O Enforcado

segunda-feira, 24 de março de 2014

Bom dia! :-)

Ok, eu sou aquela que consegue dar "bom dia" até quando o Enforcado aparece por aqui..rsrsrs

Em certos momentos da vida somos testados de diversas maneiras. O Enforcado possui muitas interpretações, e se antigamente quando eu olhava pra ele pensava "prisão", atualmente, eu olho pra ele e penso "teste".

Confesso que não gosto de me sentir testada. Acho que não tenho mais idade pra isso. Claro que somos testados a vida toda, mas existem testes que são muito básicos e muito simplórios, desses eu gostaria de me livrar. Mas parece que ainda não é o momento.

Olho para o Enforcado e reflito sobre a forma como estou me sentindo: me debatendo, me cansando, me recolhendo, juntando forças... Daí eu rio, brinco, faço graça, fico cheia de disposição. Daí a pouco volto a me debater, mesmo sabendo que me debater não adianta nada! Ao contrário, me faz perder energia.

Ontem, depois que vi aquela imagem e frase que postei aqui ao final da postagem habitual, fiquei refletindo muito sobre tudo isto... Sobre o fato de eu estar precisando me superar neste momento e que conforme vou me superando e me curando, reúno toda uma egrégora e estimulo a cura de outras pessoas. Sei que todo este processo tem uma razão de ser, que envolve outras pessoas além de mim. Mas enquanto eu mesma não resolver certos desafios interiores, sei que a coisa não evoluirá. E eu quero que evolua, quero realizar esta cura e quero compartilhar esta cura.

Creio que estamos vivendo um momento planetário de dúvidas e transformações. E vejo, de forma muito clara, que vai depender muito da disposição interna de cada um sair do seu caos particular ou não. O caos que nos acompanha é reflexo de questões não resolvidas dentro de nós. Quando resolvemos isso dentro, tudo em volta se equilibra e organiza. E é isso que devemos fazer neste momento: organizar nossas pendências.

Pendência lembra bem o Enforcado, né?

Quando vi esta imagem percebi claramente que quando conseguimos lidar com as limitações do Enforcado, transformamos a limitação em plenitude. Transformamos o Enforcado em Mundo (reparem como a postura do Enforcado é igual a da mulher que aparece no Arcano do Mundo, só que de cabeça para baixo!) Este é nosso desafio! Receber um limão e fazer um mojito! rsrsrs

Vamos ver o que o tarot nos propõe neste ciclo de Enforcado. Como eu já vi os Arcanos da semana, já adianto que teremos alguns desafios, mas muito mais pausas para resolver dúvidas ou para um descanso da mente e do coração, em busca de renovação. Uma semana inteira com o tom do Enforcado. Aproveitemos pois, para, de cabeça pra baixo, ativar a circulação e rejuvenescer! Sírshásana, aho! rs

Ótima segunda-feira para todos nós! :-)

A imagem veio daqui

2 comentários:

Fernando Augusto disse...

"O sacrifício é realmente a transmutação da força."

Quem compreende esta frase da iniciada Dion Fortune profundamente entende de forma perfeita por que o arcano do Pendurado sucede ao arcano da Força na sequência de arcanos maiores do Tarot.

Passo portanto a citar trechos do livro da referida mulher e iniciada nos mistérios para que esta compreensão se aprofunde pois aquele que sacrifica deve saber claramente por que sacrifica e o fazê-lo de forma livre e despojada sob o risco de seu sacrifício ser em vão e tornar-se apenas auto-tortura e auto-piedade.

8. Geburah é o sacerdote sacrificial dos Mistérios. O sacrifício não significa oferecer algo que nos é caro porque um Deus ciumento não suporta interesses rivais em Seus devotos a se regozija com o nosso sofrimento. Significa a escolha deliberada a vigilante de um bem maior, de
preferência a um bem menor, assim como o atleta prefere a fadiga do
exercício à facilidade da preguiça que o põe fora de condições. O carvão
queimado numa fornalha é sacrificado ao deus do poder do vapor. O
sacrifício é realmente a transmutação da força; a energia latente no carvão, oferecida no altar sacrifical da fornalha, é transmutada na energia dinâmica do vapor por meio da maquinaria apropriada.

9. Existe uma maquinaria psicológica e cósmica de que podemos dispor a que se relaciona a todo ato de sacrifício que converte este ato em energia espiritual; a essa energia espiritual pode ser aplicada a outros
mecanismos, reaparecendo nos planos da forma como um tipo inteiramente
diferente de força do que aquela com que começou.

10. Por exemplo, um homem pode sacrificar as emoções em favor de sua carreira; ou uma mulher pode sacrificar a carreira às suas emoções. Se o ato é puro a sem arrependimentos, uma imensa quantidade de energia psíquica é liberada para a utilização no canal escolhido. Mas, se o desejo inferior é simplesmente expressão inibida e negada e não realmente deposto no altar do sacrifício como uma deliberada a livre oferenda, a vítima infortunada fez a pior escolha. É aqui que precisamos de Geburah
para nos tornarmos como o sacerdote que arranca o sacrifício de nossas
mãos, mesmo que seja o nosso primogênito, e o oferece a Deus com um
golpe rápido, puro e misericordioso. Pois, Geburah, no microcosmo, que é a alma do homem, é a coragem a resolução que nos liberta da nódoa da
autopiedade.

11. Que falta nos fazem as virtudes espartanas de Geburah nesta época de sentimentalismos a neuroses! Quantas quedas não poderíamos evitar se esse Cirurgião Celestial pudesse executar o corte limpo que tem chance de curar, evitando assim o compromisso fatal e a irresolução doentia, que é como uma ferida aberta a ameaçada de gangrena!

Fica aqui o link para download do livro de Dion Fortune.

http://thesubmundo.files.wordpress.com/2013/08/cabala-mistica.pdf

Lígia Bárbara Fernandes Miranda disse...

Olá! O que dizer da Energia do Enforcado junto ao 3 de Copas?

Abraço!