Ás de Espadas

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Bom dia! :-)

Alguém consegue se lembrar de uma imagem que mais reproduza o símbolo do poder legítimo? Excalibur! Que confere poder somente àquele que já possui o poder em si por direito e mérito.

Podemos dizer que esta é uma bela definição do Ás de Espadas!

Ontem, ao voltar pra casa, estava pensando sobre o 6 de Paus e percebendo que, às vezes, esperamos uma vitória impressionante por uma vida inteira. Isso gera frustração, porque esperamos aquele sucesso retumbante que o sistema nos ensina a acreditar que deve ser a meta. No entanto a vida é feita de pequenas vitórias, pequenas porque não atendem ao padrão espetaculoso que querem nos vender... Mas são vitórias incríveis, delicadas, belas, significativas de uma forma tão especial, que é um assombro que não tenhamos a capacidade de identificá-las!

E o Ás de Espadas, que surge em seguida do 6 de Paus, mostra o que é que é capaz de nos trazer esta vitória e, especialmente, o que nos faz capazes de percebê-la: o poder que se encontra guardado dentro de nós, o poder legítimo, o poder da nossa essência. Podem chamar de Eu Divino ou de Poder Pessoal.

Se associarmos tudo isso ao fato de estarmos em uma sexta-feira de amorzinho, sob regência de Vênus, tudo fica mais claro: estamos falando o poder do amor! Ah, mas o Ás é de Espadas, ligado ao elemento Ar, e está associado à mente. Tá... Mas os talentos da mente sem os talentos do coração não valem de nada, viu? (e tenho dito! rs)

Olhando esta imagem e fazendo esta postagem após assistir minha aula de Alquimia, não posso deixar de pensar numa coisa que talvez esteja oculta nesta imagem...

Voltamos ao velho dilema... Sempre associamos o Ar/Espadas ao masculino, o que parece fazer sentido pois são os meninos que adoram brincar de guerra...rs No entanto, a imagem de Excalibur na pedra pode ter uma interpretação de elementos dentro dos princípios da Alquimia: A Espada é o Ar e é o feminino, é Mercurial... Ela atravessa a pedra, que é Terra, masculina e Sulfúrica. E isso pode representar a união entre masculino e feminino que gera este poder: o poder de atravessar bloqueios e muralhas do mundo concreto com a sutileza do mundo espiritual. O feminino que tem a flexibilidade de adentrar locais, realidade e situações impenetráveis! E o masculino lá está "firme como uma rocha", mas não sai do mesmo lugar. Mas quando os dois se unem, viram uma outra coisa... O Sal, a união que se expressa através do coração, e um verdadeiro monumento ao poder legítimo da essência do ser.

Afff... Desculpem a viajada, mas depois de uma aula com o Joel Aleixo eu fico assim! rs

Pois bem, pão-pão, queijo-queijo: galera, vamos exercer nosso poder interior, vamos descobrir o caminho do coração e agir, decidir, resolver... SER!

Hoje é dia! ;-)

Ótima sexta para todos nós!

A imagem veio daqui


7 comentários:

ROSANGELA disse...

Valeu !!!!!!!!

Clara disse...

Bom Dia.
Ave Maria tio Fê. Quando o Sr se Manisfesta, através da Palavra(ou escrita), Eu o Reverencio:

A DIVINDADE QUE HABITA EM MIM, REVERENCIA A DIVINDADE QUE HABITA EM TI.

NAMASTÊ!!!

del carvalho disse...

amei a postagem gratidão
apesar de eu sempre estar esperando os comentários do fernando,pois entendo direitinho a carta comunicada por ele hoje entendi tudo, penso gratidão imensa pela partilha,não sei como comecei a vir aqui,mas já lá vão (penso)à volta de 3 anos que venho aqui diariamente,e sou grata pela continuação,apesar dos trancos e Barrancos na tua vida agradeço continuares com o blogue
bjs

del carvalho disse...

amei a postagem gratidão
apesar de eu sempre estar esperando os comentários do fernando,pois entendo direitinho a carta comunicada por ele hoje entendi tudo, penso gratidão imensa pela partilha,não sei como comecei a vir aqui,mas já lá vão (penso)à volta de 3 anos que venho aqui diariamente,e sou grata pela continuação,apesar dos trancos e Barrancos na tua vida agradeço continuares com o blogue
bjs

Cacau Gonçalves disse...

Bom dia, pessoas queridas!!! :-)

Rosangela, beijão!

Clara, o tio Fê ainda não se manifestou hoje, minha querida! Por enquanto fui só eu mesma...rsrsrs

Del, bom saber que vc tb faz parte da família Via Tarot :-)

beijosss

Fernando Augusto disse...

Eu não tenho espada, faço da perseverança minha espada – Credo do Samurai.

Pensar muito não é pensar. Pensar muito é diferente de pensar bem. Quem pensa bem possui foco, concentração, poder mental. Quem pensa bem possui um pensamento e não muitos. Não está também obcecado, pois depois de pensar o que precisa ser pensado relaxa a mente. Pensar é bem é pensar um pensamento, uma idéia.

Pensar verdadeiramente é algo muito raro, é preciso ter a mente limpa e os intestinos puros, pois isto confere um pensamento visceral.

É muito raro encontrar pessoas que pensem bem. Em geral o pensamento é plural, é caótico, é legião onde o diálogo interior está superativado. Precisamos estar atentos a isto pois a emergência do Ás de Espadas no Via Tarot é a potência mercuriana, o potencial da mente que se revela. A maioria dos seres humanos não pensa, antes é pensado por uma série de pensamentos que emanam da mente coletiva. Ser capaz de pensar por si, ser capaz de concentrar-se e silenciar a mente quando necessário indica a autonomia em relação à mente coletiva, indica a existência de uma individualidade, indica que se possui alma, pois há calma interior, paz mental.

“Com paciência possuireis vossas almas” e vossa mente, parafraseando Jesus.

A mente é como uma espada, possui duplo fio, pode gerar através da dualidade o bem e o mal, o céu e o inferno, a tese e a antítese.

A mente tem duas funções: pensar e não pensar.

Dizem que o homem é o animal racional. Mas onde está a razão do homem que destrói a si mesmo e a Natureza. Nenhum animal faz isto.

O pensamento não é um característica dada, é uma potência a ser desenvolvida no ser humano.

O não-pensar citado aqui é a capacidade de transcender a mente através do silêncio, da meditação e da observação de si mesmo. Não-pensar envolve um primeiro passo: não identificar-se com os pensamentos. Assim também se usa os poderes da mente. Identificar-se com a mente é ser usado e não usar.

Pensar é um exercício, como malhar, tocar ou qualquer outra atividade especializada que exige treino, não está dada, precisa ser adquirida e cultivada, por isto filósofos como Heidegger disseram:

“Para poder pensar, nós precisamos aprendê-lo. O que é aprender? O homem
aprende, na medida em que ele traz seu fazer e seu permitir à correspondência do que
cada vez em essência lhe é adjudicado. Nós aprendemos a pensar, pensar para o qual
nós atentamos quanto ao que há a se considerar.”

Assim o Ás de Espadas é o convite de Mercúrio ao aprendizado do pensar, do concentrar, do focar, do perceber que a mente é uma espada e, portanto, um instrumento, se não soubermos manipulá-la seremos manipulados e iremos inevitavelmente nos cortar.

Fazer uma coisa de cada vez, pensar com foco, manter a mente concentrada é o nosso desafio, é o que nos permite afiar a espada da mente.

Fernando Augusto disse...



Credo do Samurai

Eu não tenho pais, faço do céu e da terra meus país.
Eu não tenho casa, faço do mundo minha casa.
Eu não tenho poder divino, faço da honestidade meu poder divino.
Eu não tenho pretensões, faço da minha disciplina minha pretensão.
Eu não tenho poderes mágicos, faço da personalidade meus poderes mágicos.
Eu não tenho vida ou morte, faço das duas uma, tenho vida e morte.
Eu não tenho visão, faço da luz do trovão a minha visão.
Eu não tenho audição, faço da sensibilidade meus ouvidos.
Eu não tenho língua, faço da prontidão minha língua.
Eu não tenho leis, faço da auto-defesa minha lei.
Eu não tenho estratégia, faço do direito de matar e do direito de salvar vidas minha estratégia.
Eu não tenho projetos, faço do apego às oportunidades meus projetos.
Eu não tenho princípios, faço da adaptação a todas as circunstâncias meu princípio.
Eu não tenho táticas, faço da escassez e da abundância minha tática.
Eu não tenho talentos, faço da minha imaginação meus talentos.
Eu não tenho amigos, faço da minha mente minha única amiga.
Eu não tenho inimigos, faço do descuido meu inimigo.
Eu não tenho armadura, faço da benevolência minha armadura.
Eu não tenho castelo, faço do caráter meu castelo.
Eu não tenho espada, faço da perseverança minha espada.

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

F.A.