Rei de Paus

sábado, 2 de novembro de 2013

Bom dia! :-)

A realeza veio nos visitar novamente! Fiquei aqui matutando, pensando se este Rei de Paus não seria o Rei de Copas que se transmutou depois da mudança de ciclo, sob influência da Temperança.

Como um Rei de Copas se transforma em um Rei de Paus depois de um processo representado pela Temperança? Talvez, porque ele saiu de um estado mais passivo, apesar de amoroso, e mergulhou em sentimentos mais intensos. Talvez, porque o Rei sentiu que este é o momento de agir, de tomar uma atitude mais definitiva sobre o que quer e o que sente.

Costumo dizer que existe duas formas de expressar sentimentos, uma é através da água, no reino de Copas, de uma forma mais emotiva. Outra é através do fogo, do reino de Paus, de uma forma mais intensa. Eu sempre fui mais da segunda via... Mas penso que também podemos equilibrar uma maneira e outra, encontrando um equilíbrio.

Hoje, não estamos mais em dia de amorzinho, já estamos em dia de responsabilidades, sob regência de Saturno. Costumamos analisar o trabalho e os projetos. Este Rei de Paus pode ser um homem poderoso que chega para nos ajudar. Pode ser, ainda, uma expressão de nosso próprio poder, envolvendo a conexão com nosso Eu Superior, nossa fração mais divina e iluminada.

Ontem, tive um dia extremamente cansativo, em certos momentos pensei que não aguentaria mais ficar em pé! Neste sábado, espero que o Rei de Paus me tome nos braços, me proteja, me mostre que vale a pena acreditar nele, acreditar em seu poder, confiar que ele me conduz por um caminho que vai dar em um lugar feliz.

Entrego, confio e agradeço. Porque creio que minha conexão com o Divino permanece viva.

Ótimo sábado para todos nós!

A imagem veio daqui

7 comentários:

TiJu disse...

Mulher... vc é incrível! rs...
Bom, me apresento: sou Tiara e acompanho o via tarot há mais ou menos 6 anos. Nunca comentei nada, sei la pq. Mas ultimamente, dentro dos meus processos da vida, o Via vem sendo um bom sinal de que tá td em sintonia! É incrível como parece q é pra mim! Só pra mim! hahaha...
Muito bom! Obrigada por compartilhar seu conhecimento e suas experiências! É realmente impossível ser feliz sozinho! Beijos e bom sábado a todos!

Fernando Augusto disse...

Os fogos de Beltane nos trouxeram o Rei de Paus, o poder da liderança sob o impulso do espírito. Ontem o arcano da Temperança

veio cercada pelo fogo pois tinha em sua vizinhança o arcano de hoje, Rei de Paus (e do fogo) e o 8 de paus presentes na 5ª feira,

Beltane (pela roda do sul).

A Temperança em divina alquimia consagrou o fogo em sua operação de transmutação e como bem disse a Sócia, transformou o

Rei de Copas em Rei de Paus, do sentir para o agir. Esta transformação parece anunciar a futura entrada do Sol em Sagitário,

apesar do céu astral estar completamente dominado pela água, com oito posições astrais em signos de copas.

A água é o habitáculo do fogo, dizem os alquimistas, daí o seu poder de transformação.

As velas que hoje se acendem pelos mortos tem a chama sustentada em água, em líquido, em parafina e cera derretida, mostrando

o poder do fogo e a união dos elementos.

Ontem perguntei a Sócia qual era o arcano de hoje e ela me disse: - Rei de Espadas, um tempo depois corrigiu: - Rei de Paus.

Isto me gerou um insight sobre mim mesmo. Sinto-me um Rei de Espadas mas preciso nesta vida aprender a ser um Rei de Paus.

Meu mapa astral é marcadamente ígneo. Preciso aprender a guiar-me pela inspiração, pela intuição, pelos insights que vem das

partes mais elevadas do meu ser e libertar-me um pouco da razão. Mas paradoxalmente devo usar a razão para isto.

Não há nada que tempere mais o espírito de um(a) guerreiro(a) do que o uso implacável da razão. Levada até os seus limites a

razão atinge um ponto crítico onde ela se debruça sobre o milagroso, sobre o mágico e sobre o infinito. Não me refiro ao uso

maquiavélico da mente, a manipulação mental tão comum em nossos dias para atender a fins egoístas. Refiro-me a uma razão tão

implacável que é capaz de questionar a si mesma e transforma-se por isto mesmo numa honestidade cortante do próprio eu.

Quando místicos, filósofos, buscadores levantam a questão "quem sou eu" eles o fazem de uma maneira tal que são capazes de

penetrar nos mistérios mais profundos do ser, a própria razão questionada, posta em xeque colapsa para que a nossa mente se

abra para um conhecimento que é uma experiência direta do real.

Na verdade sinto que cada um de nós tem o poder para operar em diferentes frequências do ser e assim trafegar pelos elementos

dentro de si independente das configurações energéticas que herdamos.

No dia de Saturno e dia dos mortos o Rei de Paus parece acender uma chama na direção de sua ancestralidade e parece buscar

junto a ela o poder para traçar o seu próprio destino. Tido isto vou deixar aqui parte do texto que tenho publicado do amigo Nuvem que passa sobre a questão da ancestralidade:

Fernando Augusto disse...

Um monte de gente vive preso a seus antepassados interiores e nem sabe.

Seus antepassados interiores lhe ditam como agir, como fazer tudo em sua vida e o "nós mesmos" é apenas um vozinha ainda frágil em nosso interior, por falta de uso, quase não é ouvida.

Mas é essa voz ainda nascente que é a única coisa que somos e se lhe dermos atenção, se começarmos a ser mais "nós mesmos" do que "o que fizeram de nós" vamos ampliar muito essa singular presença.

Temos que tomar muito cuidado para não sermos marionetes nas mãos das forças ancestrais que trazemos em nós.

Podemos ser uma vasta janela, pela qual nossos ancestrais masculinos e femininos espiam para a existência, mas não podemos ser fantoches manipulados pelas lutas e batalhas que quem nos antecedeu criou.

Somos livres para gerar um mundo novo e neste sentido precisamos de energia e de coragem.

A tremenda força que vem da Sombra pode ser usada, pode ser canalizada para este tremendo propósito, gerar uma nova realidade existencial para nós.

Isso é magia pura, parar de tentar mudar o mundo e mudarmos de mundo.

A sutileza da ARTE é que quem está ao nosso lado, pouco ou nada deve perceber disso.

Se estiverem mesmo entendendo o que estou escrevendo aqui verão que a proposta de "mudar de mundo" passa por mudar nossa relação com o mundo a nossa volta.

A forma pela qual nos relacionamos com o mundo a nossa volta revela muito se estamos mesmo prontos (as) ou não para trabalhar nossa Sombra.

Se tu és agressivo (a) responde no soco com as pessoas, mesmo que sejam só algumas, se tudo te irrita, se tem vontade de agredir pessoas, tudo isso indica uma personalidade que está precisando se trabalhar antes de ir ao encontro da Sombra.

A Sombra é para ser visitada quando já resolvemos estes lados mais superficiais nossos.

Podemos dizer que estes conflitos são a "ponta do iceberg" do que é a Sombra, resolve-los é gerar energias tremendas que serão fundamentais no processo de integração da Sombra.

O xamanismo, em sua praticidade, levou os (as) xamãs a investigarem muito sobre o comportamento humano.

Descobriram algumas coisas úteis.

Quem melhor nos revela se tamos bem ou não?

Nossa família.

Lidar com nossa família e as pessoas próximas é o mais complicado.

Por que nos conhecem, porque sabem usar tons de voz, expressões, tudo que pode ir além das barreiras que sabemos ter com os "de fora".

Um Sifu me contou que lutadores de certos clãs no antigo Cantão quando tinham um oponente muito forte procuravam antes estudar o tom de voz da mãe deste (na época era fácil isso, as famílias viviam juntas, numa mesma casa várias gerações).

O tom de voz da mãe atravessa as barreiras defensivas em nós porque o ouvíamos como vibração, quando estávamos no útero.

Assim é preciso a gente estar bem tranqüilo com a gente (mesmo) prá ter uma boa relação com a mãe e o pai, entender nossos ancestrais não quer dizer que cedemos e somos o que eles querem, significa que conseguimos harmonizar em nós a energia deles.

Se seus pais são crentes é claro que eles nunca vão ficar numa boa pelo fato de seres um (a) bruxo(a) mas podes evitar a crise agindo com equilíbrio, agindo com uma esperteza que a sombra, quando integrada e bem trabalhada nos dá.

Eu sempre que posso passo uns dias perto da minha família prá sacar como é importante ter resolvido isso.

Temos muita influências de nossos pais.

Me parece que numa época isso gera certos atritos, quando cada um quer impor seu caminho.

A forma de lidar com isso precisa ser harmônica, quando conseguimos entender que nossos pais sempre querem o melhor prá gente, mas o melhor deles nem sempre é o nosso, a gente passa a respeitar aquela insistência que parece chata de nos "aconselharem" sobre certas coisas.

Fernando Augusto disse...

Um dos segredos para ir além dessas crises é ver, além da forma às vezes chata e insistente que apresentam suas propostas de vida, que ali está um desejo sincero de nos ajudar, ver que além da forma está uma chama de verdadeiro amor por nós, isto pode mudar tudo, é sutil, muito sutil compreender isso.

Especialmente nós da Bruxaria, vejam só o termo, imagine o que muitos dos pais e mães pensam quando vêem que o (a) filho (a) tá envolvido com "bruxaria".

E tem gente que num show de insensibilidade, querem "sentir elementais", se dizem "unidos a Deusa" mas não sacam o quanto são agressivos (as) quando querem obrigar que os pais e outras pessoas "aceitem" que são "bruxos(as)".

Sério, dava prá rir se não fosse tão caótico o resultado.

Acham que eles vão entender como a gente entende o que é bruxaria?

Claro que não.

Eles passaram a vida sendo condicionados que o mal, o diabo, tudo que é de mais ruim tem chifres e tal, aí entra no quarto encontra o filho ou filha com um caldeirão, fogo aceso, imagem do diabo na parede.

Dá prá rir, mas prá cabeça deles é terrível, agora tem certeza que o próximo passo é algo muito ruim e é claro que vão brigar de unhas e dentes para que "saiam dessa".

E qualquer zica que acontecer na área, culpa de quem?

Então quando a gente tá falando de resolver nossas energias ancestrais o primeiro passo é não dar bobeira de viver em crise com os pais é ir com calma , é explicar o que dá prá explicar, mostrar que a bruxaria não vai te fazer mal, não vai te levar a ser um(a) "louco"(a), um(a) "drogado" (a), que são esses os medos que pintam nas cabeças de quem foi criado numa sociedade cristã e descobre que o (a) filho (a) crê em Deus chifrudo, usa caldeirão e se diz pagão.

Bom senso e canja de galinha não faz mal a ninguém (quem for vegetariano (a) tira a galinha da canja e faz uma sopa de legumes).

Engraçado que tem gente que acha que tem um ritual para lidar com a sombra, até tem, vou passar mais a frente, mas o primeiro passo é o ritual do dia a dia, o mais forte, pode ter certeza que é o mais poderoso.

Fernando Augusto disse...

Se harmonizar com seus ancestrais que tão aí, vivos, seus pais.

Este é um desafio verdadeiro com o qual não dá prá se enganar, ou dá certo ou não dá.

Por que tu podes fazer um rito todo pomposo para seus ancestrais, viajar que conseguiu harmonizar essa energia e ficar nessa, mas o fato de estar numa sintonia mais fina com sua família imediata é algo que ou é real ou não, sem fantasia.

Tem muito de vaidade em toda crise com os pais, quando a gente controla a importância pessoal e a vaidade e consegue estabelecer uma relação harmônica com os pais, tivemos que nos trabalhar muito, para falar certas coisas, não falar outras tantas, tudo isso reflete na nossa energia interior e na nossa VONTADE, então fique claro que trabalhar harmonia com os pais é um trabalho mágico de verdade, que gera energia e mexe mesmo com a realidade de nossa existência, é um fato.

Temos que cuidar bem da nossa energia ancestral, na magia sabemos que o poder da energia ancestral deve estar em harmonia prá gente trabalhar completamente a sombra.

E agora vamos ao rito, um rito prá ser feito quando a gente já trabalhou esta harmonia com os nossos pais.

Esse gerar harmonia com os pais não deve ser forçado, deve ser "cultivado", sem pressa, com tranqüilidade, deixar atos, momentos irem semeando este novo estilo de relação.

Estou falando de uma magia que tem o espírito das árvores e tudo que tem o espírito das árvores é assim, lento, mas profundo.

Não é amanhã fazer um discurso ou hoje mesmo sair correndo, acordar todo mundo ou invadir a sala de TV e dizer : "daqui prá frente, tudo vai ser diferente" risos...

É sutil, é se tocar todo dia de não "reagir" apenas, mas procurar gerar outro clima na relação, coisa que vão ver como às vezes é difícil, pois ninguém tá dizendo que pai e mãe as vezes não são muito chatos.

Só estamos descobrindo que a gente também às vezes é muiiiiito chato.

Então dá prá ser mais compreensivo com pessoas que foram educadas noutro século, noutro milênio.

Nuvem que passa

Cacau Gonçalves disse...

Bom dia, pessoas queridas! :-)

Bom dia, Tiara! :-)

Seja bem-vinda, oficialmente, aos comentários do Via...rs Costumo dizer que nos momentos de maior desafio que uma pessoa mostra seu verdadeiro valor. Sua força, determinação, resistência, capacidade de ação e de manter a mente sã (essa parte costuma ser a mais difícil). Eu estou tentando...rsrsrs

Que o Rei apareça (por favor! rs)

beijo

lilith disse...

Boa tarde, queridos!

Uau, só agora lendo e fiquei muito arrepiada. Estamos profundamente conectados. Amei!

Gratidão imensa e que venham as transformações que necessitamos.

Sinto muito, me perdoa, vos amo, sou grata.
_/\_

Beijos,
Lilian