O Imperador

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Bom dia! :-)

Ok, eu gosto sempre do tarot... Mas eu gosto muito mais quando ele me surpreende! Quando ele aponta para mudanças, transformações, quando sai do lugar comum e vibra o novo. Foi o que aconteceu...

Passamos por uma Rainha de Copas, depois uma Sacerdotisa e em seguida um 8 de Copas para cairmos hoje em um sólido, prático e concreto Imperador. Aleluia! rs

Bem, primeiramente, gostaria de relatar para vocês alguns acontecimentos dos últimos dias, que expressam as cartas que apareceram por aqui. Na segunda, eu li um email que realmente me deixou muito triste, chateada e com uma sensação de cansaço... Sabe quando bate a sensação de injustiça no ar? Assim... Ou seja, a Rainha de Copas me sensibilizando, porque talvez em outro momento eu tirasse aquilo de letra. Neste dia, começou minha dor de garganta. Na terça, tentei acomodar tudo isso dentro de mim, mantive a boca fechada, tentei transmutar, trabalhar isso em mim espiritualmente, como uma boa Sacerdotisa. A dor de garganta continuou. Ontem, além da dor de garganta, me senti fraca, como se minha energia fosse drenada. Foi um 8 de Copas mesmo que veio à tona com uma percepção que tive, sobre o fato de eu estar sempre pronta a apoiar os outros e não ter o direito de ter sentimentos, problemas, uma noite mal dormida... 

Desde criança que sou uma referência na hora do perrengue, muito antes de eu começar a trabalhar com tarot e fazer disso profissão. Era comum amigas me procurarem quando brigavam com a mãe ou com outras amigas, querendo ouvir conselhos, dicas, orientações. E sempre fiz isso com o maior prazer, porque consigo analisar situações com facilidade e encontrar possíveis soluções. Mas isso acaba gerando duas coisas: 1) as pessoas acham que eu estou sempre bem, não tenho problemas, não tenho sentimentos, não me magoo ou fico triste com as coisas que elas falam ou a forma como falam 2) o nível de cobrança é algo que chega a chocar! Dá vontade de falar: "ei! Eu não sou uma máquina! Não sou um computador! Tenho sentimentos... Eu não sei de tudo o tempo todo! E, acredite ou não, tem horas que eu não sei o que fazer em relação aos meus próprios problemas. Como posso ter a pretensão de resolver os seus?" E, acreditem, isso não fica só na esfera dos clientes!

Então, ontem, quando eu estava com todos esses questionamentos pululando na cabeça e me remexendo por dentro, nesta energia de 8 de Copas, mergulhando nos processos interiores, descendo ao Hades, uma cliente, para quem fiz uma consulta a noite, tem a delicadeza de me perguntar como eu estou me sentindo em relação a este caminho pós-licença da prefeitura. Ela começou a se consultar comigo há dois anos, bem na época em que entrei de licença para me dedicar somente ao tarot. O que achei mais interessante foi a forma dela perguntar... O fato de ter colocado o "sentir" em meio a algo, a princípio, concreto e mental como a vida profissional. Sua pergunta e sua disponibilidade de me ouvir geraram uma cura, a tal ponto que agora, quando escrevo esta postagem, apesar de ainda estar pigarreando um pouco, a dor de garganta mesmo passou, completamente! Gratidão "você sabe quem"! :-)

Há muitos anos eu costumo dizer "Deus me livre dos coitadinhos!" Isso, longe de ser uma colocação simplesmente crítica, é uma percepção de que as pessoas que sempre se acham vítimas, frágeis e sofredoras costumam não enxergar que os outros também têm problemas, muitas vezes, problemas bem piores do que os delas. Por outro lado, os que se julgam muito fortes e corajosos (eu! eu! rs) acabam sempre priorizando as necessidades alheias, porque acreditam que eles dão conta de seja lá o que for, enquanto os outros não são capazes de fazer o mesmo... É preciso haver equilíbrio! É preciso bom senso! De ambos os lados!

Pois bem, tudo isso para chegarmos ao Imperador. O que nos prova que a concretização de algo, bem como a sua estabilidade e organização, demanda todo um processo. Para chegar à terra temos que passar pela água (e antes o fogo e o ar). Tudo está interligado e tem sua razão de ser.

Como estamos em uma quinta-feira de Júpiter, quando falamos dos poderes, nossos e dos outros, percebo que este Imperador chega por aqui para nos alertar sobre a real concretização, materialização dos nossos poderes. O mais comum é que tenhamos mil ideias, sensações e entusiasmos... Mas o que fazemos com tudo isso em termos práticos? Esse é o tema para reflexão! ;-)

Aproveito para trazer aqui a coisa mais concreta que andei preparando, na verdade, será uma oportunidade de expor o resultado de tantos anos de estudo e prática. Estou falando da minha participação na Confraria Brasileira de Tarot, que acontecerá nos dias 19, 20 e 21 de julho, em São Paulo. Convido todos a me encontrarem lá. Minha palestra será no sábado, dia 20, das 18h30m às 20h, com direito a algumas experiências sensoriais enriquecedoras! ;-)

Mais informações sobre o evento AQUI

E, novamente, uma trilha sonora da sincronicidade, porque esta é a música que o sócio colocou aqui, enquanto reviso a postagem...rs


Ótima quinta para todos nós! :-)

A imagem veio daqui


4 comentários:

Jeferson disse...

Tambem tenho desses problemas viu Cacau. É bem isso mesmo, vc nao pode ter seus '15 minutos' etc... É muito complicado.
Parabens pelo texto!
Ja garanti meu ingresso pra Confraria desse ano! *-*
Abçs!

Rosana Sperotto disse...

Nossa, Claudinha, meus últimos dias foram muito, muito parecidos com os teus... Ontem, então, a energia se escoou de uma forma e essa percepção de ter esvaziado e, ainda assim, continuar sendo solicitada também mexeu comigo. Que o Imperador venha pra por "ordem" nisso tudo e nos devolver a vitalidade. Beijo!

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Vi(d)a!

O Imperador chegou e veio para nos dizer:

- Aqui é Esparta!!!

O Imperador no negativo é insensível, mas no positivo ele forjou o seu sentimento como só os guerreiros (as) podem fazê-lo, pois implacabilidade não é crueldade, paciência não é passividade, gentileza não é submissão e astúcia não é maquiavelismo.

O sentimento do Imperador é uma combinação harmônica destas quatro qualidades, destes quatro posicionamentos da percepção:

implacabilidade

gentileza

astúcia

paciência

Esta é a disciplina da alma do Imperador, onde ele impera sobre si mesmo e gira em torno de seu coração para dizer à todos àqueles que ameaçam aos seus e ao seu reino:

- Aqui é Esparta!!!

http://www.youtube.com/watch?v=lpu20fZBktw

No intento,

F.A.

Cacau Gonçalves disse...

Bom dia! :-)

Jeferson, te vejo na Confraria! :-)

Rosana, respira fundo e vai, minha amiga! Hoje, acordei aqui dando uma geral na casa, botando roupa pra lavar...rs Tem que chacoalhar pra "pegar no tranco" ;-)

Sócio, deu vontade de ver o filme de novo (pela milionésima vez...rsrsrs)

beijo