A Torre

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Bom dia, meus queridos e minhas queridas...rs

Tem que rir, né, galera? Até porque chorar não adianta nada! ;-)

Nunca fiz uma postagem de Torre tão bem-humorada... Comecei aqui pensando que a Torre veio pra redimir o complexo de bom chibom chibom bom bom... Não, não estou querendo exterminar grupos de axé e semelhantes! É que a música diz: "E o motivo todo mundo Já conhece É que o de cima sobe E o de baixo desce". Aqui não, meu povo! Aqui impera democraticamente a máxima: porque o de cima se esborracha e quem está embaixo que pique a mula! rs

Enfim, já resolvi que vou administrar a semana com bom-humor, porque esta é uma grande arma contra as adversidades. Aconselho todos a fazerem a mesma coisa.

O que esperar de uma Torre que é desdobramento de uma Lua? Em primeiro lugar, podemos pensar que algo que estava escondido vai se revelar de forma estrondosa. Depois podemos pensar em magias, macumbas e ulahmagulas que dão efeito reverso. Por que efeito reverso? Porque, lembrem-se, o de cima se esparrama no chão. Isso quer dizer que quem manda a energia negativa e se sente poderoso, pode ter a desagradável surpresa de ver o feitiço, literalmente, virando contra o feiticeiro.

Um grande desafio nesta vida é saber se estamos em cima ou embaixo. Ainda prefiro a dica de Buda e ficar no meio do caminho. Ter consciência do poder interno que possuímos e ao mesmo tempo olhos atentos para as nossas fragilidades e idiossincrasias.

Se a carta da Justiça clama por ela mesma, a carta da Torre não fala tão exatamente de uma justiça sendo feita, mas fala das consequências de se persistir em um erro ou em uma omissão. É quando se insiste em permanecer com uma visão equivocada, se negando a enxergar a situação de uma forma mais ampla.

A primeira dica para um dia assim é: façamos uma retrospectiva para ver como anda a nossa conduta. Estamos honrando nossa palavra e nossa divindade? Estamos tendo um comportamento solidário, amoroso? Ou estamos focados em nosso querido umbigo, agindo de forma egoísta? Estamos acomodados em uma situação indevida? Estamos aproveitando de uma forma injusta da boa vontade alheia? Estamos atacando alguém ou alguma situação por puro capricho?

A partir de uma primeira análise, quem estiver com sua consciência tranquila, já passou no teste número 1. Mas, ainda assim, recomendo cautela. Aliás, é uma semana inteira de cautela, com um breve relaxamento amanhã...rs A cautela é necessária porque também existe a possibilidade da inconsciência, ou seja, é possível que não se consiga enxergar o que precisa ser mudado. Então, como todo ser que anda sobre a Terra está sujeito ao erro, é bom ter atenção.

Este é um período de profundas transformações e o que eu desejo é que saibamos lidar com elas da forma mais harmoniosa e pacífica possível. Amém!

Que a terça-feira seja tranquila para todos nós.

A imagem veio daqui

5 comentários:

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Vi(d)a!

Até quando o masculino irá oprimir o feminino em vez de com ele cooperar? Esta é uma pergunta que pode surgir desta combinação Lua-Torre no Via Tarot e vamos refletir sobre isto.

Há uma ligação simbólica entre a Lua e a Torre.

O próprio caminho da Lua é ladeado por duas torres. Vemos isto nos Tarôs que seguem uma linha de desenho mais tradicional.

Atravessar o caminho da Lua tem seus perigos, penetrar no inconsciente tem seus riscos, lidar com a magia tem suas consequências, pois a Lua é o veículo da magia. É preciso estar preparado. É preciso agir adequadamente. Romper certos limites exige cuidado. O excesso de rigidez ou uma obsessão extremada por algo leva a uma inevitável ruptura.

A areia no fundo do mar já foi rocha. O fraco vence o forte, como nos diz Lao Tsé:

"Nada no mundo é mais delicado e frágil do que a água.
No entanto ninguém a supera quando ataca o duro e o forte.
Assim o fraco vence o forte, o flexível vence o que é duro.
Todos os homens o sabem, mas parecem ignorá-lo pois ninguém o põe em prática.
Por isto o sábio ensina.
Quem se torna o pó da terra é o Senhor dos altares do solo.
Quem suporta sobre si todos os infortúnios de um império esse é o soberano!
Estas palavras são verdadeiras embora não pareçam" - Tao Te King.

A Lua é um caminho de dissolução, é o poder das águas profundas. A Torre é o poder do raio, do fogo, da eletricidade e do sol.

A força feminina dissolvente e a força masculina destruidora. Unidos podem produzir um tremendo poder mágico. Shakti e Shiva.

Mas também podem traduzir a luta do mar (a Lua) com o rochedo (a Torre) e desta luta poder surgir uma separação, uma destruição e uma ruptura. É a chuva de ouro de Zeus libertando Dânaê da torre em que seu pai Acrísio a prendeu.

"Desapontado por não ter herdeiros masculinos, Acrísio procura um oráculo, o qual respondeu-lhe que, mesmo se escondesse no fim da Terra, seria morto pelo seu neto, filho de Dânae. A princesa era ainda virgem e, para que jamais tivesse um filho, o rei aprisionou-a numa torre de bronze (segundo a tradição, poderá tê-la escondido também num quarto subterrâneo, cujas paredes se ergueram em bronze, ou numa caverna), que manteve constantemente vigiada por seus guardas mais valorosos. Pretendia, assim, evitar que ela lhe desse um herdeiro, seu futuro assassino.Apesar de todos esses cuidados, Zeus, tomado de amores pela jovem e bela princesa, transmuta-se numa chuva de ouro, e penetra no edifício por um orifício no teto deste, caíndo sobre o colo de Dânae, engravidando-a."

Uma mulher foge da opressão masculina por intervenção divina, gerando uma nova situação. O feminino liberta-se da ditadura
falocrática. O masculino tenta mas não pode aprisionar o feminino, deve cooperar com ele, tal como nos revela uma lenda de origem iorubá envolvendo Oxum (Lua), Exu (magia) e Xangô (Torre).

Fernando Augusto disse...


"Para aprender os segredos e mistérios da arte da adivinhação, Oxum, foi procurar Exú. Exú, muito matreiro, falou à Oxum que lhe ensinaria os segredos da adivinhação, mas para tanto, ficaria Oxum sobre os domínios de Exú durante sete anos, passando,
lavando e arrumando a casa do mesmo, em troca ele a ensinaria.

E, assim foi feito, durante sete anos Oxum foi aprendendo a arte da adivinhação que Exú lhe ensinará e conseqüentemente, cumprindo seu acordo de ajudar nos afazeres domésticos na casa de Exú. Findando os sete anos, Oxum e Exú, tinham se apegado bastante pela convivência em comum, e Oxum resolveu ficar em companhia desse Orixá. Em um belo dia, Xangô que passava pelas
propriedades de Exú, avistou aquela linda donzela que penteava seus lindos cabelos a margem de um rio e de pronto agrado, foi declarar sua grande admiração para com Oxum. Foi-se a tal ponto que Xangô, viu-se completamente apaixonado por aquela linda mulher, e perguntou se não gostaria de morar em sua companhia em seu lindo castelo na cidade de Oyó. Oxum rejeitou o convite, pois lhe fazia muito bem a companhia de Exú.

Xangô então irritado e contrariado, seqüestrou Oxum e levou-a em sua companhia, aprisionando-a na masmorra de seu castelo.

Exú, logo de imediato sentiu a falta de sua companheira e saiu a procurar, por todas as regiões, pelos quatro cantos do mundo sua
doce pupila de anos de convivência. Chegando nas terras de Xangô, Exú foi surpreendido por um canto triste e melancólico que vinha da direção do palácio do Rei de Oyó, da mais alta torre. Lá estava Oxum, triste e a chorar por sua prisão e permanência na cidade do Rei. Exú, esperto e matreiro, procurou a ajuda de Orumilá, que de pronto agrado lhe cedeu uma poção de transformação para Oxum desvencilhar-se dos domínios de Xangô. Exú, através da magia pode fazer chegar as mãos de sua companheira a tal poção. Oxum tomou de um só gole a poção mágica e transformou-se em uma linda pomba dourada, que voou e pode então retornar em companhia de Exú para sua morada."

Mas isto é uma leitura. A Lua em conjunção com a Torre pode expressar o encontro de dois arquétipos do feminino: Iemanjá e

Iansã, o poder das águas e o poder do raio. O raio não é necessariamente masculino, é um poder que no mito iorubá foi possuído primeiro por Iansã. Na tradição esotérica hindu o raio é o poder da Shakti, da Kundalini.

A conjunção Lua-Torre é como o raio brilhando na noite e revelando aquilo que estava escondido ou preso na escuridão, liberando-o.
Imagine um raio brilhando na noite, "no firmamento um clarão, resplandeceu em todo céu".

Imagine que este raio veio para destruir o mal, para destruir tudo aquilo que precisa ser destruído e liberado neste momento em nossas vidas.

O mal aqui é aquilo que constrange a nossa liberdade, que não permite a nossa livre expressão, que não permite o livre-arbítrio,

por isto todo o ato mágico que implique num constrangimento à liberdade do outro é uma forma de magia negra, porque autoritária e manipuladora. Cuidado com as projeções do subconsciente ou padrões negativos não aceitos dentro de si, eles também serão abalados. Podemos ver aqui o seu fim. É uma grande oportunidade para nos descobrirmos e nos trabalharmos
interiormente. Aguardem os próximos arcanos, pois temos uma conjunção de seis arcanos maiores e dois deles já se revelaram, mostrando a importância deste período em nossas vidas, indicando mudanças estruturais e profundas.

Recomendo a leitura do provérbio número 11: o mal destrói a si mesmo.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Clara disse...

Bom Dia Via!!!
Puxa Tio Fê, Minha Alma se Alegra quando leio o que o Sr Escreve.
Sinto uma "Profunda Conexão" e Familiaridade, com o que o Sr. coloca.
Suas Palavras tem um "ECO" tão Grande em mim, que me Curvo diante de "Tantas Semelhanças" no nosso Modo de Pensar e Ver a Vida.
Como o Sr estava falando(escrevendo) sobre Astrologia, quem sabe não é o seu Elemento Fogo(Sagitário) atiçando meu Elemento Ar(Libra), fico eu aqui pensando.
É, Quem Sabe???
Um Grande Beijo e um Abraço Mais do Que Fraternos e Virtuais.
Gratidão

Está Chegando o "GRANDE DIA"

SALVE SÃO COSME E DAMIÃO!!!.

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Clarinha!

No Curso de Arcanos Maiores desenvolvemos uma série de afinidades mentais, intelectuais e psicológicas. Equalizamos o nosso pensar e sentir em termos de Tarot. Além disto me parece que temos uma identificação religiosa ;-) Tenho também um signo de ar, ascendente em Gêmeos, o que ajuda a insuflar mais curiosidade, busca pelo conhecimento e estímulo intelectual.

Gratidão pelos seus comentários e salve São Cosme e São Damião!

Vos amo, sou grato.

F.A.

Cacau Gonçalves disse...

Boa tarde, amigos e amigas

Esses dias têm sido de muita correria por aqui... Estou no The Game of the Boxes...rs arrumando a mudança! Por isso a ausência nos comentários... Mas agradeço a todos pela visita e desejo que possamos aprender muito com esta semana desafiadora!

beijos de luz!