O Louco

quinta-feira, 7 de março de 2013

Bom dia! :-)

Algumas pessoas, definitivamente, não gostam deste Arcano. Quando eu era mais jovem, adorava! Com o passar do tempo e a necessidade de ter o controle da situação, comecei a ficar meio cabreira. 

Sempre me pergunto até que ponto a inocência nos acolhe e até onde o acaso nos protege enquanto andamos distraídos. De alguma forma, em uma época em que não precisava lidar com pessoas e situações mais maldosas, minha vida era muito mais segura e tranquila. Sinto falta desse tempo... Hoje eu sei mais coisas? Sim... Mas até que ponto esse saber me defende? O questionamento é: é melhor ser mais experiente para poder se defender? Ou é melhor nem ter do que se defender?

Eu prefiro a segunda opção...

Mas, enfim, sempre que olho para o Louco reflito sobre a possibilidade desta inocência, esta não-consciência do mal, ser um escudo de proteção por nos colocar longe de determinadas situações. A lucidez às vezes dói.

O Louco é a expressão da liberdade, da inocência, da não-adequação ao que está estabelecido. O Louco não se submete! Mas também não briga, não é um guerreiro ou um questionador... Ele simplesmente ignora solenemente as instituições, as tradições e as regras. Mas ao invés de criar suas próprias regras, ele se permite uma vida desregrada.

Creio que uma pequena dose de Louco vez por outra faz muito bem à saúde e, principalmente, à saúde mental...rs

O tema para a reflexão de hoje, quinta-feira quando temos como foco de análise o poder, tanto o poder pessoal quanto as autoridades, é o seguinte: desafiar o poder vigente é um tipo de loucura, mas às vezes é também um tipo de sabedoria.

Esta bem dosada mistura de loucura e hiper-lucidez é algo difícil de se alcançar, mas que faz parte de um processo de conexão com o Deus Interior que pode nos levar a experiências incríveis! Carlos Castañeda chamava isso de "loucura controlada".

Assim é a loucura controlada: "Um guerreiro tem de saber, antes de mais nada, que seus atos são inúteis e que, no entanto, ele tem de proceder como se não soubesse. Esta é a loucura controlada de um xamã".

Pois bem... Já que estamos em dia de Louco vamos colocar uma boa trilha sonora por aqui e quem sabe conseguimos superar os limites do condicionamento, para encontrarmos algo além da Matrix!





Ótima quinta-feira para todos nós! :-)

A imagem veio daqui



2 comentários:

Clara disse...

Bom Dia.
Posso deixar de comentar todos os outros Arcanos, mas este...
Enfim e Definitivamente o Louco mexe com meu Imaginário, com meu Louco Interno ou seja o que for, mas o fato é que eu sinto uma "Euforia Inexplicável" quando ele sai.
Hoje aos 60 e poucos sinto que tem necessariamente que ter um Equilibrio Saudável nesta Loucura, pois não dá para ser Totalmente Desvairado e nem Certinho ao Extremo, mas uma Loucura de Vez em Quando não faz mal a Ninguém.
- TÁ TODO MUNDO LOUCO, OBA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fernando Augusto disse...

Bom dia, Via!

Decididamente os loucos são muito mais interessantes que os normais, tornam a vida mais apimentada, mais dinâmica, com mais intensidade, mas há loucos e loucos. Há a loucura humana e a loucura divina como disse Saulo que tornou-se Paulo no caminho de Damasco ao ter uma visão do Mestre.

Muitos diriam que isto é uma loucura divina, santa, mística, ou um tipo de mitomania. Tal como o personagem INRI Cristo, que diz ser o próprio Jesus. Mas há loucos perigosos, assassinos, pervertidos, assim como há loucos que de tão aferrados ao sistema vigente não são tidos como tais, são workaholics, viciados em tv, remédios, açucar, refrigerante, carne sangrenta e carências das mais diversas.

Temos que neste mundo saber navegar entre a normalidade e a loucura, pois este saber é a a autêntica sabedoria, que os xamãs toltecas, que os guerreiros-viajantes definem como loucura controlada. Quem será capaz disto, desta proeza, de trafegar entre a normalidade e a loucura para ser verdadeiramente são?

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.