Roda da Fortuna

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Bom dia! :-)

Exatamente uma semana depois do último Arcano Maior, temos outro e, portanto, temos uma mudança de ciclo. Saímos de um ciclo de Estrela e entramos em um ciclo de Roda da Fortuna.

A Roda da Fortuna sempre fala de uma virada, uma mudança. Esta mudança tem, mais provavelmente, um agente externo, um fato fora de nós desencadeando tal transformação. E é por isso que nós costumamos lidar com este Arcano com um certo susto, uma certa surpresa.

Bem, este é um dos Arcanos que eu considero neutros, ou seja, vai depender bastante dos Arcanos que aparecem antes ou depois para que possamos ter a exata noção se a mudança será mais positiva ou mais desafiadora. Aqui no Via Tarot temos os ciclos marcados por Arcanos Maiores, já sabemos que o ciclo passado é de Estrela (lindo!) e eu já adianto pra vocês que esta semana temos outro Arcano Maior e ele é, igualmente, lindo.

Pois bem... Vamos inserir esta Roda da Fortuna na segunda-feira com regência lunar? Então... Hoje é dia de pensar em espiritualidade e magia. Alguém tem ideia do que podemos fazer com esta Roda?

Eu pensei durante um bom tempo no que isso poderia representar e cheguei a uma conclusão: a Lua e a Roda têm características em comum, como a mutabilidade, as diferentes fases, as transformações. A Roda da Fortuna chega como uma lição espiritual profunda de saber compreender as diferentes fases da vida. Compreender que tudo começa, se desenvolve, chega ao ápice e termina. Isso é um ciclo. E ciclos existem e estão em constante transformação, precisamos nos adaptar a eles.

No aspecto mágico, eu diria que temos uma pitada a mais de ousadia. A Roda da Fortuna pode ser uma sabedoria mágica capaz de transformar de forma radical algo que esteja atrapalhando ou bloqueando o fluir natural da nossa vida. A pergunta é: o que é que precisamos virar, mudar, transformar? E como podemos fazer isso magicamente?

Quem souber a resposta, me conta! rs Porque eu confesso que estou bem perdidinha em relação a isso...

Pois bem, que a segunda-feira seja ótima para todos nós!

A imagem veio daqui

2 comentários:

Cátia disse...

Espreitar aqui o Via de manhã, antes de sair para o trabalho, e ver o Arcano de hoje,deu-me satisfação! Novo ciclo!
Boa semana para todos nós!
K_line

Fernando Augusto disse...

Sempre que vejo a Roda da Fortuna, o arcano 10 do Tarot, me lembro de algumas coisas:

- As 4 estações, de Vivaldi (que aproveitei para ouvir enquanto escrevo este comentário. Maravilhosa música!!!).

- O princípio da impermanência do Budismo.

- a lei do bumerangue ou a lei cármica.

- o tempo como senhor da razão.

- a lei da evolução e da involução.

- a idéia de círculo como expressão da totalidade e símbolo de como cada um de nós está indissociavelmente ligado a algo muito maior, infinitamente maior que o nosso pequeno eu.

Há uma idéia paradoxal na Roda da Fortuna que diz que tudo muda, nada permanece igual e ainda assim tudo retorna. É como se o antigo se reinventasse.

Tudo retorna, eis a idéia de ciclo, do eterno retorno, que vemos nas estações, que ouvimos nas 4 estações de Vivaldi.

Como hoje é dia da Lua, 2ª feira, tratamos aqui no Via do tema Magia e Espiritualidade.

Em termos mágicos a Roda da Fortuna significa que toda a magia retorna, todo o ato mágico retorna a sua fonte, a sua origem, toda a criação mágica retorna ao seu criador, por isto o arcano 10 é o próprio Mago - arcano 1 - diante do resultado completo de seus atos, o círculo: 0. Eis então o chamado golpe do retorno.

Por isto o bem se alimenta do bem e o mal destrói a si mesmo no que diz respeito à magia. Cabe a cada um de nós operar dentro da freqüência vibratória adequada.

Por isto todos os mestres espirituais dizem que nós não devemos resistir ao mal. Muitos não entendem isto. Resistir ao mal implica vibrar na mesma frequência vibratória. Não resistir é operar numa frequência diferente e superior.

Perdoar é isto, é um ato de magia, além de ser um ato moral, é um ato de inteligência, pois é operar numa outra frequência vibratória do ponto de vista mental, emocional, verbal e comportamental. Isto cria uma imunidade natural.

Alguns compreendem isto do ponto de vista teórico, mas colocar isto em prática são outros quinhentos, exige um exercício contínuo, uma observação contínua de si mesma e uma lembrança permanente de si.

Eis o trabalho de cada um e como a Roda da Fortuna colhemos aqui o resultado de nosso Trabalho.

O Trabalho é o Trabalho sobre si mesmo, o Trabalho de Auto-Conhecimento que se devidamente realizado faz brotar a natural compaixão, paz, harmonia e perdão.

Vibrem, vibrem, e vibrem em patamares cada vez mais altos, irradiem amor, paz, serenidade, harmonia e compreendam que todos nós estamos inevitavelmente ligados dentro da Roda da Vida.

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

F.A.