4 de Ouros

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Bom dia! :-)

Quando olhei esta imagem, imediatamente me veio a frase: "ela quis abraçar o mundo com braços e pernas". A ideia é de alguém que quer tudo e quer mais, quer se envolver e se ver envolvida em algo com toda a intensidade possível. Não quer perder nem um pouquinho...

Engraçado que, de um modo geral, o lado B do 4 de Ouros é a questão do apego, mas neste momento eu também percebi que existe um certo excesso... Não aquela coisa da intensidade do fogo, mas a intensidade da terra... o exagero pesado, aquele que abraça e fica ali, agarrado pra sempre...rs

O "pra sempre" é muito a cara do 4 de Ouros, gente!

E aí vem o grande ensinamento: não há nada de errado em conquistar, buscar a estrutura, a segurança, querer coisas materiais, o único problema é fazer com que isso seja tão forte e importante, que todo o resto seja atropelado para que isso seja alcançado.

Costumo dizer sempre que o mundo está dividido entre pessoas que visam o material e pessoas que visam o espiritual. Infelizmente, é difícil que alguém lide com o espiritual e o material com equilíbrio. E, no entanto, esta é a maior prova de equilíbrio que um ser encarnado pode dar a si mesmo (pelo menos na minha opinião...rs)

O número 4 tende sempre a dar uma parada, que tanto pode ser pausa, como estruturação para uma nova fase.  O importante é não se apegar ao conforto e tranquilidade do 4 e se negar a enfrentar os desafios do 5. Ninguém gosta do 5! rs Mas é ele que propicia movimento e faz a gente chegar no 6,  número de sucesso e alegrias. Bem, paro por aqui, senão chegarei ao 10 e não falarei do 4, que é o número do dia.

O 4 de Ouros em uma quarta-feira, que é regida por Mercúrio e portanto possui uma energia tão ágil e comunicativa, pode mostrar algumas coisas... Em primeiro lugar, podemos, através das palavras, conseguir estruturar alguma coisas produtivas em termos materiais. Sim, palavras com retorno em dinheiro (ou quase! rs) Outra boa dica é se desapegar da própria imagem. Se Mercúrio rege a comunicação e a comunicação é como expressamos o nosso eu, o conselho do 4 de Ouros do desapego também serve para dizer: você não precisa mostrar sempre aquela pessoa que sempre foi ou que os outros sempre enxergam em você, ouse um pouquinho e mostre outros aspectos do seu ser.

Alguns questionamentos para botar a caixola pra funcionar: o que eu construo com minhas palavras? O que eu busco realizar de concreto com meu deslocamento, meu movimento, minhas pequenas ou grandes viagens?

Acho que está bom por hoje, afinal de contas, é feriado... Não vamos colocar os leitores do Rio exaustos de trabalho interior em pleno feriado...rsrsrsrs

Ótima quarta-feira para todos nós! :-)

A imagem veio daqui

4 comentários:

Fernando Augusto disse...

Ás de Copas, Diabo e 4 de ouros (arcano de hoje do Via Tarot) conferem um enorme poder de materialização de nossos projetos através da força do amor, do desejo e da paixão, mas isto é apenas para os iniciados, para aqueles que magicamente são capazes de orientar estes poderes em seu próprio benefício. A força de Exu, o poder do divino mensageiro exige de cada um de nós uma sintonia condizente para que possa expressar-se em toda a sua positividade e luz.

Mas esta conjunção, especialmente em função de um dos temas do 4 de ouros: o apego, nos propicia uma reflexão noutra direção.

O amor é a maior força do Universo, pois é a própria força da criação, a própria força geradora, a luxúria da Divindade que incessantemente cria, tanto é que o Universo continua em expansão e numa taxa acelerada que faz com que os físicos não compreendem a natureza desta força expansiva e criadora. A equação Deus é amor ainda não foi compreendida pela ciência, apenas pelos místicos que se auto-realizaram. Esta força é revolucionária e ameaça o status quo.

O que ocorre se quisermos nos proteger desta força? Pode o ser proteger-se da força do Universo? É impossível, mas o ser tenta pois para o ego a dissolução imposta pela força universal do amor é uma experiência mortal. Morremos porque resistimos a força universal do amor, se nos fundíssimos nesta força seríamos eternos como ela é eterna, é terna.

De que forma o homem tenta se proteger da força do universo? Através do apego. Ele tenta se prender as coisas baseado numa ilusão de permanência.

Através de seu ego o homem tenta proteger-se de Deus dentro de si. Isto é um absurdo, mas é real. Ele constrói diques para conter o fluxo infinito do amor, cria estruturas para bloquear aquilo que não pode ser contido e ao fazer isto cria o conflito, a neurose, a auto-destruição de si e perde a chance de fusionar-se conscientemente com a consciência universal do Amor que é Eu Sou, o Ser, Deus em mim, Deus em você.

Tenho umconhecido que por medo do desamparo na velhice construiu um império em torno de si apenas para ser cuidado pela força do dinheiro. E não consegue perceber toda a dor, medo, desconfiança e conflito que lhe custou a cconstrução deste pequeno império. O dinheiro cuida apenas de si mesmo. O amor também cuida do amor. Há varias formas de apego. Algumas pessoas acreditam que como não se pode confiar nos humanos é melhor confiar nas coisas, elas não traem. Passam amar suas coisas e através deste amor apegado tentam estabelecer relações com os outros sob esta mediação, assim as relações são coisificadas e de natureza utilitária.

Isto transforma o homem num político segundo definição de Nietzche: O político divide os seres humanos em duas classes: instrumentos e inimigos.

Um exemplo clássico de apego é Midas e seu amaldiçoado toque de ouro. Não há mais para a pessoa apegada o contato humano pois o seu toque tornou-se maléfico, mortal, paralisante. Ele não visa mais o humano apenas a coisa e suas posses o possuíram, ele mesmo tornou-se coisa.

O que me impede de amar plenamente, de que formas me protejo do amor e da força do universo que percorre naturalmente o meu corpo?

Uma vez já senti esta força infinita em todo o meu ser e sua força avassaladora de intensa dissolução, senti que ia morrer, me bloqueei e hoje tudo o que quero é de novo reencontrar aquele poder em mim. Este é o fundamento verdadeiro, a base sólida de meu próprio ser, pois é a fonte de tudo em mim, em nós.

Para tal sei que a única coisa que preciso é desapegar-se de mim mesmo e entregar-me plenamente a esta força do universo que por falta de um nome melhor chamo de Amor.

Vos amo, sou grato.

F.A.

Leide Jane Santos disse...

Que texto belo e verdadeiro, foi explanado aqui tudo que penso, parecia que eu estava me lendo.
Que lindo!

Alan Laudino disse...

Cacau, gostei muito do seu texto! Parabéns! Seu comentário foi muito esclarecedor também Fernando Augusto.

mariana nova disse...

Show de bola!!!