7 de Paus

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Bom dia! :-)

De novo o tarot dando show de sincronicidade na minha vida! rs Esta imagem é muito querida, já passeou aqui pelo Via menos uma vez. Ela tira o nosso foco do aspecto mais bélico do 7 de Paus e nos leva para uma viagem mais abstrata e espiritualizada.

Uma coisa interessante a se notar é que não temos fogo, nem a cor vermelha, e também não temos paus ou outras representações típicas, como flechas, por exemplo. Aqui o naipe é representado pelos pontos de luz, como as centelhas divinas que costumo sempre citar.

Da primeira vez que postei esta imagem, confesso, não compreendi, exatamente, o que o autor quis dizer, que ligação que a imagem teria com o significado tradicional do Arcano. Desta vez, resolvi dar uma pesquisada e descobri algo que muito me agradou.

Bem, vocês sabem que meu inglês é macarrônico, mas fiz uma tradução livre de um trechinho:

"A fada dando adeus para um turbilhão de luzes parece bem diferente da tradicional imagem do 7 de Paus, com um homem lutando com um pedaço de pau contra uma multidão. Às vezes, grupos e instituições se dividem, porque cada facção tem objetivos diferentes. Assim, mesmo aqueles que se uniram para lutar por uma causa em comum, acabam se segmentando. O melhor então é que cada sub-grupo, agindo da sua própria maneira, se mova em direção ao objetivo comum a todos. Não é preciso criar uma guerra! O mais importante é que haja paz para que, ao invés do ressentimento, o objetivo central seja a causa abraçada por todos."

Gostei um bocado desta visão, que deixa de lado a competição e as briguinhas de ego por um objetivo muito maior e mais profundo. Assim deveria ser sempre, não acham?

Hoje é dia de Mercúrio, o cara da comunicação que está dando uma de caranguejo...rs Às vezes, verdadeiras guerras acontecem por conta de palavras erradas, ditas de forma equivocada, entendidas de forma equivocada. Para evitar isso, a imagem de hoje chega como boa conselheira. Talvez seja o momento de dar adeus ao que não nos serve mais e de dizer olá ao novo, o que vem chegando. E isso inclui certas palavras e certos vícios de atitude.

Um detalhe que se deve prestar atenção é que nunca retornamos ao mesmo ponto. Mesmo que, aparentemente, estejamos vivendo uma situação que já aconteceu no passado, agora ela já é outra. Porque nós somos outros, porque o tempo é outro. Tudo muda o tempo todo no mundo, não é? E isso não sou eu quem fala (nem o Lulu Santos...rs) O filósofo Heráclito já dizia isso há muito tempo! Tudo está em eterna transformação, a mudança é a única realidade.

Façamos da nossa quarta-feira, um dia de menos guerra e de mais busca de conciliação com outras centelhas tão divinas quanto a nossa! Só isso... Só isso... Depois de um 10 de Paus, é só isso ;-)

Ótima quarta para todos nós!

A imagem veio daqui

2 comentários:

Juliana disse...

Nossa, Claudinha... ontem mesmo, depois de tanta coisa bizarra surgindo no noticiário (daqui e daí...), fiquei pensando que acho que a grande solução para a humanidade estaria em assistência psicológica - ou de outras terapias à escolha - gratuita pelo SUS pra todo mundo desde cedo... rs. A bela citação que vc publicou e seu conselho final seriam, tipo, a solução pros conflitos do mundo, né? Será que um dia chegamos lá? rsrs

Bem, vamos começar cuidando do nosso cercadinho... vou fazer minha parte então... rs

Beijos e boa quinta!
Ju

Fernando Augusto disse...

Saudações, Vianautas!

Cada um de nós precisa encarnar o mito do herói, tornar-se para si mesmo e em função de suas fraquezas aquele Perseu capaz de cortar a cabeça da Medusa que é o próprio ego e ver de dentro de si mesmo brotar o cavalo da liberdade, o Pegaso interior, que faz expandir a nossa percepção liberta de toda a condição limitadora, opressora, escravizadora que nos foi imposta pelos diferentes condicionamentos psicológicos.

Cada vitória sobre si mesmo representa um ganho de energia, de saúde, de felicidade, de prazer de viver que estimula o herói em nós a continuar na senda a despeito da solidão do caminho.

A essência de cada ser humano é uma essência guerreira.

"Não vim à Terra trazer paz, antes espada" - disse o Rabi da Galiléia, o Nazareno que expulsou os vendilhões do templo a golpes de chicote.

O Cristo guerreiro e não este Jesus insosso vendido pela seitas pseudo-cristãs também disse:

12 E desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto.

Sem travar o bom combate, o combate contra nossas próprias fraquezas não somos dignos de nosso próprio nascimento, de nossa humanidade e de nossa virilidade.

"Se o seu espírito está distorcido, ele deve simplesmente endireitá-lo — purificá-lo, torná-lo perfeito —, pois não há nenhum outro trabalho, em todas as nossas vidas, que valha mais a pena. Não endireitar o espírito é procurar a morte, e isso é o mesmo que não procurar nada, pois a morte nos apanhará, de qualquer maneira. Buscar a perfeição do espírito do guerreiro é a única tarefa digna de nosso tempo limitado e de nossa virilidade " - Roda do Tempo, de Carlos Castaneda.