspecto de festa para a nossa terça-feira...rs), chega por aqui o 2 de Ouros, uma carta pertencente ao Reino da Terra, mas que possui um dinamismo e um convite à mudança que "cheira a Fogo"...rs

Percebam que o autor da imagem ao lado discorda de mim... Pois ele preferiu pedir emprestado o elemento Água para dar referência transformadora à carta. E reparem que não é qualquer água, é um mar revolto, cheio de movimento!

Eu tenho uma certa simpatia por esta carta. Pra quem me conhece, isso pode parecer estranho, mas na verdade faz parte do aspecto mais paradoxal da minha pessoa...rs Ao mesmo tempo em que gosto de ter um certo controle sobre as situações que surgem na minha vida, adoro uma surpresa! Apesar de gostar de segurança, adoro mudanças e novidades! Então, o 2 de Ouros me agrada e muito!

A interpretação que mais gosto, em relação a esta carta, diz: dê um passo na direção da mudança e a mudança dará 10 passos na sua direção. É animador pensar que o universo conspira a favor das transformações que desejamos! E que sempre que fazemos um movimento em direção à transformação, aceleramos o seu processo.

Mas como tudo tem dois lados, tem também a parte que diz: "prepare-se porque muitas vezes queremos mudar somente um detalhe de nossa vida, mas a vida é tal qual uma teia de aranha, quando mexemos em um dos fios, todos os outros também se movem" Estava tudo indo tão bem, não é mesmo? rs A questão é que muitas vezes nos encaminhamos em direção a uma determinada transformação em nossa vida e outras coisas que estavam ótimas, também resolvem mudar.

Tudo isso nos leva a pensar que é preciso refletir muito antes de tomar qualquer atitude nesta vida. Eu sempre pensei assim, mas em alguns momentos acabei me deixando levar pelo ímpeto... Hoje em dia, com os anos de experiência de vida (parece que tenho 80 anos...rsrsrs), não costumo fazer mais esse tipo de coisa. 

Dicas? Sim... Dicas... Hoje é dia de fazer a roda girar... As atitudes tomadas hoje poderão multiplicar os passos na direção das mudanças. Não custa experimentar! ;-) Um pouco de coragem, vai? Vamos mudar um pouco a posição dos móveis... Abrir janelas... deixar o sol e o ar novo entrar. É tempo de renovação!

Ótima quarta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui

Um comentário:

Fernando Augusto disse...

O destino é incerto e isto é certo. A cada passo do caminho podemos refazê-lo. Quem trabalha com a ciência do destino que é o Tarô sabe disto, se assim não fosse não poderíamos mudá-lo. Somos nós que fazemos o nosso destino da mesma maneira que a aranha tece a sua teia. Se observarmos a sabedoria da aranha veremos que ela tece a sua teia a seu favor, sem enredar-se nela, e assim cumpre o seu destino. Mas os seres humanos se enredam na própria teia e criam carma, tornam-se presas de si. Caem nas malhas de outras redes, enredam-se em teias e armadilhas movidos pela sua própria inconsciência, carência e falta de atenção.

A vida como mestra suprema sempre nos orienta, basta estarmos atentos aos sinais, afinal trata-se de nós mesmos, de nossa própria vida.

Um ato consciente é capaz de mudar todo o nosso destino. O dois de ouros no Tarô vem nos mostrar sobre as múltiplas possibilidades que existem em cada escolha. O destino pode ser manipulado a nosso favor quando estamos conscientes de nós mesmos, quando nos conhecemos e buscamos superar nossos automatismos e desvendar os padrões de comportamento subconscientes que operam nas profundidades da mente.

O arcano do Diabo, que preside esta sequencia até então, só é fatalidade quando estamos completamente submergidos pelas forças que operam na sombra. Aí o destino torna-se fatalidade e não mais possibilidade.

É a consciência de si que torna o destino possibilidade. O 2 de ouros serve a esta reflexão. A consciência de si exige a habilidade que vemos na carta. A consciência de si está bem representada no símbolo do infinito que é formado pela personagem do 2 de ouros, encontramos o mesmo símbolo nos arcanos do Mago e da Força, a leminiscata. As possibilidades são infinitas para àqueles (as) que estão conscientes de si.

A consciência refaz o destino continuamente. A função do Tarô é a de nos tornar conscientes de nós mesmos. O objetivo do Tarô é o de usar o pentagrama de luz que está contido no arcano 15 do Tarô, resolvendo a dualidade separativista desta carta. O dois de ouros nos apresenta uma solução ao nos revelar que um ato consciente é capaz de conjurar a sombra que manipula ao sabor das forças que jazem no inconsciente. Temos que perceber a dualidade que opera nas profundidades da mente. Se percebermos as forças que operam em nossa sombra podemos recriar o nosso destino.

"A tentação é fogo e o triunfo sobre a tentação é luz".

Conscientes do atrito e da dualidade que operam dentro de nós podemos fazer a escolha certa, certa não do ponto de vista da moralidade, mas do ponto de vista da consciência. Os desejos em atrito dentro de nós podem ser resolvidos pela consciência e assim gerar uma nova luz sobre o nosso ser.

"Decifra-me ou te devoro".

Diz a esfinge e também o Diabo no Tarô.

A dualidade do dois de ouros está também figurada no arcano do Diabo, nos personagens envoltos em correntes. A dualidade nestes casos só pode ser resolvida pela consciência das forças psicológicas em atrito. A questão é:

O que dentro de mim precisa ser conscientizado, equilibrado e resolvido para que eu aja como a personagem do 2 de ouros?

O 2 de ouros tem uma relação astrológica de Júpiter em Capricórnio, é a expansão ilimita de Júpiter com a contenção poderosa de Capricórnio. Há um grande poder a disposição de nós, mas este poder exige grande responsabilidade em seu manuseio, exige que sejamos generosos, por exemplo, sem sermos pródigos, exige que sejamos cautelosos diante da oportunidade que se apresenta.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.