Ás de Espadas

domingo, 20 de outubro de 2013


Bom dia! :-)


Bem, finalizamos a semana-oásis, todos felizes, todos satisfeitos. Tivemos cartas lindas de Copas e Ouros, tivemos dois personagens de Espadas e, hoje, o Ás de Espadas que é a expressão do poder. Como costumo citar sempre: "eu tenho a força!" É a espada do poder!

Podemos também pensar que esta espada poderosa pertence ao Rei, que esteve por aqui ontem, que representa o poder maior do Reino do Ar.

Hoje, domingão de regência solar, costumamos observar as questões ligadas ao trabalho interior e ao autoconhecimento. Um Ás de Espadas tem aqui um significado associado à capacidade mental, intelectual, de tomar decisões... E, claro, também é o poder de valorizar a nossa palavra.

Meu avô materno costumava dizer que era de um tempo em que a palavra de um homem valia mais que qualquer coisa. Vivemos um tempo oposto... Em que a palavra de homens e mulheres não costuma valer muita coisa. Precisamos mudar isso de forma concreta e objetiva, começando, claro, por nós mesmos. Que sejamos profundamente responsáveis por cada palavra proferida e desta forma possamos criar e multiplicar o poder de nossas palavras.

É isso que o Rei de Espadas começou a fazer ontem e que o Ás de Espadas veio concluir hoje. Captaram a mensagem? ;-)

Que nosso domingo seja de grandes descobertas, percepções e manifestações do nosso poder pessoal. Que assim seja!

A imagem veio daqui

3 comentários:

Emanuel disse...

Espada e Coroa do Rei em um domingo.
Nobreza, soberania e poderio de ação - já que o Cetro atesta o sangue (e o merecimento) ao título de nobreza, a Espada atesta a capacidade de mantê-lo.
Beijos Clau!

Fernando Augusto disse...

O Ás de Espadas após o Rei de Espadas de ontem marcando presença no dia Sol fazem a nossa mente brilhar com mais intensidade para esclarecer as questões internas, pessoais, de auto-conhecimento.

Sincronicamente Mercúrio em Escorpião está prestes a retrogradar o que permite que a nossa mente faça um mergulho introspectivo, um dos efeitos do planeta retrógrado, desvendando segredos de nossa alma e permitindo a compreensão profunda de problemas pessoais.

Assim deixo uma história que espelha bem a energia do Ás de Espadas, revelando como devemos tratar os problemas que se nos apresentam neste período em que precisamos de desapego para que as novas oportunidades (Ás de Espadas) surjam em nossas vidas.

O guardião do castelo

Certo dia, num mosteiro zen-budista, com a morte do guardião, foi preciso encontrar um substituto.
O grande Mestre convocou, então, todos os discípulos para determinar quem seria o novo sentinela. O Mestre, com muita tranqüilidade, falou: - "Assumirá o posto o primeiro monge que resolver o problema que vou apresentar." Então, ele colocou uma mesinha magnífica no centro da enorme sala em que estavam reunidos e, em cima dela, pôs um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza a enfeitá-lo, e disse apenas: - "Aqui está o problema!"
Todos ficaram olhando a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro. O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? Nesse instante, um dos discípulos sacou a espada, olhou o Mestre, os companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e... ZAPT... destruiu tudo, com um só golpe. Tão logo o discípulo retornou a seu lugar, o Mestre disse: - "Você será o novo Guardião do Castelo."
Moral da História: Não importa qual o problema. Nem que seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado. Um problema é um problema. Mesmo que se trate de uma mulher sensacional, um homem maravilhoso ou um grande amor que se acabou. Por mais lindo que seja ou tenha sido, se não existir mais sentido para ele em sua vida, tem que ser suprimido. Muitas pessoas carregam a vida inteira o peso de coisas que foram importantes no passado, mas que hoje somente ocupam um espaço inútil em seus corações e mentes. Espaço esse indispensável para recriar a vida.
Existe um provérbio oriental que diz: "Para você beber vinho numa taça cheia de chá, é necessário primeiro jogar o chá fora, para, então, beber o vinho." Limpe a sua vida, comece pelas gavetas, armários, até chegar às pessoas do passado que não fazem mais sentido estar ocupando espaço em seu coração. O passado serve como lição, como experiência, como referência. Serve para ser relembrado e não revivido. Use as experiências do passado no presente, para construir o seu futuro. Necessariamente nessa ordem!

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

MJuchM disse...

é...

tio fe sempre indo "na lata"...

...