10 de Paus

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Bom dia! :-)

O tarot é sempre surpreendente e nos faz descobrir coisas novas há cada dia. Hoje, por exemplo, o 10 de Paus (que já havia nos ensinado algumas coisas legais na quarta-feira) chegou por aqui e me fez ver várias coisas. Vou compartilhar isso com vocês.

Como poderíamos imaginar o 10 de Paus em uma situação de relacionamento afetivo? O caminho mais simples é achar que tudo está um saco, que a pessoa chegou a um limite. No entanto, isso é muito raso. Vocês vão ver do que estou falando.

O 10 de Paus não pode ser interpretado somente como resultante de fatos, ou seja, muito trabalho, aborrecimentos e cansaço. Ele pode ser, simplesmente, a forma como a pessoa está se sentindo, com uma sobrecarga de responsabilidade, um peso nas costas, porque ela quer que tudo aconteça do jeito que planejou. Quando trazemos isso para um relacionamento, vemos que frequentemente acontece um desgaste na relação, não por conta da realidade, do aqui e agora, mas por conta de tudo que se acumulou nos relacionamentos anteriores. Assim, vamos passando por várias experiências (Ás, 2, 3, 4...) até o 10. O mais paradoxal é que, normalmente, com o passar dos anos, vamos amadurendo e escolhendo melhor parceiros e parceiras, no entanto, ao invés de enxergarmos claramente isso, percebendo neles os seus valores, acabamos por projetar nossas dores e crises passadas nesta nova relação, que (pelo menos em tese) tem mais chances de ser muito melhor. Assim, provavelmente, todos nós temos uma história para contar sobre uma paixão enlouquecida na juventude por alguém que "não valia nada" e, por outro lado, uma história de amor na maturidade com alguém muito especial, que acabou indo por água abaixo porque paramos de perceber o verdadeiro valor daquela pessoa.

O 10 de Paus traz um peso que tira toda a leveza do amor! O grande mistério do amor é que ele é leve e ao mesmo tempo profundo. Não estou falando do amor romântico, baseado em fantasias e carências, estou falando do amor maduro, que não deixa de ser intenso e prazeroso. É preciso compreender que amor maduro não é um relacionamento entediado. E é preciso compreender que compromisso não é falta de liberdade e estabilidade não precisa ser chatice. Temos em nosso interior um universo! Particularmente, eu acho que quem se sente aborrecido por ter um compromisso (com quem ama, claro), é porque deve ter um mundo interior muito chato. Quando duas pessoas são interessantes e ricas interiormente, o resultado só pode ser a plenitude da soma.

Os Arcanos também possuem uma sabedoria e uma magia incríveis! Eles mostram o problema e já apontam para a solução. De que jeito? Simples! Dê um passo a frente! Isso quer dizer que se chegamos no 10 de Paus e estamos sentindo todo o seu peso, podemos tanto retornar ao Ás, pulando para um novo relacionamento, uma nova paixão, caso se conclua que o relacionamento não vale mais a pena, quanto podemos pular para a corte, absorvendo a natureza criativa e entusiasmada da Princesa, assim, continuamos na mesma relação, mas sob uma nova ótica, em uma esfera superior.

Outra coisa que devemos nos lembrar é que estamos no naipe de Paus, do elemento fogo. Ou seja, não estamos, definitivamente, em uma situação morna. Tanto pro lado positivo quanto para o negativo. Aliás, no 10 temos uma quantidade de energia enorme sendo muito mal aproveitada! Se ela fosse direcionada para os prazeres e a criatividade, ao invés do stress e da raiva, certamente os resultados seriam melhores! A paixão costuma ser mal interpretada ou interpretada de forma reducionista, somente como a paixão adolescente e destemperada. Mas é a paixão que move o mundo! E sem paixão, ficamos sem vida, sem paixão nada acontece! Ela é o combustível para a concretização. Paixão é energia vital, quem não tem paixão em tudo que faz, é porque não tem energia e isso nada tem a ver com o parceiro ou parceira, tem a ver com a própria pessoa.

Ótima sexta de amorzinho! (acho que nem precisa de um tema pra meditação, né? O texto todo foi um bom tema...rs)

A imagem veio daqui

8 comentários:

Juliana disse...

Texto perfeito, da série "pra pendurar na parede"... e ainda me ajudou a entender os resultados de um jogo recente, cheio das cartinhas de Paus! :)
Obrigada Clau, beijos e boa sexta a todos!
Ju

Lua Rosa disse...

Olá Cacau, já não é a primeira vez que visito seu blogue, mas hoje foi a primeira em que li uma postagem inteira e com calma (a correria do dia-a-dia!), mesmo sendo tão longa (repito suas palavras!). Foi longa sim, mas gostosa de ler e que expõe uma visão interessante do 10 de Paus, com um bom desenvolvimento do tema. Pena que não tenho tempo para ver o filme. Estou seguindo formalmente o seu blogue hoje, desejando-lhe muito sucesso. Abraços da luarosa-tarot.blogspot.pt

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Via!

Os problemas, aparentemente, mais complexos se resolvem da maneira mais simples. Não são uma questão de mudar tudo e sim de um pequeno ajuste.

Este é o mistério da carrapeta.

Você troca a carrapeta da torneira vazando e o pinga-pinga continua então você acha que tem que trocar o conjunto todo e, de repente, num rasgo instintivo, você pega um alicate denteado e gira um peça da engrenagem hidráulica e tudo se resolve.

Simples assim, sem stress, sem 10 de paus.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Cacau Gonçalves disse...

Olá, amigos e amigas

Hoje, o 10 de Paus se manifestou por aqui (estou em viagem, na casa dos meus pais) de uma maneira muito interessante. Havia me programado para fazer muitas coisas no computador e na rua. Uma sequência de situações, culminando com uma falta de energia em casa, que tomou a tarde toda e uma dor forte do dedo do pé (ontem caminhei muito com o tênis apertado e fez uma bolha enoooorme)que me deixou de molho, totalmente impossibilitada de colocar sapatos ou caminhar.

Tradução: me enchi de responsabilidades/tarefas, mas precisei dar um passo à frente, pular para a Princesa de Paus e usar a criatividade. Resultado? Minha mãe passou henna no meu cabelo, eu joguei tarot pra ela e tivemos um dia em família muito gostoso, com muita conversa e ideias para realizar.

A flexibilidade interna em relação aos fatos que acontecem é capaz de modificar completamente uma situação, de stressante, angustiante, para algo leve e realizador.

beijos para a Ju e o Fê, e para a Lua Rosa também (seja bem-vinda! :-)

E para todos vcs que passam por aqui (estou com saudade da turma que batia papo por aqui e trazia novos questionamentos)

AugustoCrowley disse...

Perfeito!!

Anônimo disse...

Onde e que posso ver o vídeo?

Cacau Gonçalves disse...

É só clicar ali mesmo para começar ou então onde está escrito youtube, para abrir o filme direto lá...

Wanderson Alves disse...

obrigado!