A Sacerdotisa

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Bom dia! :-)

Ontem, depois de encerrar um Mapeamento 2016, me veio uma inspiração, olhando as postagens do Facebook. Li várias pessoas reclamando de 2015 e resolvi escrever um pouco sobre este polêmico ano. Só que o texto foi crescendo tanto que resolvi trazê-lo para cá. Apesar de a Sacerdotisa ser um Arcano que se associa ao silêncio, ela também tem a ver com a percepção sutil, o mundo espiritual e mágico e eu tenho muito a falar sobre isso.

Então resolvi escolher esta imagem, que foi durante anos o meu cartão de visitas no curso de tarot online. Várias pessoas que fizeram o curso certamente lembrarão. Eu era a Sacerdotisa que queria virar Imperatriz... E mais adiante virou... E agora está pensando em virar Estrela...rs Esta metamorfose ambulante! ;-)

Mas vamos ao que interessa!

Vamos lá... chega final de ano e todo mundo começa a pedir pelamordedeus pra ele (o ano) ir embora. A cada final de ano parece que aquele foi o pior da vida da maior parte das pessoas. Pois bem... Vou fazer meu depoimento sobre 2015.

Sem dúvida, este foi um ano conturbado em termos políticos, sociais e ambientais. Mas sempre me pergunto se foi mesmo ou se a mídia é que decidiu filtrar para nós, de maneira totalmente massacrante, esses temas. Porque, vcs sabem, a realidade é o que a mídia decide. Então vou falar daquilo que eu tenho como comprovar que aconteceu: minha vida.

Este ano não veio sozinho. Ele foi a continuação de 2014, de uma forma muito singular. Neste período (estendido... pegando uns seis meses extras de 2014), eu aprendi muito mais coisas sobre mim mesma do que aprendi em todos os outros anos da minha vida. Talvez porque tenha batido o meu recorde de solteirice e sozinha eu tenha a possibilidade de ser mais eu mesma. Aprendi a olhar meus defeitos com mais tranquilidade e a perdoá-los. Aprendi a olhar para as minhas qualidades com alegria, mas sem "deitar em berço esplêndido". Aprendi que não preciso desesperadamente de alguém, mas que desejo amorosamente ter alguém com quem compartilhar a vida. Compartilhar pode ser tão gostoso quanto usufruir da minha própria companhia e o equilíbrio entre uma coisa e outra me encantam.

Em 2015 deixei de realizar projetos, não consegui me entender com o tempo, briguei com o sono, fiz beicinho quando queria retornar aos meus desenhos e tinha tantas obrigações a fazer... Mas também foi em 2015 que eu encontrei e reencontrei amigos tão queridos, dei gargalhadas, conversei olho no olho e percebi o quanto (muito) eu gosto de certas pessoas e elas nem desconfiam... E, por outro lado, descobri que algumas pessoas gostam muito de mim e fiquei emocionada. Amigos são a família que a gente escolhe! E por falar em família, tive momentos maravilhosos com a minha! Vejo pessoas falando do almoço de domingo em família como se fosse uma obrigação chata... Pois pra mim é um dos momentos mais prazerosos da semana!

Em 2015, eu me diverti muito - muuuuito! - no meu trabalho na escola. E apesar de todos os aborrecimentos com a Administração Municipal e o atraso de salário, não posso negar: eu gosto muito do ambiente onde trabalho e dos meus colegas de trabalho. Isso me deixa ainda mais aborrecida, porque questões burocráticas e financeiras fazem com que eu pare de rir em um lugar onde me sinto tão bem. Mas não posso dizer que esses problemas são de 2015, pois em 2010 eu já recebia meu salário no meio do mês e já me revoltava com várias situações bizarras. Então, não... Não é culpa de 2015.

Em 2015 eu pude me reconectar espiritualmente, eu pude fazer escolhas que deixaram claro que eu não abriria mão das minhas crenças, do meu ofício como taróloga e terapeuta, do meu caminho espiritual. Foi neste ano que eu voltei a ouvir a voz da minha bruxa mestra Dóris dentro de mim, me orientando de maneira inquestionável. E foi neste ano que eu voltei a conjugar o verbo amar, fazia um bom tempo que não fazia isso com o coração e não só com a boca. E isso não foi fácil! Havia um coração congelado para quebrar, afirmações a desconstruir e um grande medo de perder a minha querida liberdade, conquistada há tão pouco tempo (considerando a "história da minha vida"...rs) E isso não está definitivamente resolvido, mas está em construção, amorosamente, dia a dia. Porque amor não vem pronto, mas se constrói e creio que só se descubra se ele é de verdade mesmo quando chega ao fim... Seja do amor ou da vida...

Este ano foi um ano muito importante para mim! E se fosse relatar tudo de importante que aconteceu, ficaria dias escrevendo. Mas vou destacar alguns itens, mesmo correndo o risco de deixar de citar coisas igualmente fundamentais. Neste um ano e meio (tem metade de 2014 em jogo, né?), eu percebi que a pessoa mais preciosa da minha vida, meu filho, nunca esteve longe de mim, mesmo no período em que ficou morando longe de mim. Hoje, ele é um homem de quase 23 anos de quem tenho muito orgulho e com quem tenho uma amizade gratificante. Neste ano, retornei ao contato com amigas queridas, como minha irmãzinha Val, e fiz amigas que parecem ser lá da infância de tão queridas, como a Adi e a Pupy. Neste ano, minha vida social retornou, depois de anos na caverna do eremita. Momentos em família, com meus pais, meu irmão, minha cunhada e minha sobrinha foram tão lindos que algumas vezes eu chegava em casa no domingo a noite e chorava de alegria. E mesmo as dificuldades e mesmo os momentos desafiadores, aqueles mais íntimos que a gente não conta pra ninguém, me ensinaram tanto que só posso agradecer. E, para coroar 2015, reencontrei alguém muito especial que trouxe a magia de volta para os meus dias... de uma forma tranquila, suave e ao mesmo tempo profunda.

É o olhar que constrói a realidade e esta é a grande magia! Eu poderia pousar meus olhos nas dificuldades, mas escolhi abraçar a totalidade com o coração aberto e pleno de amor. Sei que o ano ainda não acabou, mas é isso que desejo para todos vocês: gratidão por 2015 e a alma plena para receber 2016.

Que a quinta-feira do Grande Benéfico seja poderosa para todos nós!

A imagem veio de algum lugar do meu passado! ;-)

7 comentários:

Julia Fernandes disse...

Feliz ano velho!!!! bjs...

Clara disse...

Bom Dia!!!
Claudinha, tenho certeza que já te falei antes:
- Tem horas que me IDENTIFICO tanto com os Teus Processos que fica pensando que será devido a Dona Oxum? Será Libra em seu Mapa? Sera? Sera? ...
Essa de Retomar a Liberdade, é ESSENCIAL, não é???
Eu passei a vida procurando um príncipe. Não Achei.
Achei um Ser Humano comum com quem divido algumas Experiências.
Amar eu Amava. Hoje tenho Minhas restrições. Bom, mas não é bem isto que quero Dizer
Aonde eu quero chegar é: CADÊ MINHA LIBERDADE???
AH, COMO SINTO FALTA.
Outra coisa que você falou na sua Postagem de hoje foi:
É o Olhar que Constrói a Realidade.
LINDO, viu?
Sem Dúvida. Apesar de uma Tendência ao REALISMO EXAGERADO, estou também Optando por uma VIDA MAIS LEVE, UM OLHAR MAIS LEVE SOBRE A VIDA, COISAS E PESSOAS.
Apesar da convenção de só se escrever em Minúsculas, gosto de colocar algumas Palavras e Textos em Maiúsculas para dar ÊNFASE ao que quero dizer.
Então, que sejamos Leves e olhemos a Vida com MAIS AMOR!!!
SEJAMOS ESTRELAS NO PALCO DA VIDA. E a Sacerdotisa Onde entra?
Acredito, que quando Ouvimos Nossa Voz Interior e nos "RESPEITAMOS"
Este, Acredito, é apenas UM dos Aspectos Dela.

Cacau Gonçalves disse...

Bom diaaaaa!!!!

Sejamos sacerdotisas e curadoras, sejamos estrelas, sejamos livres, sejamos o amor da cabeça aos pés! ;-)

beijos!

Clara disse...

E aSSIM sEJA!

Aparecida Soares Silva disse...

Olá Cacau e Viamigos,

Verifico também que a Sacerdotisa se silencia em muitas situações, principalmente, nas adversidades. Honestamente, achava que essa coisa de guardar um dia de fúria no peito fosse algo da Força, mas hoje pude perceber claramente que a Sacerdotisa tem autocontrole e ela encontra sentadinha a resignação para superar os momentos dolorosos. Todos os dias, eu retiro um par de arcanos e saí com a Força x 2 espadas. De fato, não pulei na jugular de ninguém, nem me preparei para as voadoras, não porquê me domestiquei (a força), mas sim pelo pensamento: gente, é assim mesmo...se nadar contra maré, a coisa pode piorar, então deixa a onda me levar. Isso é algo da Sacerdotisa, a senhora calma e quieta sentada em silêncio que espera porque é sábia. Ela simplesmente aguarda e seleciona, o melhor vai acontecer e vem !!

Portanto, sejamos também imperatrizes belas e próperas, sejamos forças e sejamos mundo na conquista de objetivos e metas em 2016.

Amo este blog! Amo o via! Amo muito tudo isso! Beijos

Cacau Gonçalves disse...

Fico muito feliz com a sua participação, Cida! É muito bom sentir este feedback!

Super-beijo!

Clarice disse...

Lindo post, amei! Vou compartilhá-lo no meu perfil FB ;)