10 de Paus

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Bom dia! :-)

Eu ri muito quando vi este 10 de Paus por aqui... Certamente, ele é reflexo das celebrações de virada de ano...rs No meu caso, é reflexo de quatro noites seguidas em que meu sono resolveu ir passear, coisa raríssima de acontecer. Eu estava bem, feliz, numa boa, mas sono nada!

Para me preservar dos efeitos do 10 de Paus, estou fazendo este texto às 18h do dia primeiro...rs E vou pra cama cedinho. Hoje, vou resolver algumas coisas, mas vou manter o ritmo lento. Afinal de contas, estou de férias! :-)

Sempre que olho para o 10 de Paus, penso em sobrecarga e em opressão, cansaço, stress. Mas sabemos que todas as cartas possuem os dois aspectos, o positivo e o negativo. Então, vou colocar alguns pontos de vista diferentes por aqui hoje.

Em primeiro lugar, existe uma grande diferença entre o cansaço sem frutos e o cansaço com conquistas. O 10 de Paus fala de um cansaço resultante de conquistas. Já aconteceu um movimento para a realização, depois disso as coisas acontecem e somente então dá aquele cansaço. Maior prova disso é que um dos significados tradicionais dessa carta é assumir responsabilidade além da conta. Sinal de que a pessoa está fazendo as coisas acontecerem, só errou na dose, precisa desacelerar um pouco. E essa desaceleração é menos física e mais energética (é bom lembrar que estamos em Paus/Fogo), ou seja, a proposta é gastar menos energia e não, necessariamente, parar de trabalhar.

Então temos aqui um primeiro grande desafio: gastar menos energia em tudo que fazemos. Nossa civilização costuma estimular o oposto, grandes gastos energéticos sem tanta prática. Outro dia eu pensava sobre isso, lembrando de conversas com amigos e toda a mobilização interna deles para trabalhar e o resultado do trabalho ser algo até simples. Às vezes isso acontece comigo também... Me pego trabalhando, efetivamente, pouco, mas com uma demanda interna de resolver, fazer, me preocupar que parece que carreguei pedra o dia inteiro, quando na verdade não saí da frente do computador. Por que será que isso acontece?

Meus planetas em terra sempre me puxam para o concreto. Acho que temos uma vida muito centrada na mente e tenho certeza que se tivéssemos mais atividade física e menos aceleração mental, teríamos mais paz, mais equilíbrio e mais resultados objetivos. Aí um outro significado do 10 de Paus aparece: auto-exigência extrema, a capacidade de realização externa não acompanha os planos, projetos, desejos internos. E também vejo isso como resultado de uma cultura dominante e frustrante.

Outro conceito muito associado ao 10 de Paus (e eu aqui levanto a mãozinha...rs) é o da responsabilidade. Ter responsabilidade é algo bom... Mas se achar responsável por tudo que acontece no planeta, especialmente as coisas negativas, é doentio e desgastante. Carregar o mundo nas costas não fará de nós pessoas melhores, talvez só pessoas que precisam visitar o ortopedista...rs Essa, inclusive, é uma das minhas determinações de ano novo: andar mais leve, carregar somente meus 50 kg... e já está bom demais! ;-)

Percebem como as coisas se entrelaçam? E de repente o que parece ser somente uma cartinha antipática é o resultado final de um processo que nós mesmos criamos? A carta aparece somente para mostrar! Mas somos nós que devemos mudar nossas atitudes. O poder está em nós! No 10 de Paus também temos o Ás com seu potencial de energia e criatividade, o 2 com a capacidade de planejar, o 3 com as oportunidades, o 4 com a necessidade de renovação, o 5 com o aprendizado de lidar com conflitos, o 6 com as vitórias, o 7 com os desafios, o 8 com a paixão que renova as forças, o 9 com a disciplina para colocar as coisas em seus devidos lugares. 

No dia de hoje, tenhamos a consciência disso e vamos desacelerar por dentro para que por fora possamos caminhar. Simplesmente caminhar. E assim encontrar o bom caminho.

Ótima quinta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui


4 comentários:

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Via!

Olho pro céu e vejo uma reunião de peso no signo que leva as coisas bastante a sério e que diz assim:

- Meu nome é trabalho!

Então tá justificado este 10 de paus aqui.

Quando lembro desta expressão meu nome é trabalho tenho arrepios por duas razões:

1 - lembra-me um slogan hipócrita de um político carioca que estava envolvido num dos maiores casos de fraude eleitoral, o chamado caso Proconsult.

2 - esta afirmativa pode sustentar um tipo de fuga ou de mecanismo de auto-sabotagem por excesso de trabalho.

Voltemos a falar do céu e de sua reunião astral de peso.

Lembro-me agora do personagem dos quadrinhos de Asterix, o chefe gaulês, que dizia:

A única coisa que temo é que o céu caia sobre as nossas cabeças!

Isto é o 10 de paus! Este temor, este stress, este peso, esta preocupação excessiva. Mas isto se justifica?

Temos em Capricórnio o Sol, Plutão, Mercúrio, Lua e Vênus. O regente de Capricórnio em Escorpião. Júpiter em Câncer em oposição ao Sol em Capricórnio. Nas esferas do poder há um alto nível de tensão. Parece que há segredos inconfessáveis prestes a explodir. Lembremos que estamos no Via Tarot regidos pela carta do Julgamento.

No plano individual como podemos nos transformar esta tensão?

Deixo aqui um clássico, uma história que já publicamos de outras vezes baseado na fábula de la Fontaine.

Era uma vez uma formiguinha e uma cigarra, muito amigas.

Durante todo o outono a formiguinha trabalhou sem parar armazenando comida para o período de inverno, não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem do bate papo com os amigos ao final do expediente de trabalho tomando uma cerveja, seu nome era trabalho e seu sobrenome, sempre. Enquanto isso a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos nos bares da cidade, não desperdiçou um minuto sequer, cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu para valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.

Então, passados alguns dias começou a esfriar, era o inverno que estava chegando. A formiguinha exausta entrou para dentro de sua singela e aconchegante toca repleta de comida.

Mas alguém chamava por seu nome do lado de fora da toca.

Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu, sua amiga cigarra dentro de uma Ferrari com um aconchegante casaco de vison.

E a cigarra falou para a formiguinha:

"Olá amiga, vou passar o inverno em Paris, será que você poderia cuidar da minha toca para mim?"

E a formiguinha respondeu:
"Claro, sem problema, mas o que lhe aconteceu que você vai para Paris e está com esta Ferrari?"

Respondeu a cigarra:

"Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz e fechei um contrato de seis meses para fazer Shows em Paris...

A propósito, a amiga deseja algo de lá?"

Respondeu a formiguinha:

"Desejo sim , se você encontrar um tal de La Fontaine por lá manda ele a merda".

Moral da historia:

"Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz beneficio em fabulas do La Fontaine "

Dizem que quando a Cigarra voltou para ver a velha amiga, durante um intervalo de sua turnê pela área, soube que a trabalhadora formiga havia morrido há pouco, teve um enfarte por preocupação com o trabalho.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Clara disse...

BOM DIA!!!
Chegando atrasada, mas CHEGANDO. Estava vendo uma Queima de Fogos LINDA DEMAIS, por isso estou chegando agora.
Tio e Claudinha, agradeço IMENSAMENTE pela dedicação destes 365 dias passados.
Aprendi MUITO,e tenho Certeza que Aprenderei MUITO MAIS com vocês.
OBRIGADA.
AUSPÍCIOS!!!
Neste Dia e nos Outros que virão.
FELIZ 2014 para nós TODOS.
GRATA.

Fernando Augusto disse...

Se chegue mais Clara, que está só começando ;-)

Vos amo, sou grato.

F.A.

Clara disse...

Isto mesmo Tio!!!

Então em Homenagem a este Novo Ciclo e a nossa Tribo, peço permissão para colocar esta Música.

Festa
Ivete Sangalo

Festa no gueto
Pode vir, pode chegar
Misturando o mundo inteiro
Vamo vê no que é que dá...

Hoje tem
Festa no gueto
Pode vir, pode chegar
Misturando o mundo inteiro
Vamo vê no que é que dá...

Tem gente de toda cor
Tem raça de toda fé
Guitarras de rock'n roll
Batuque de candomblé
Vai lá, prá ver...

A tribo se balançar
E o chão da terra tremer
Mãe Preta de lá mandou chamar
Avisou! Avisou! Avisou! Avisou!...

Que vai rolar a festa
Vai rolar!
O povo do gueto
Mandou avisar...(2x)

Festa no gueto
Pode vir, pode chegar
Misturando mundo inteiro
Vamo vê no que Oh! Oh!...

Hoje tem
Festa no gueto
Pode vir, pode chegar
Misturando o mundo inteiro
Vamo vê no que é que dá...

Tem gente de toda cor
Tem raça de toda fé
Guitarras de rock'n roll
Batuque de candomblé
Vai lá, prá ver...

A tribo se balançar
E o chão da terra tremer
Mãe Preta de lá mandou chamar
Avisou! Avisou! Avisou! Avisou!...

Que vai rolar a festa
Vai rolar!
O povo do gueto
Mandou avisar...(2x)

Vem! Vem! Vem!
Na Na Na na na
Tá bonito, tá bonito
Tá beleza
Na Na Na Na Na
Na Na Na Na Na
Na Na Na Na Na
Simbora! Simbora! Simbora!...

Tem gente de toda cor
Tem raça de toda fé
Guitarras de rock'n roll
Batuque de candomblé
Vai lá, prá ver...

A tribo se balançar
O chão da terra tremer
Mãe Preta de lá mandou chamar
Avisou! Avisou! Avisou! Avisou!...

Que vai rolar a festa
Vai rolar!
O povo do gueto
Mandou avisar...(3x)

Que vai
Que vai rolar a festa
Vai rolar!
O povo do gueto
Mandou avisar...