A Justiça

domingo, 10 de março de 2013

Bom dia! :-)

Essa foi uma semana com transformações profundas e estruturais, concordam? Porque tivemos três Arcanos Maiores passeando por aqui e nos convidando a refletir sobre questões, no mínimo, diferentes, já que foram eles: O Mago, O Louco e A Estrela. E hoje iniciamos uma nova semana com um Arcano Maior também.

Podemos pensar que passeamos pela energia de poder e ação, depois passamos pela loucura do inesperado, depois mergulhamos na alegria e no prazer. Hoje, iniciamos uma nova semana vibrando a energia do caminho correto, do destino.

E aí começamos refletindo: o que é o destino? Vocês acreditam em destino, como algo inflexível? 

Pois bem, eu vou expor o que penso sobre isso...

Eu acredito que todos nós nascemos com um "rascunho", resultante da energia que trouxemos de outras existências e/ou do processo de entrada neste mundo denso (o que vemos no mapa astrológico natal). Então, existe uma tendência natural, mas isso não quer dizer que nós não podemos transformá-la.

Basta pensarmos nisso como se fosse uma questão prática, do dia-a-dia.Concordamos que para um alcoólatra não beber ele precisa fazer um esforço muito grande, certo? Mas quantos alcoólatras já conhecemos que pararam de beber? Muitos! A mesma coisa acontece com a bagagem que trazemos para este mundo ao nascermos: temos algumas fragilidades e temos alguns talentos, resultantes de experiências anteriores. Mas o que vai acontecer depende de como administramos tais fragilidades e tais talentos.

A Justiça vem sempre nos falar que o que acontece é "o que tem que ser" e, se pensarmos bem, o que tem que ser é simplesmente aquilo que conseguimos atingir com nosso esforço pessoal. Aqui temos a lei da causa e efeito funcionando a toda!

Pois bem... Em um domingão de regência solar, quando analisamos o trabalho interior e o autoconhecimento, o tema para a nossa reflexão é o seguinte: os seus direitos terminam onde começam os meus, os meus direitos terminam quando começam os seus. Vocês conseguem perceber como isso é uma dança? Uma sutil e harmoniosa (assim se espera) dança, em que cada um dá passos para frente e para trás, para um lado e para o outro, cujo objetivo é a convivência amorosa e pacífica.

Se pararmos para pensar, o conceito de justiça é muito relativo no nosso dia-a-dia. Passei muitos anos bradando por justiça em relação a uma série de coisas, até perceber que a justiça que eu queria era a baseada nos meus valores e princípios. Hoje, creio que muito mais importante é que se chegue a um acordo com as pessoas queridas, a tal dança, de modo que prevaleça não "o que é justo", mas o que é bom para todos os envolvidos.

O Arcano da Justiça pode tanto falar dessa justiça corriqueira, quanto de uma justiça kármica (causa/consequência) ou, ainda, de uma justiça oficial. Muitas vezes, em um jogo esta carta mostra resoluções de processos, assinatura de contratos, ou mesmo a interferência de um advogado ou juiz em alguma situação.

Bem, a historinha de hoje será sobre Maat, a deusa egípcia da justiça. Ela sempre me fascinou! Espero que vocês também gostem dela e peçam suas bênçãos.

"O mito de Maat, nos oferece essa concepção do valor da justeza e da verdade, pois ela funda a honestidade no mundo. Num processo terapêutico constituído, isso é tão essencial que deverá se dar no próprio momento de sua fundação, logo à primeira luz do arcabouço teórico. Tal regime agirá de imediato sobre o caos emocional (na forma de angústias, neuroses, desespero, tristeza e etc). A ideia de equilíbrio é central no mito, o que o torna muito importante, pois equilíbrio é o valor maior em termos de saúde física ou mental. De outro lado, a ideia de leveza também aparece, expressa aí pela pena. Como se nos lembrasse que a justiça, a verdade e a ordem tem uma ligação forte com a leveza. E o que seria isso? Se o indivíduo está ajustado em sua realidade, ou seja, conduzindo-se de uma forma madura, ética e emocionalmente, ele dificilmente acumulará frustrações ou desilusões; infringirá os limites do próprio ser ou da realidade; enfim, dificilmente atentará contra o bom-senso."

Recomendo a leitura do texto completo AQUI

Que o domingo seja luminoso! :-)

A imagem veio daqui


Um comentário:

Fernando Augusto disse...

Bom domingo para todos do Via!

Para quem estuda o Tarot sabe como é sincrônico a presença da Justiça após um dez de espadas, especialmente dentro da visão expressa pelo Tarô Mitológico.

A Justiça é a mestra da espada. E também da balança. Ela está vendada porque está além da armadilha de uma visão dualista e separativista como abordamos ontem no comentário do 10 de espadas.

A Justiça desfaz todo o nó, todo o impasse, como no julgamento de Salomão. Há nela sabedoria, astúcia e compreensão que advém do coração. Reparem que a Justiça no Tarot de Marselha carrega a balança à altura do coração.

A Justiça não é fria, ela é equilíbrio e assim ela promove um novo balanço e um novo ajuste em todas as coisas e pode dizer conosco:

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato.

F.A.