5 de Paus

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Bom dia! :-)

O tema para meditação de hoje é: "Quem é o meu adversário?"

Esta pergunta parece simples, mas é bastante complexa! E com um 5 de Paus somos convidados a refletir sobre isso.

Há tempos que falamos aqui no Via Tarot que existe algo chamado de "mente do predador", que está presente dentro de nós e costuma nos colocar sempre em desequilíbrio, seja nos sabotando em relação ao nosso poder pessoal, colocando medo em situações que poderiam ser administradas com tranqulidade, ou vibrando a raiva, a inveja e a desconfiança em relação a outras pessoas.

Dentro dessa abordagem, o adversário está dentro de nós. E é fundamental que não estejamos identificados com ele, já que, apesar de estar em nós, não faz parte da nossa essência. A prova disso, como costumo dizer, é que ele se refere a nós na terceira pessoa: "você tem certeza que isso vai dar certo?" "não faça isso, pode ser perigoso!" "e se ele estiver te enganando?" Essas são frases que todos já ouvimos ecoar dentro da nossa cabeça. E se não é isso que desejamos para nossa vida, quem está falando?

No entanto, existe um outro tipo de adversário, é o adversário externo. Algumas correntes filosóficas dizem que a inocência nos protege. Já dizia a música dos Titãs "o acaso vai me proteger, enquanto eu andar distraído". Já outras linhas de pensamento nos alertam para que estejamos sempre atentos ao que nos cerca, para que possamos desenvolver a melhor estratégia de combate.

A energia do 5 de Paus é extremamente competitiva. Ela costuma nos alertar para embates, disputas de força, e cabe a nós saber a melhor maneira de lidar com isso. Como estamos em uma segunda-feira, sob regência da Lua, quando analisamos a magia e a espiritualidade, podemos pensar em adversários espirituais ou mágicos. Para isso, devemos ter uma visão bem clara das coisas...

Existem pessoas que acreditam ser perseguidas por magias e feitiços. Costumo alertar para isso, durante consultas, para que a pessoa não se torne uma prisioneira do temor. Uma amiga costuma chamar isso de "angústia persecutória", uma forma mais chic de chamar a mania de perseguição...rs Nesse processo mental, muitas vezes, existe muito mais um medo interior de ser atacado, misturado com a vibração de uma energia negativa constante, que acaba atraindo, de fato, situações práticas negativas.

Quem está envolvido com magia e espiritualidade acaba lidando mais de perto com situações de ataques mágicos, mas é preciso separar bem as coisas. Eu, nos meus bem vividos anos de vida, apesar de ter enfrentado esse tipo de embate muitas vezes, tive como foco de ataque não mais que três ou quatro pessoas. Ou seja, são sempre as mesmas criaturas que na impossibilidade de fazer algo de bom para si, resolvem fazer o mal para os outros. Mas isso é, realmente, uma minoria. De resto, somos nós mesmos que atraímos situações negativas devido à mente do predador inquieta e ativa.

Para concluir a postagem de hoje, deixo para vocês um conto zen muito tradicional e sábio, que nos orienta em como lidar com esse tipo de situação:

O Samurai Idoso

Perto de Tóquio vivia um grande samurai, já idoso, que adorava ensinar sua filosofia para os jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda que ele ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos contra-atacava com velocidade fulminante.

O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. E, conhecendo a reputação do velho samurai, estava ali para derrotá-lo, aumentando sua fama de vencedor.

Todos os estudantes manifestaram-se contra a idéia, mas o velho aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos - ofendeu inclusive seus ancestrais.

Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho mestre permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.

Desapontados pelo fato do mestre ter aceito tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: Como o senhor pode suportar tanta indignidade ? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?

- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente? - perguntou o velho samurai.
- A quem tentou entregá-lo - respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos - disse o mestre - Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carrega consigo.

Ótima segunda feira para todos nós!

A imagem veio daqui

5 comentários:

Cátia disse...

Óptimo texto, Óptima história!
Grata!!
K_line

Cyntia Tagliatelli disse...

Bom dia Claudinha!!! Bom dia Vianautas!!!
Nossa Claudinha...essa carta e seus dizeres de hoje caíram como uma luva!!!!! Ando tendo sonhos estranhos e tudo mais com certos "fantasmas" que já deviam ter esquecido minha existência há tempos....vim p/ o trabalho entonando o ho'oponopono pedindo um jeito de quebrar todos os laços que (ainda!) podem estar influenciando minha vida.....sua postagem foi um grande presente!!!!!

Ótima segundona a todos!!!
Bjo
Cy

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Via!

Há comportamentos, posturas, sintonias, formas de ser, pensar, falar e agir que por si mesmas constituem um escudo e asseguram a vitória em toda e qualquer situação. Temos o caminho do guerreiro como expressão máxima deste estilo de ser. A sintonia com o guerreiro e a guerreira sagrada que há em cada um de nós assegura esta perfeita vitória, pois quando esta sintonia ocorre não há nem mesmo luta, especialmente em termos mágicos e espirituais, pois a energia do guerreiro é a energia da própria vitória. Há arquétipos e energias que expressam bem esta idéia.

Vou citar aqui um símbolo e uma presença do guerreiro sagrado que expressa bem isto: São Miguel. O nome Miguel vem de Mikael, onde Mi = Quem ou Aquele, Ka = como ou semelhante ou igual, El = Deus.

Aquele que é como Deus.

É como está escrito: Se Deus é por nós quem será contra nós?

A questão é sempre nós e não os outros, se estivermos em nosso centro, se estivermos conectados a nossa presença então nada poderá mesmo nos atingir, antes serão os outros a sere atingidos por si mesmos, até que possam compreender a forma como atua a Lei e a Luz Espiritual.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.

Samara disse...

Concordo, mas com bom senso.
Sofria de mania de perseguição ao contrário: achava que ninguém ia perder energia pra me prejudicar. E se perdesse, era só eu ficar no bem que nada me atingiria.
A realidade me mostrou que não é bem assim - até porque somos humanos e é difícil manter uma sintonia perfeita o tempo todo.
Não custa proteger as próprias costas e saber qual é o par de olhos que devemos fixar para dizer o "não, obrigada". (Concordo que são os mesmos poucos, sempre.)

Mas atenção é diferente de paranóia, né? É só cuidado consigo mesmo.

Beijocas e Deus nos abençoe!

Cacau Gonçalves disse...

Bom dia! :-)

Cátia, Cyntia, Fê e Samara! E os silenciosos tb...rs

Samara, penso exatamente que nem vc! Durante muito tempo acreditava que ninguém perderia seu precioso tempo para me fazer um mal. Infelizmente, estava enganada! Parece que tem mais gente desocupada no mundo do que podemos imaginar...rs

Ficar atenta é a chave! E tentar manter a vibração no positivo a maior parte do tempo (que é o grande desafio).

beijosss