Destino e Livre-Arbítrio

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Olá, queridos amigos!

Seguindo o conselho do "sócio", começa neste domingo o espaço de reflexão do Via Tarot. Ou seja, de segunda a sábado teremos sempre o Arcano do Dia e aos domingos um tema será abordado, dentro do amplo universo do Tarot. Espero comentários e participação, certo?

Pois bem... Destino e Livre Arbítrio... Esses são dois conceitos com os quais lido freqüentemente.
De um modo geral, percebo que as pessoas que me procurarm para uma consulta estão vibrando na mesma freqüência, ou seja, são pessoas que buscam o auto-conhecimento, que querem saber mais sobre si mesmas e as possibilidades de se desenvolverem, crescerem, amadurecerem. Muitas também chegam querendo saber o que elas não estão enxergando, o que está acontecendo que elas não conseguem compreender e com isso não conseguem mudar o rumo da vida. Raras, muito raras são aquelas que chegam exigindo adivinhações precisas de um futuro distante sem que haja um pingo de trabalho pessoal a ser executado.
Creio que isso prova, mais uma vez, que semelhante atrai semelhante e que o mundo das relações humanas funciona de forma oposta ao mundo das relações moleculares...rs
Não tive a curiosidade de fazer uma estatística nestes mais de 10 anos de trabalho com consultas de Tarot, mas fazendo uma rápida retrospectiva, poderia dizer que tive uma consulta em que a pessoa queria tanto ouvir uma determinada resposta que ficou quase três horas (intermináveis e desgastantes) metralhando meus ouvidos de perguntas, que recebiam sempre as mesmas respostas de diferentes maneiras, com variados Arcanos. E teve uma outra vez em que uma cliente, muito magoada com uma relação afetiva que vivia, queria a todo custo que eu revelasse que seu companheiro era um cafajeste, um cretino, mas não havia nada no jogo que revelasse isso. Na verdade, o jogo era bem claro e dizia que ele a amava, mas ela precisava mudar suas atitudes senão ele iria embora. Não preciso dizer que depois de duas consultas e mil telefonemas (quase mudei o número!) ela nunca mais apareceu e provavelmente acha que a culpa de tudo ter dado errado foi do Tarot ou minha.
Mas, com exceção dessas duas vezes, todas as outras consultas foram “normais”. Algumas pessoas são mais ansiosas; outras menos; algumas pessoas só aparecem quando algo as incomoda; mas tenho clientes que aparecem, religiosamente, a cada três meses para dar uma olhada geral, encaram o Tarot como uma homeopatia... uma “medicina da alma” preventiva, em que estando sempre atento para o que acontece dentro e em volta será possível prevenir tropeços e enganos. A maior parte dos meus clientes fixos, aqueles que se consultam pelo menos duas vezes por ano, é formada por pessoas espiritualizadas, inteligentes, com um bom nível de estudo e que estão buscando a forma mais harmonizada de viver.
Talvez por ter clientes com este perfil, percebo que é fácil falar sobre livre-arbítrio. É simples explicar que o destino é feito por nós a cada dia. Na verdade, acredito que existe um tipo de rascunho de vida, com alguns eventos mais ou menos definidos, mas 95% de tudo que acontece na nossa vida é resultado de pensamentos, sentimentos e ações ou seja: nós somos responsáveis (de forma consciente ou não) por tudo que nos acontece no decorrer da vida.
Pode parecer cruel, mas é real. Precisamos estar sempre atentos para analisar o que estamos atraindo para a nossa vida através de nossos atos. É comum observar mulheres que se dizem infelizes pois não têm sorte no amor, mas se olharmos suas atitudes fica fácil compreender que não é uma questão de sorte, mas de lógica. O ser humano é um ser que baseia a sua existência no relacionamento e no entanto parece saber tão pouco sobre o relacionar-se.
Para que vocês compreendam claramente o que digo vou dar um exemplo, um exemplo sem vestígios de julgamentos ou conteúdo moral, é lógica pura: uma mulher reclama que todos os homens com os quais ela se relaciona não são cavalheiros, gentis, românticos, não “cuidam” dela como ela gostaria, na verdade, quando tiveram alguma chance esses homens empurraram para ela o trabalho, o esforço, o pagamento da conta e a responsabilidade sobre tudo. Então vamos ver como essa mulher se comporta: faz questão de mostrar que é independente, livre, não se prende a homem algum, quando tem vontade de chorar troca o choro pelo grito... Quando se sente carente, imprensa o homem na parede fazendo cobranças... É ansiosa e corre para resolver tudo porque não tem paciência para esperar uma atitude do companheiro que, segundo ela, é “descansado demais”... está sempre exigindo, decidindo, resolvendo porque não tem tempo a perder.
Eu não sei vocês, mas eu olho para esse contexto e compreendo perfeitamente porque os homens agiram daquela maneira. Vejam bem: não estou concordando com eles! Estou simplesmente compreendendo o que levou cada companheiro dessa mulher a agir da forma que agiu. De um modo geral, as pessoas não são loucas (se bem que conheço exceções...rs), elas não tiram o seu comportamento do éter! Elas estão reagindo... somos seres reativos... então, a toda ação corresponde, sim, uma reação que com ela encaixa perfeitamente. Toda vez que nos perguntamos “mas por que fulano agiu assim comigo?”, antes de passarmos para a possibilidade da loucura, deveríamos prestar atenção em como agimos com fulano.

Há também uma outra questão, ainda mais sutil, que envolve não somente a forma como agimos ou falamos diretamente com as pessoas, mas as mensagens silenciosas que emitimos, normalmente sem percebermos... Mas isso é outra conversa... Uma conversa para o próximo domingo. Até lá! :-)

Imagem: óleo sobre madeira "Adão e Eva", de Rubens.

6 comentários:

Anônimo disse...

Escrever um texto como esse é um exercício de Rainha de Espadas, mas nota-se que essa Rainha escreve com um estilo que se aproxima da Rainha de Copas. Interessante isso!

Quero deixar uma sugestão futura de assunto de domingo no Via Tarot: os 3 tipos de relacionamento - cármico, dármico e espiritual.

Na paz,

F.A.

LeTicia disse...

ola mais uma vez...

A cada dia q passa fico mais espantada com tudo o q se passa no via tarot... cada carta retirada, cada interpretação feita e agora, esta ideia para os domingos me fazem crer cada dia mais que nada acontece por acaso.
Tal como uma vez vc disse, as pessoas que sao atraidas ao via tarot nao sao atraidas por acaso e acredito que cada pessoa que por aqui passa, tal como eu, se sente tocada com cada uma das palavras que vc aqui deixa.


Muitas felicidades e continuaÇao de muito sucesso *

Anônimo disse...

Adorei a idéia..mas meu pc pifou neste sábado.. ficarei um tempinho fora do Via Tarot..

Mas espero que continuemos na mesma sintonia ^^

att

Rafael

Simone (Lêda) disse...

Como sempre, Claudinha, inteligentíssimas suas colocações. É claro que às vezes tropeçamos em algo "pior" do que aquilo que esperávamos, mas de alguma forma nós mesmos, se não o colocamos diretamente ali, inconscientemente o atraímos. Eu tenho toda a certeza de que, se quisermos e quisermos mesmo, com toda força de nosso pensamento, de nossa alma, podemos fazer um novo dia, um amanhã diferente. Falta-nos acreditar e conhecer de verdade a única pessoa capaz de tornar-nos FELIZES ou INFELIZES: NÓS MESMOS!
Mal-humor, tristeza e tantos outros sentimentos ruins são contagiantes e com um poder de atração muito forte, mas eu, hoje e sempre, escolho ser diferente: EU ESCOLHO PENSAR FELIZ, OLHAR FELIZ E SER FELIZ!!!! Que todos tenhamos a capacidade de escolher bem. Um beijo enorme.

Cláudia Mello disse...

F.A.
O mais interessante é que essas são as duas Rainhas que rarissimamente aparecem em jogo me representando. O mais comum é a Rainha de Paus e, algumas vezes, em situações bem específicas em que a minha praticidade vem à tona, a Rainha de Ouros. Na verdade, toda mulher deveria absorver os atributos das quatro Rainhas, sendo assim um ser em equilíbrio com os quatro elementos.
Sugestão anotada! :-)))
beijos, querido

Letícia:

Seja sempre bem-vinda ao Via Tarot! Fico muito satisfeita e até emocionada quando leio declarações como a sua, pois desde que comecei a estudar o Tarot, lá pelos idos de 1988, sonhava poder fazer o que hoje faço. E a gente sempre quer fazer as coisas da melhor forma possível, não é mesmo?
Obrigada pela presença e pelas palavras.
beijos!

Rafael

Estaremos aqui torcendo pela recuperação de seu computador :-)) Sua participação é ótima e sentimos sua falta quando vc passa uns dias sem comentar.
beijoca!

Siiiiiiiiii !!!! :-)))

Saudade de vc, menina!
Pelo seu comentário, vejo que, como sempre, está administrando muito bem a vida.
Sim, é assim mesmo. Temos a possibilidade de escolher o tipo de vida que queremos ter, pena que nem sempre tenhamos condições emocionais de fazer isso da melhor forma possível. Mas ver claramente que é possível já é um bom começo!
beijão!

Nancy Passos disse...

Adorei a novidade e gostei muito da sugestão do F.A.

Beijos