O Diabo

sábado, 25 de janeiro de 2014

Bom dia! :-)

Boooo! rsrsrs

Tá bom então...rs Por aqui hoje vai rolar um belo trabalho de São Miguel, o que quer dizer que os tradicionais demônios de plantão serão colocados pra correr. 

Estava comentando com o sócio a minha dificuldade toda vez que o chifrudo aparece por aqui...rs Em primeiro lugar, a imagem! Cada coisa mais feia que a outra! Eu acabo escolhendo sempre imagens que tenham o deus Pan como referência. Depois vem o fato de eu não acreditar no diabo, então é complicado falar sobre algo em que não acredito.

Bem, estou falando, é claro, no diabo tradicional... Aquele que faz oposição a Deus, aquele que é todo o mal, aquele que nos tenta e nos provoca a cometer pecados. Tudo isso que acabei de descrever, pelo menos pra mim, soa pra lá de ridículo! Acho que isso é uma ótima forma de tirar de si a responsabilidade de fazer besteiras e arrumar um "bode expiatório" que, em se tratando do diabo, parece ser o animal perfeito...rs

Desabafo feito, vamos então ao Diabo tarológico. Porque este, sim, possui todo o seu conteúdo simbólico a ser explorado.

A primeira coisa que pensei quando procurava as imagens foi: depois de ciclo de Enamorados e uma pilha de cartas de Paus, este Diabo está cheirando a paixão! Tudo bem... Estamos em um sábado de Saturno (meio balde de água fria...rs), mas podemos pensar seriamente em algo que costuma ser comum por aí: paixões cegas resultantes de relacionamentos kármicos. O Diabo faz todo sentido neste caso, pois além do seu conteúdo sexual, intenso e apaixonado, ainda temos: relações pecaminosas, traições, triângulos amorosos (que aparecem em muitos tarots para representar tanto os Enamorados quanto o Diabo), tentações, intrigas... Nossa! Isso está parecendo novela das nove, né? :-) Mas podemos pensar que tudo isso está associado ao Diabo X Saturno.

Vejam... Saturno é a responsabilidade, o compromisso, a coisa correta, o cumprimento de um acordo, são obrigações, os limites que se fazem necessários. Já o Diabo é o instinto, o desejo sem a menor pretensão de ser responsável, o impulso, o prazer, a falta absoluta de limites. É uma pororoca de conceitos opostos!!!

Mas vocês percebem que as cartas de Paus foram nos encaminhando para este êxtase dos sentidos? Esta manifestação de intensidade absoluta? A impressão que eu tenho é que o 8 de Paus fez o lançamento e o Diabo chegou para marcar o gol! O 8 de Paus disse: bota pra fora tudo que você sente, deseja, quer! E o Diabo chegou dizendo "eu quero tudo, então!" Particularmente, estou gostando muito deste diálogo! rsrsrsrs No entanto, eu sei que nem sempre é assim que a banda toca ou que deveria tocar.

Quais são os limites? Pergunta Saturno! Até onde você vai? Onde vai parar com isso? E quais as consequências? Grita o planeta dos anéis... E o Diabo, provavelmente, nem perde seu precioso tempo ouvindo tantos questionamentos... Ele se joga! O que acontecerá depois? Talvez Deus saiba, já que o Diabo não quer saber e tem raiva de quem sabe...

Hoje é um dia para pensarmos bastante sobre o que falamos e fazemos. Nossos atos estão em pauta aqui. A responsabilidade sobre as nossas paixões (e aqui não me refiro somente aos namoricos, estou falando da paixão da forma mais ampla) deve ser ligada. Este negócio de que somos responsáveis pelo que cativamos não é só historinha do Pequeno Príncipe... Isso aí tem a ver com uma lei cósmica chamada: causa e efeito.

De uns tempos pra cá, ser uma pessoa sem noção de limites parece que virou elogio... Eu continuo olhando pra isso meio de banda. Se o limite é o limite interior, o bloqueio que criamos e assim nos limitamos, ok... Legal passar por cima dele... Mas se o limite é o direito do outro, a vida do outro, o destino do outro, aí complica!

É por isso que hoje eu estou olhando para este Diabo como quem olha para uma esfinge! Não estou falando de trabalhar a sombra... Não estou falando de tantas outras coisas que costumo falar! Porque eu acho que tem algo de podre no reino da Dinamarca e estou sentindo o cheiro de enxofre! Vamos ver se estou viajando na Hellman's Airlines ou se tem fundamento isso tudo...

Observemos pois! E fiquemos atentos aos nossos impulsos no dia de hoje, para que não sejamos marionetes de energias ou pessoas mal intencionadas.

Ótimo sábado para todos nós! Na proteção de São Miguel Arcanjo! :-)

A imagem veio daqui


Um comentário:

Fernando Augusto disse...

Eis o lado negro da força, aquilo que não queremos encarar, o pai de todas as histórias, pois sem ele, o Diabo, não há jogo, não há caminho, não existe jornada, não tem história. Imagine uma situação onde todos são bonzinhos. Não há nada mais monótono. As histórias acabam quando o bem vence, o final feliz é o ponto final, é a dualidade que permite a brincadeira, a grande Lilah universal dos hindus. O grande astro é o Diabo e por isto o Diabo é um artifício de Deus para despertar os humanos.

O Diabo é o Dragão de São Jorge e de São Miguel, que nunca é morto, antes controlado, pois como escrevemos outro dia:

O que seria de São Jorge sem o Dragão?

Ou como escreveu NIetzche:

Aquele que vive de combater um inimigo tem interesse em o deixar com vida.

O que seriam das religiões e seitas que precisam da figura do Diabo para assombrar seus fiéis? São cultos ao Diabo e não à Deus, apesar de falarem em nome de Deus.

Identificar o mal numa figura externa é uma ótima forma de controle das multidões através do medo.

Assim como Deus está dentro de nós, o Diabo também, mas quem é capaz de reconhecer isto em si mesmo, quem é capaz de ter consciência da própria sombra e da projeção da sombra sombre os outros?

Quem é o Diabo de nossas vidas? Sobre quem projetamos a nossa sombra? Quando o Diabo aparece no Tarot isto é um alerta da inteligência espiritual que rege o Tarot para percebermos aspectos obscuros de nós mesmos que estão sempre criando problemas, auto-sabotagens e discórdia.

O Diabo assim não é o mal, o mal é a nossa inconsciência respeito de certos aspectos de nossa própria psiquê.

Certamente vivemos rodeados por pessoas que também projetam suas sombras sobre nós e precisamos lidar com isto.

A fofoca e a intriga são exemplos clássicos de projeção da sombra através da fala.

A projeção também cria a paixão idealizada, a ilusão romântica e o enamoramento fulminante.

Aqui sempre é preciso um olho no padre e outro na missa pois como diz o ponto de Umbanda para Exu:

- Na batina do padre tem dendê.

Que saibamos perceber as manifestações de nossa sombra e dos outros.

As paixões fulminantes estão no ar ainda mais com esta dupla Diabo (hoje) e 8 de paus (ontem).

Há também uma favorabilidade para quem for do terreiro da vibração de Exu dentro do campo profissional. Laraoiê, Exu!

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.