O Louco

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Bom dia! :-)

Todo mundo louco, oba? rs

Bem, hoje é quarta-feira e eu poderia fazer uma postagem tradicional, falando dos desafios de manter uma comunicação clara em um dia de Louco, no entanto, como o Louco também curte algo totalmente fora dos padrões, resolvi fazer uma postagem totalmente diferente!

Hoje a postagem será autobiográfica! rs

Vocês estão vendo a louquinha da imagem atravessando um abismo em uma ponte do arco-íris? Ela sou eu! Muito prazer!

Estou vivendo um momento em que cada passo segue em direção ao desconhecido, bem do jeito que uma pessoa com três planetinhas em Virgem NÃO gosta. No entanto, os anos de vida me mostraram que para atravessar o abismo, primeiro temos que confiar e nos lançar, e então a ponte aparece.

Também não é coincidência a ponte ser do arco-íris (inclusive esse é o nome de um dos hinos que escrevi sob inspiração do santo daime, Ponte do Arco-Íris), já que este caminho colorido e iluminado vem me acompanhando há cerca de um ano e recentemente eu descobri que tenho profunda ligação com o orixá Oxumaré, cujo símbolo é o arco-íris.

No final das contas, ao invés de sentir medo ou contrariedade com tudo isso, confesso sentir um friozinho na barriga... Este processo de fazer tudo o que a Cláudia não faria... Um exercício de não-ação, não-ego. Terminar de encaixotar as coisas e saber, no máximo, onde a mudança vai ficar (já é alguma coisa...rs) mas não saber ao certo onde eu vou ficar, onde estarei daqui a três meses, no que estarei trabalhando daqui a seis meses. Não saber nem ao menos em que estado estarei (não estado de ânimo, mas estado geográfico). Tudo isso é muito novo pra mim! Sempre gostei de ter as coisas planejadas, organizadas, estruturadas. Mas, de repente, este não saber está gerando uma sensação de liberdade incrível!

O Louco é, basicamente, uma alma livre. Ele vai para onde tem vontade, sem certezas, sem garantias. E o que antes parecia ser areia movediça, que faz afundar, agora parece asas que me fazem voar para onde eu quiser. Eu nunca fui louca! Um pouco maluquinha, sim...rs Mas esta louca de se atirar no abismo... hmmm... acho que no amor eu era assim, mas só. Em relação às coisas concretas, sempre fui muito séria e responsável. Então esta experiência esta sendo algo totalmente novo para mim. E olha que estou até gostando!

Bem, agora vamos voltar para o feijão com arroz...rs

Cuidado com o que falam. Cuidado com o que escrevem e assinam. Cuidado com contratos, não burlem as leis, não cometam atos ilícitos. Melhor não...rsrsrs Fora isso, aproveitem o dia! Arrumem um tempinho para sair por aí sem lenço e sem documento e usufruam da liberdade que todo ser humano deveria ter, garantida pela Lei Cósmica! ;-)

Ótima quarta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui

3 comentários:

Juliana disse...

Claudinha, boa sorte!! :D

Para quem tem elemento Terra forte no mapa, esse tipo de momento pode parecer realmente muito assustador... porém, depois de passar por coisas assim mais de uma vez, percebi que as raras vezes em que me senti realmente livre e tive contato, de forma mais prática, com a real essência do meu ser, foi quando me vi despida (e nem sempre por motivos agradáveis...) de todas as circunstâncias que me ajudavam a "me definir" para mim mesma. É como diz, com total propriedade, a música do nosso querido amigo... "Quando não tiver mais nada / Nem chão, nem escada / Escudo ou espada / O seu coração /
Acordará"... rsrs

Enfim... saber que, onde quer que estejamos, estamos na companhia de Nós Mesmos, é uma intensa e incrível descoberta - de uma vida inteira, talvez! Fico feliz que esteja vendo isso de forma positiva e desejo toda a sorte e Fortuna nesse momento. E fique tranquila porque as caixas vão estar lá te esperando... vai chegar a hora em que vc vai ter a trabalheira de mexer nelas de novo... rsrs. Enquanto isso, aproveite! ;)

Beijos e tuuuuudo de bonito!
Ju

Fernando Augusto disse...

Alguns nunca enlouquecem, que vida horrível eles devem levar - Charles Bukowski.

Esta foi a primeira frase que li quando entrei no FB hoje. Isto não parece uma dica?

Me parece que a loucura aqui fala mais no sentido de quebra da rotina, de rompimento consciente de hábitos estabelecidos, de seguir por caminhos diferentes, de deixar-se ir pelo desconhecido conduzido tão somente pelo nosso instinto. Quando agimos assim oportunidades novas aparecem, surpresas acontecem e o inesperado bate à porta de uma maneira bastante feliz.

O intelecto opera dentro do conhecido, do previsível e cumpre bem a sua função, mas não é nem de longe a força dominante de nossa mente. Nossa mente é muito mais vasta e opera como uma inteligência para além da lógica comum e formal.

Não pregamos um abandono do intelecto. Cada coisa em seu lugar, pois bom é o que está em seu lugar. A organização da mente permite que cada todas as suas funções atuam em harmonia: razão, intuição, emoção e sensação.

A harmonia é o equilíbrio entre contrários: razão e loucura.

A frase de Bukowski é totalmente racional:

"Alguns nunca enlouquecem, que vida horrível eles devem levar".

A loucura é que nos faz humanos, se não quebramos as rotinas, se não nos desprendemos de nossos hábitos deixamos de ser humanos, viramos máquinas.

Hoje é dia de permitir-se e cometer loucuras conscientes, permitindo que o novo adentre a sua vida. Faça algo diferente, faça algo que nunca fez, solte-se, permita-se, vá para lugares que nunca foi, saia da zona de conforto, surpreenda!

Neste mundo que vivemos por vezes a loucura consciente é a única via para não virarmos máquinas regidas pelo sistema "capetalista".

Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente -
Jiddu Krishnamurti.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Fernando Augusto disse...

Errata:

A organização da mente permite que todas as suas funções atuam em harmonia: razão, intuição, emoção e sensação.